Pesquisar este blog

Carregando...

sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

Silvio Santos - Ritmo de Festa (Fita cassete - 1994)

 Músicas são da fita cassete distribuída aos clientes do Baú da Felicidade
Pra encerrar 2016 em ritmo de festa, a dica é curtir o apresentador Silvio Santos, ícone da televisão brasileira, com suas marchinhas carnavalescas e sambas pra todo mundo cantar. A seleção musical, com os grandes sucessos do animador, foi originalmente lançada numa fita cassete distribuída aos clientes do Baú da Felicidade em meados dos anos 1990. O cliente quitava o carnê, e tinha direito a resgatar os produtos correspondentes ao valor pago nas lojas do Baú, espalhadas pelo País. Eu não tenho a fita, mas consegui as gravações por meio do vídeo (aqui), postado no canal do silviomccloud, no YouTube. Por isso, montei a arte gráfica para CD, caso alguém queira gravar. No repertório, muitas canções conhecidas, como “Sorria”, “É hora de brincar”, “A pipa do vovô”, “Transplante corinthiano”, “A bruxa vem aí” e outras. Confira:

01 - Eu Gosto da Minha Sogra
     (Manoel Ferreira - Ruth Amaral)
02 - Batendo Palmas
     (Adapt. João Plinta - Maestro Zezinho)
03 - É Hora de Brincar
     (Heitor Carillo - Jobá)
04 - Sorria
     (Heitor Carillo)
05 - Pot Pourri:
     A Pipa do Vovô
     (Manoel Ferreira - Ruth Amaral - Silvio Santos)
     Transplante Corinthiano
     (Manoel Ferreira - Ruth Amaral - Gentil Junior)
     Oi Tá-Tá-Tá
     (Vicente Longo - Jota Junior)
06 - Pot Pourri:
     A Bruxa Vem Aí
     (Manoel Ferreira - Ruth Amaral)
     Marcha do Barrigudinho
     (Manoel Ferreira - Gentil Junior - Francisco José)
     Dig-Din
     (Vicente Longo - Waldemar Camargo)
07 - Samba do Corinthians
     (Manoel Ferreira - Ruth Amaral - Gentil Junior)
08 - Shalon
     (Adapt. Heitor Carillo)
09 - A Dança do Caribe
     (Renato Barbosa)
10 - O bom menino
     (Irany de Oliveira - Altamiro Carrilho)
11 - Muito Bem
     (Manoel Ferreira - Arrelia - Antonio Mojica)
12 - Ritmo de Festa
     (Laerte Freire - Rogê)
13 - Hino das Torcidas
     (Manoel Ferreira - Ruth Amaral - João Roberto Kelly)


FONTE: Canal de silviomccloud/YouTube



sábado, 24 de dezembro de 2016

Votos de Feliz Natal e Próspero Ano Novo


Coral Hallelluya - Feliz Natal (CD s/d)

 CD produzido pelo selo Plinta apresenta 11 canções para festas de fim de ano
Não garanto que este CD, um brinde de Natal que ganhei, é realmente do Coral Hallelluya, como apresento acima, já que o repertório traz faixas vocalizadas e instrumentais. A capa limita-se ao título “Feliz Natal”, e a contracapa traz a nomenclatura “Boas Festas”,  mas o grupo não é mencionado no disco, que também não informa o ano da produção. Arrisquei o nome do coral porque é citado na ficha técnica como participante, assim como são mencionados (leia abaixo) os nomes dos músicos responsáveis pela execução. Outra dúvida diz respeito aos autores da música “Marcas do que se foi”, aqui mencionada como obra de seis compositores, sendo que no disco do Márcio Lott, que considero o responsável pela gravação original, apesar do sucesso feito também pelo grupo Os Incríveis, aparece apenas o nome de Zurana. Seja como for, o fato é que o CD, lançado pelo selo Plinta, é delicioso de ouvir, e tem produção esmerada. Confira:

