Pesquisar este blog

quarta-feira, 12 de julho de 2017

Trilha do filme Roberto Carlos e o diamante cor de rosa

 Filme estreou há exatos 47 anos e reúne Roberto, Erasmo Carlos e Wanderléa 
Longa mais assistido de 1970 tem cenas gravadas no Japão, Israel e Brasil
O filme “Roberto Carlos e o Diamante Cor de Rosa”, produzido em 1969, reúne Roberto Carlos, Erasmo Carlos e Wanderléa. É considerado por muitos como o canto do cisne da Jovem Guarda, movimento liderado pelo trio que sacudiu a juventude brasileira a partir de 1965. A trilha sonora, com as músicas interpretadas pelos cantores, seria oportuna para eternizar o momento, mas não foi lançada porque pertenciam ao cast de gravadoras diferentes. A indústria fonográfica, na época, não tinha o hábito de fornecer seus artistas para a concorrência. Erasmo tinha contrato com a RGE, enquanto Roberto e Wanderléa pertenciam a CBS, e as músicas foram diluídas em discos dos respectivos intérpretes.

Algumas canções do longa foram reunidas no LP “Músicas da trilha sonora do filme Roberto Carlos e o diamante cor de rosa” (na foto ao lado), lançado em 1970 pela Polydor, mas sem as gravações originais. “Custe o que custar”, “Não vou ficar” e “As curvas da estrada de Santos”, do repertório do Roberto Carlos, por exemplo, são interpretadas pelo desconhecido Gustavo, enquanto as músicas do Erasmo e Wanderléa nem estão nesse disco, que pode ser baixado no blog Parallel Realities Music, responsável pela postagem (aqui). O álbum tem o mérito de oferecer os temas incidentais ouvidos no filme, como as composições da Joyce, Erlon Chaves e Luiz Carlos Sá, do trio Sá, Rodrix & Guarabyra. Duas canções – “Ilha rasa” e “Tobogã” – que nem aparecem nos créditos do filme, estão nesse LP da Polydor, que ainda peca por ignorar “Pentotal”, do Luiz Carlos Sá, e “Tuareg”, do Jorge Ben Jor, interpretada pela Gal Costa.

Por tudo isso, achei interessante montar a trilha sonora do filme, com os intérpretes originais e arte gráfica com cenas do longa, que estreou em julho de 1970, há exatos 47 anos.  O filme, que teve um público de 2.639.174 espectadores, foi o mais assistido de 1970, segundo dados da Agência Nacional do Cinema. Dirigida e produzida por Roberto Farias, a aventura tem cenas gravadas no Japão, Israel e Brasil. Em uma loja japonesa de antiguidades, Wanderléa compra uma estatueta antiga, que vai revelar uma surpresa. Depois de uma certa confusão envolvendo um perseguidor chamado Pierre (José Lewgoy) e um gênio samurai, os cantores encontram um mapa do tesouro dentro da estatueta. Ao tentarem decifrar o mapa, eles acreditam que o lugar onde o tesouro está escondido é no Rio de Janeiro, para onde partem imediatamente, com Pierre em seus calcanhares. O roteiro é interessante, os artistas interpretam a si mesmos, e a trilha é ótima. Confira:

01 - Roberto Carlos - O Diamante Cor de Rosa (instrumental)
(Roberto Carlos - Erasmo Carlos)
02 - Roberto Carlos - Não Vou Ficar
(Tim Maia)
03 - Joyce - Please Garçon
(Joyce)
04 - Erasmo Carlos - Aquarela do Brasil
(Ary Barroso)
05 - Orquestra Polydor  - Enganando Pierre
(Luiz Carlos Sá)
06 - Roberto Carlos - 120, 150, 200 Km Por Hora
(Roberto Carlos - Erasmo Carlos)
07 - Wanderléa  - Você vai ser meu escândalo
(Roberto Carlos - Erasmo Carlos)
08 - Orquestra Polydor - O Gênio
(Luiz Carlos Sá)
09 - Gal Costa - Tuareg
(Jorge Ben Jor)
10 - Roberto Carlos - As Curvas da Estrada de Santos
(Roberto Carlos - Erasmo Carlos)
11 - José Roberto - Karatê
(Luiz Carlos Sá)
12 - Erasmo Carlos - Vou Ficar Nú Pra Chamar Sua Atenção
(Roberto Carlos - Erasmo Carlos)
13 - Wilson das Neves - Sarro
(Erlon Chaves)
14 - Roberto Carlos - Custe O Que Custar
(Edson Ribeiro)
15 - Orquestra Polydor - Karatê
(Luiz Carlos Sá)
16 - Roberto Carlos, Erasmo Carlos e Wanderléa - É Preciso Saber Viver
(Roberto Carlos - Erasmo Carlos)



9 comentários:


  1. http://www17.zippyshare.com/v/ADjnqvvw/file.html

    ResponderExcluir
  2. Chico, essa sua disposição é que diferencia seu blog dos demais. Uma montagem dessas leva tempo e muita dedicação para o resultado final. Só a arte gráfica já vale o trabalho. Nem as gravadoras ávidas por $$$ não se animaram a fazer uma obra dessa. Parabéns mais uma vez e obrigado por disponibilizar com seus amigos esse trabalho digno de um artista.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado pelo comentário, Wilton. Sem dúvida, as suas palavras revelam reconhecimento pelo trabalho que procuro desenvolver, e me incentivam a manter o blog no ar. É um dos elogios mais bonitos que recebi em seis anos de blogueiro. O meu agradecimento e o melhor abraço pra você.

      Excluir
  3. O Wilton disse tudo. Só temos a agradecer pelo trabalho fantástico. Mais uma obra prima desse excelente blog. E que ele fique na internet para todos que curtem a Jovem Guarda e os fabulosos anos 60. Na verdade mesmo não temos nem palavras pra agradecer. Valeu.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você, como sempre, muito generoso em seus comentários. É um dos maiores incentivadores do blog. Muito obrigado. Abração

      Excluir
  4. Muito obrigado por essa preciosidade.
    Abraços.
    Kalypso

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz em saber que a postagem lhe agradou. Seja sempre bem-vindo. Abraços

      Excluir
  5. Parabéns, Chico, ficou muito bom.

    Denys P.R.
    ============

    ResponderExcluir
  6. Realmente . são poucos que fazem um trabalho desses na internet. Sou seu fã a muito tempo, e parabéns mais uma vez por disponibilizar essas maravilhas...Abraço

    ResponderExcluir