01 - Marcas do que se foi
(Ruy Maurity - J.J.Miquinioty - Carlos Moura - 
Ribeiro J. Francisco - Luiz Carvalho - Paulo Sérgio Valle)
02 - Natal das crianças
(Black-Out)
03 - Adeste Fidelis (Gloria in Excelsis Deo)
(Tradicional - D.R.)
04 - White Christmas
(Tradicional - D.R.)
05 - Noite Feliz
(Tradicional - D.R.)
06 - Pinheirinho de Natal
(Tradicional - D.R.)
07 - Jingle Bells
(Tradicional - D.R.)
08 - Boas Festas
(Assis Valente)
09 - Vamos Comemorar
(João Plinta - Lula)
10 - Jesus Alegria dos Homens
(J.S. Bach)
11 - Fim de Ano
(Francisco Alves - David Nasser)


MÚSICOS PARTICIPANTES

Piano/teclados: Beto Paciello
Contrabaixo: Dárcio Rael
Bateria: Albino Infantozi
Violões/guitarra: Paulinho Coelho
Acordeon: Oswaldinho
Sax: Magic Naylor (Proveta)
Participação do Coral Hallelluya

sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

Golden Boys - Sino de Belém - (78 RPM - 1958)

Segundo disco do quarteto foi lançado pela gravadora Copacabana em 1958
 
Os Golden Boys marcam presença no blog com este 78 RPM dedicado ao Natal. Trata-se do segundo disco do grupo, lançado pela Copacabana em dezembro de 1958, ano em que iniciou a carreira com o 78 RPM de estreia, contendo as músicas “Meu romance com Laura” e “Wake up little Susie”. Este disco natalino não é do meu acervo, mas encontrei a arte gráfica dos selos na rede, e achei interessante postá-lo, considerando que é objeto de desejo de muitos colecionadores. Apesar de ainda menores de idade, os integrantes do quarteto já revelam sua maturidade vocal, cantando com a afinação que os consagraram durante o período da Jovem Guarda. Confira:

01 - Sino de Belém (Jingle Bells)
(J. Pierpoint - vs: Ewaldo Ruy)
02 - Natal das crianças
(Black-Out)



José Leão - Sonho de Natal (EP 1962)

 Compacto duplo tem acompanhamento de orquestra e coro do Clube do Guri
O cantor mirim José Leão comparece mais uma vez no blog com este raro compacto duplo produzido pela Continental, graças ao amigo Aderaldo, a quem agradeço pela colaboração. O disco, com acompanhamento de orquestra e coro do Clube do Guri, não informa o ano do lançamento, mas pela numeração é possível calcular que é de 1962, tendo como referência a discografia do Demétrius, artista da mesma gravadora. No repertório, quatro canções pra compor a trilha sonora na festa de Natal.  Confira:

01 – Sonho de Natal – Marcha-Rancho
(Julio Louzada – Jorge Gonçalves)
02 – Natal sem mamãe – Valsa
(Claudio Paraiba – Tobias Pinheiro)
03 – Sinos de Belém  – Valsa
(J. Junior)
04 – Natal de venturas – Valsa (com declamação de Julio Louzada)
(Julio Louzada – Jorge Gonçalves)


COLABORAÇÃO: Aderaldo



Papi Galan - Boas Festas (EP 1966)

 Gravado em 1966, compacto das Edições Paulinas traz clássicos natalinos
Papi Galan é mais um harpista de mão cheia, reconhecido internacionalmente, com vários discos gravados no Brasil. Um deles é este compacto duplo natalino, gravado em 1966 pelo selo Panorâmico, das Edições Paulinas. O disco, a exemplo de outros para essa época do ano, traz releituras dos clássicos “Noite Feliz” e “Jingle Bells”, executados com maestria pelo músico, nascido em 1939 no Paraguai. A sua discografia, que inclui álbuns com hinos evangélicos, boleros e outros, se destaca pela rara série “Jovem Harpa”, com quatro volumes produzidos entre 1968 e 1970 pela Musicolor/Continental , recheados de hits da Jovem Guarda.

Adolfo Bernal, seu nome de batismo, começou a carreira musical aos 12 anos por influência do tio Virgilio Perez, que tocava harpa e violão. Logo formou um trio com seus amigos do bairro para sair em serenatas. Após o serviço militar, desembarcou em São Paulo para trabalhar com o grupo Thrushes Guarani, onde seu tio era cantor e guitarrista. No Brasil, trabalhou por 10 anos, gravou vários álbuns e teve bastante sucesso. Além disso, trabalhou e gravou com Luis Bordon, Trio Cristal, e outros. Segundo consta, o músico ainda trabalhou por 20 anos na Europa, e teve residência fixa na Suiça. Aos 50 anos, retornou ao Paraguai, e as informações mais recentes dão conta de que leciona no Conservatório Nacional de Assunção, apresentando-se esporadicamente. Confira o EP:

01 - Noite Feliz
(F. Gruber)
02 - Jingle Bells
(Tradicional)
03 - Boas Festas
(Assis Valente)
04 - Surpresa de Natal
(Mozart)


quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

Jesse Pessoa - Canções de Natal (CD s/d)

Harpista executa clássicos nacionais e internacionais do cancioneiro natalino
Um delicioso CD pra tocar no Natal é este disco do Jesse Pessoa, com 20 canções natalinas, lançado pelo selo Polydisc, da Sony, em ano não citado. O repertório inclui clássicos nacionais e internacionais do gênero, como “Jingle Bell”, “White Christmas”, “Ave Maria”, “O velhinho”, "Noite feliz", 'Boas Festas" e até “Natal latino”, uma composição do próprio músico. Apesar de contar com vários discos gravados, não encontrei a biografia do artista na internet.

O site do músico limita-se a informar que é conhecido como "O Harpista Brasileiro", e tem cativado audiências em todo o mundo com seu animado e criativo estilo. A página destaca que “ele tem encantado o público com um repertório impressionante que inclui melodias latino-americanas tradicionais, canções padrão e pop, bem como ritmos de jazz. Entre os harpistas mais famosos, ele é mais conhecido por tocar samba e outras músicas brasileiras na harpa. Pessoa foi o artista em destaque em alguns dos mais luxuosos resorts nos Estados Unidos, Brasil, Caribe, Oriente Médio e Europa. Ele se adapta a diferentes cenários com elegância, de lobbies de hotéis, navios de cruzeiro ou salas de concerto - Jesse Pessoa fará qualquer evento especial com sua bela música de harpa, rica de arpejos, glissandy e sentimento latino”. Confira:

01 - Jingle Bell
(Tradicional)
02 - Soleado
(Zacar)
03 - Ave Maria
(Gounod)
04 - Fim de ano
(David Nasser - Francisco Alves)
05 - White Christmas
(Irving Berlin)
06 - Jesus sertanejo
(Janduhy Finizola)
07 - Adeste Fidelis
(Tradicional)
08 - Natal latino
(Jesse Pessoa)
09 - Pinheirinho agreste (O Tannenbaum)
(E. Anschutz)
10 - Boas festas
(Assis Valente)
11 - Natal das crianças
(Blecaute)
12 - Noite feliz
(J.Mohr - E. Gruber)
13 - Feliz navidad
(José Feliciano)
14 - Oração de natal
(C.G. Fernandez)
15 - O velhinho
(Octávio Babo Filho)
16 - Natal festivo
(Mário Rinaldi)
17 - Ave Maria
(Schubert)
18 - Arvores de natal
(Joly Sanches - Luis Bordon)
19 - Natal de paz
(Nicolas Perez Gonzalez)
20 - Pastoril infantil
(Tradicional)

COLABORAÇÃO: Aderaldo




quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

Harry Belafonte - A Merry Christmas (EP 1958)

Disco produzido na Inglaterra pela RCA Victor traz quatro músicas natalinas
Conhecido no Brasil pelo hit “Banana Boat Song”, gravado em 1956, Harry Belafonte comparece no blog com este “A Merry Christmas”, compacto duplo de 45 RPM, lançado em 1958 na Inglaterra pela RCA Victor. O EP, com músicas natalinas, foi enviado pelo amigo Laércio, a quem agradeço por mais esta valiosa colaboração. O vinil, como se pode notar, é mais um daqueles fabricados para essa época do ano, funcionando como presente de Natal, com espaço impresso na contracapa para escrever os nomes de quem oferece e recebe o EP.

Harold George Belafonte nasceu em Nova Iorque, no bairro negro do Harlem, em 1 de março de 1927, e passou a infância na Jamaica, país natal de sua mãe. De volta aos Estados Unidos, fez o colegial numa escola pública da cidade e serviu na marinha durante a Segunda Guerra Mundial. No fim dos anos 1940, começou a ter aulas de arte dramática junto com Marlon Brando, Tony Curtis e Sidney Poitier, enquanto trabalhava junto ao teatro negro americano. Anos depois, receberia um Prêmio Tony por seu trabalho nos palcos da Broadway. Durante sua carreira tem sido um radical ativista político, envolvido em lutas pelos direitos civis e diversas causas humanitárias. Na foto acima, ao lado de Martin Luther King.

Belafonte iniciou sua carreira na música como cantor em night-clubs de Nova Iorque para pagar por suas aulas de ator. Seu repertório misturava o pop com o folk ianque, pelo qual se interessou ao voltar da guerra. Em 1952 conseguiu um contrato de gravação na RCA Victor, e quatro anos depois seu álbum “Calypso” (na foto ao lado) explodiu nas paradas norte-americanas, sendo o primeiro LP a vender mais de um milhão de cópias no país. Foi este disco que apresentou o calypso ao público local e o consagrou como "Rei do calypso", apelido pelo qual ele tinha fortes reservas.

Durante os anos sessenta, além de ganhar dois prêmios Grammy e seis discos de ouro, introduziu diversos novos artistas ao público norte-americano, notadamente a cantora sul-africana Miriam Makeba com quem gravou diversas músicas antiapartheid, e um de seus álbuns de sucesso, de 1962, traz a primeira gravação registrada de um jovem tocador de harmônica chamado Bob Dylan. Com a chegada dos Beatles aos Estados Unidos e a invasão do rock inglês nas paradas musicais, o sucesso de Belafonte começou a diminuir. Mesmo sem o mesmo status de astro dos primeiros anos, ele continuou a fazer grandes shows pelo país e pelo mundo até 2003, quando anunciou sua aposentaria dos palcos. Confira o EP:

01 - Mary`s Boy Child
(Hairston)
02 - Where the Little Jesus Sleeps
(Okun - Corman - Carter)
03 - Mary, Mary
(Brooks - Corman)
04 - The Son of Mary
(Adapt. Okun - Corman - Carter)



COLABORAÇÃO: Laércio


terça-feira, 20 de dezembro de 2016

Voz Ativa Madrigal - Natal e Paz (CD 2001)

 Coral tem quatro sopranos, três tenores, quatro contraltos e três barítonos/baixos
Uma boa dica pra quem gosta de coral é este CD dedicado a canções natalinas, gravada pela Voz Ativa Madrigal, com direção e regência de Ricardo Barbosa. Produzido pela Lua Discos, o CD inclui clássicos natalinos nacionais e internacionais, como “Sinos de Belém (Jingle Bells)”, “Natal Branco (White Christmas)”, “Boas Festas”, “Pinheirinhos de Natal (O Tannenbaum)” e outros. O destaque, citado na capa, é a inclusão do sucesso “Aleluia [Mix]”, um rap que agradará os apreciadores do gênero. O disco, gravado em 2001, traz vozes de quatro sopranos, três tenores, quatro contraltos e três barítonos/baixos.

Segundo texto impresso na contracapa, “o Voz Ativa Madrigal foi formado em abril de 1997 com o objetivo de desmistificar a imagem austera e acadêmica que envolve o canto coral tradicional. Em 2000, criou, e desde então leva a efeito, o Promusa – Projeto de Música Sacra – que resultou no CD e na série de concertos Pro Nobis. No mesmo ano, ganhou por unanimidade o primeiro lugar do “Projeto Mapa Cultural do Estado de São Paulo”, tendo também recebido os prêmios de melhor repertório e melhor regente”. Outras conquistas devem compor o currículo do grupo, considerando o talento e os 15 anos que se passaram desde a gravação deste CD, muito bem produzido. Confira:


01 - Cristo Nasceu
(G.F. Handel)
02 - Ave Glöcklein
(Engelhar - Franz Xavier) 
03 - Eis Dos Anjos a Harmonia (Da Cantata 'Festgesang' 1840)
(F. Mendelssohn)
04 - Primeiro Natal (The First Noel)
(Traditional)
05 - Canto Dos Sinos
(Canção Ucraniana)
06 - Interlude Papai Noel
07 - Boas Festas
(Assis Valente)
08 - Alegria de Natal
(Melodia Gaulesa)
09 - Sino de Belém (Jingle Bells)
(J. Pierpoint) 
10 - Pinheirinhos de Natal (O Tannenbaum)
(Ernest Ansschetz)
11 - Glória
(Traditional) 
12 - Natal Branco (White Christmas)
(Irving Berlin)
13 - Noite Azul
(Cavalcante - Klécius) 
14 - Noite Feliz
(F. Gruber)
15 - Menino Rei
(Edgard Gianullo - Márcio Gianullo)
16 - Chegou O Natal
(João Roth - Thomas Roth)
17 - Aleluia (Do 'Messias')
(G.F. Handel)
18 - Aleluia [Mix]
(G.F. Handel - Edgard Gianullo - Márcio Gianullo)



segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

Vários intérpretes - Feliz Natal (LP 1978)

 Nomes como Os Incríveis, The Bells e Poly estão neste LP da Continental
É... O tempo passa rapidamente e, quando a gente menos espera, já está chegando as festas natalinas e as do ano que se encerra. Pra dar o clima natalino, vou começar a postar discos relativos ao período, que certamente farão parte da trilha sonora de sua festa. Pra abrir, nada como uma coletânea bem legal, lançada em 1978 pelo selo Popular, da gravadora Continental, enviada pelo amigo Aderaldo, a quem agradeço por mais essa colaboração. Com o título “Feliz Natal, o disco traz clássicos natalinos, como “Jingle Bells”, “Noite silenciosa”, “Boas Festas”, “O velhinho” e outros. A execução e a interpretação estão sob a batuta de nomes como Poly, Os Incríveis, The Bells, Francisco Petrônio e outros. Confira:

01 – Walter Forster (Declamação)  – Feliz Natal
(Palavras de Walter Avancini – Temas Folclóricos)
02 – PolyJingle Bells
(D.P.)
03 – Papi Galan – O velhinho
(Otavio Babo Filho)
04 – Poly – Noite silenciosa
(J. Mohr – Gruber)
05 – Poly – Boas Festas
(Assis Valente)
06 – Papi Galan – Natal das crianças
(Black-Out)
07 – José Leão – Sonho de Natal
(Julio Louzada - Jorge Gonçalves)
08 – Francisco Petronio – Natal de minha terra
(Palmeira – Mario Zan)
09 – Poly – Pinheirinho agreste
(D.P.)
10 – Papi Galan – Adeste Fidelis
(D.P.)
11 – Poly – Trenó de Papai Noel
(Mario Albanese)
12 – Os Incríveis Jingle Bells
(D.P.)
13- The Bells – Sinos de amor (Whispering Bells)
(F. Lowry – C. Quick – Sergio Martins)
14 – Papi Galan – Fim de ano
(Francisco Alves - David Nasser)


COLABORAÇÃO: Aderaldo



domingo, 18 de dezembro de 2016

Modern Tropical Explosion - 14 International Hits (LP s/d)

 Grandes sucessos internacionais do início dos anos 1970 estão no repertório
Fãs de instrumentais certamente curtirão este álbum da Modern Tropical Explosion, produzido pelo selo Visiorama, em ano não informado no disco, mas provavelmente lançado no início dos anos 1970, considerando as músicas incluídas no repertório. A orquestra, sob a regência do maestro Pierre Maurois, apresenta grandes sucessos do período, como revela o título "14 International Hits". No repertório, canções como “Concerto para um verão”, “Song sung blue”, “Rock and roll lullaby”, “Sylvia” e outros. Não encontrei informações sobre a orquestra e o maestro, mas provavelmente foi gravada por músicos de estúdio, como era comum na época. Confira:

01 - Concerto para um verão
(A. Morisod)
02 - Without
(Ham Evans)
03 - Rock and roll lullaby
(Barry Mann - Cynthia Well)
04 - Jesus
(W. Hamburger - P. Dargean)
05 - Love theme from The godfather (Speak softly love)
(N. Rota - L. Kusik)
06 - It's summertime again
(F. Van Den Broeck - C. Gregoire)
07 - Song sung blue
(Neil Diamond)
08 - The white fox
(Artie Butler)
09 - A taste of excitement
(K. Mansfield)
10 - Sylvia
(Geoft Stephens - Les Reed)
11 - My world
(Barry and Robin Gibb)
12 - The girls from Paramaribo
(Berlipp - Berry Lipman)
13 - Too beautifull to last
(Wesster - Bennett)
14 - Vincent
(Don McLean)




sábado, 17 de dezembro de 2016

Roberto Carlos - Quiero verte a mi lado (LP 1975)


Álbum com 10 gravações em espanhol foi lançado no Equador em 1975
Dezembro é mês que remete a Roberto Carlos. É o período em que tradicionalmente apresenta seu especial de fim de ano na Rede Globo, e lançava seu disco anual, agora sem a mesma frequência de outrora. Por isso, o amigo Laércio me enviou e agradeço por este raro “Quiero Verte a Mi Lado”, LP que eu não conhecia, e certamente agradará aos colecionadores. O álbum, com 10 faixas cantadas em espanhol, em versões assinadas por Buddy Mary McCluskey, foi  lançado no Equador em 1975. No repertório, canções como “É preciso saber viver”, “Jogo de damas”, “Eu quero apenas”, “O portão” e outras. Confira:

01 - Quiero Verte a Mi Lado
(Quero ver você de perto)
(Benito de Paula - Buddy Mary McCluskey)
02 - Juego de Damas
(Jogo de damas)
(Isolda - Milton Carlos - Buddy Mary McCluskey)
03 - És Preciso Saber Vivir
(É preciso saber viver)
(Roberto Carlos - Erasmo Carlos - Buddy Mary McCluskey)
04 - Usted (Você)
(Roberto Carlos - Erasmo Carlos - Buddy Mary McCluskey)
05 - Despedida
(Roberto Carlos - Erasmo Carlos - Buddy Mary McCluskey)
06 - Resumen (Resumo)
(Mario Marcos - Eunice Barbosa - Buddy Mary McCluskey)
07 - Ternura Antigua (Ternura antiga)
(J. Ribamar - Dolores Duran - Buddy Mary McCluskey)
08 - El Porton (O portão)
(Roberto Carlos - Erasmo Carlos - Buddy Mary McCluskey)
09 - Yo Solo Quiero (Eu quero apenas)
(Roberto Carlos - Erasmo Carlos - Buddy Mary McCluskey)
10 - Yo Te Recuerdo
(Armando Manzanero)


COLABORAÇÃO: Laércio


sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

Inês Jordan - Coletânea Especial (2016)

 Com sotaque argentino, Inês lançou discos pela Polydor, RCA e Continental
Em atenção ao pedido do internauta Heros, apresento esta coletânea da Inês Jordan, cantora argentina que se destacou no período da Jovem Guarda. O repertório inclui músicas de quatro compactos, gravados na Polydor, RCA Victor e Continental, e se destacam pelo sotaque da intérprete, denunciando sua origem estrangeira. A coletânea também traz seis músicas em espanhol, baixadas na rede e adicionadas como bônus, provavelmente lançadas na Argentina, onde nasceu em 30 de maio de 1941. A seleção reúne discos do meu acervo e do Aderaldo, a quem agradeço pela iniciativa de enviar o material de sua coleção, possibilitando a postagem.

Segundo dados do blog Memória da MPB, Inês Jordan começou a carreira em sua terra natal, onde fez tele-teatro, cinema e cantava rocks. Em 1963, através de um empresário, fez uma excursão ao Chile, onde teve atuações vitoriosas. Antes de chegar ao Brasil fez shows no Canal do Panamá para os soldados americanos. Em 1967, foi contratada pela Polydor, onde gravou o primeiro single (na foto ao lado) sob a direção de Glauco Pereira, logo após temporada pelo Brasil.
Inês se apresentou em diversos programas de TV, como "Quanto mais quente melhor", "Sábado e você" e "Julio Rozenberg e a juventude", entre outros, todos na década de 1960, período em que era conhecida como "a bonequinha argentina". Juntamente com Gilberto Lima foi apresentadora de um programa musical no canal 5, em 1967, e obteve relativa repercussão com as músicas "O Anãozinho"(1967), “Pancho Lopez (1968) e "O Gavião" (1969).

Foi casada por muitos anos com o jornalista Gaetano Gerardi e, nessa época, era presença constante na revista Intervalo. Chegou inclusive a atuar em uma fotonovela nessa publicação. Em 1972 retornou para a Argentina (Buenos Aires), ficando por lá até 1979, ano em que voltou ao Brasil para montar uma churrascaria no bairro de Pinheiros, em São Paulo. O estabelecimento funcionou durante oito anos, e em 1986 abriu uma pequena fábrica de empanados e alfajoris, que durou até 1990. Voltou para a Argentina, onde faleceu em 5 de dezembro de 2003, aos 62 anos, deixando os filhos Sandro e Adriana, além de fãs no Brasil. Confira:

01 - O anãozinho (Little man)
(Sonny Bonno - vs: Carlos Wallace)
02 - Balada da ilha distante
(João Luiz)
03 - Eu sei (Yo se)
(Irmãos Arraigada - vs: Inês Jordan)
04 - Pancho Lopez
(Tom Blackburt - Geoge Bruns - Lalo Guerrero)
05 - O parquinho
(Billy Fontana)
06 - Meu coração não quis
(Claudio Fontana - Wanderley Cardoso)
07 - Meu gato
(Marcos Roberto - Dori Edson)
08 - O gavião
(Dori Edson - Marcos Roberto)

Bônus

09 - Conmigo
(?)
10 - Loca loca
(?)
11 - Yo se
(Irmãos Arraigada)
12 - Eso dicen
(Palito Ortega – Digno Ramos)
13 - Bonito amor
(Palito Ortega – Digno Ramos)
14 - lo mismo que usted
(Maria Del Pilar)

COLABORAÇÃO: Aderaldo


quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

Elza Costa - Abraça-me forte, amor (LP 1973)

 Álbum lançado em 1973 pela Epic/CBS foi produzido por Mauro Motta
Hoje apresento a cantora Elza Costa, artista contratada da Epic/CBS (Sony), que lançou em 1973 este “Abraça-me forte, amor”, LP produzido por Mauro Motta. Bebendo da mesma fonte musical da Cláudia Barroso, artista de grande sucesso na época, a cantora adota o estilo romântico, com baladas e boleros. O disco, com 12 faixas, é integralmente formado por versões de músicas gravadas em sua maioria em espanhol, assinadas em grande parte por Fred Jorge, sendo que Rossini Pinto é o autor da música que dá título ao LP e da faixa "Mas não importa". Infelizmente, não encontrei informações sobre a cantora, intérprete que certamente agradará aos apreciadores do gênero. Confira:

01 - Santa Maria
(Maggilar - Danpa - L. Fleming - Fred Jorge)
02 - Não diga nada (Preghiera per un amore)
(Danpa - V. Panzuti - Fred Jorge)
03 - Agora que sou livre (Ahora que soy libre)
(Juan Eduardo - Juan Marcelo - Ernesto Escudero)
04 - Até que decidas regressar (Hasta que tu decidas regresar)
(Gloria Simonelli - Fred Jorge)
05 - Lamento
(S. Guez - S. Fenering - Sebastião F. da Silva)
06 - Depois de ti (Aprés toi)
(Panas - Munro - Desca - Fred Jorge)
07 - Abraça-me forte, amor (Abrazame fuerte mi amor)
(Richard Machulske - A. Patrone - Rossini Pinto)
08 - Eu me arrependo (Ya no me arrepiento)
(Francis Smith - Fred Jorge)
09 - Eu prometi (Dios del olvido)
(Dino Ramos - Fred Jorge)
10 - Mas não importa (Y que importa)
(Juan Pardo - Rossini Pinto)
11 - Tu vais, tu vais partir (Te vas... y que)
(Dino - Fred Jorge)
12 - Dizem que bebo (Dicen que bebo)
(Juan Pardo Suarez - Fred Jorge)



quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

Os Originais do Samba - Se papai gira (EP 1970)

EP lançado em Portugal traz samba do Roberto Carlos e Erasmo Carlos
 
Eis um interessante compacto duplo, de 45 RPM, lançado em Portugal pela RCA Victor, d’Os Originais do Samba. Apesar de não informar o ano do lançamento, tudo indica que o disco é de 1970, levando o repertório em consideração. O EP é muito bom, e se destaca pela faixa “Se papai gira”, composta pelo Jorge Ben, autor de outro grande sucesso do grupo, "Cadê Tereza", gravado em 1969. A curiosidade fica por conta da música “Eu queria era ficar sambando”, de autoria do Roberto Carlos e Erasmo Carlos, que revela a diversificação musical da dupla surgida na Jovem Guarda. Confira:

01 - Se papai gira
(Jorge Ben)
02 - Eu gosto demais da menina
(Luiz Wanderley - Geraldo Nunes)
03 - Rio de Janeiro (Um samba só não da)
(Archimedes Messina)
04 - Eu queria era ficar sambando
(Roberto Carlos - Erasmo Carlos)




terça-feira, 13 de dezembro de 2016

Marlene Cavalcanti - Sou como sou (EP 2016)

 Marlene Cavalcanti, em meteórica carreira, gravou três singles na Copacabana
A postagem hoje reúne as músicas dos três compactos simples gravados na Copacabana pela Marlene Cavalcanti, irmã do também cantor Edson Wander. A seleção, que forma um EP, foi montada pelo amigo Aderaldo, a quem agradeço, e as imagens foram baixadas na internet. Iniciou a carreira ainda menina, na TV Jornal do Commércio, em Recife, onde nasceu em 27 de dezembro de 1948. Fez parte do movimento da Jovem Guarda de Pernambuco, ao lado de artistas como Luiz Carlos Clay, Kátia Cilene, Luiz Carlos Magno, Reginaldo Rossi e outros.

Gravou o primeiro compacto simples em 1967, com as músicas “Não quero mais amar” e “Sou como sou”. Nesse ano, pra divulgar o single, veio para o Rio de Janeiro, onde começou a participar de programas dos apresentadores José Messias (na foto ao lado, com Wanderléa e Maritza Fabiani), Luiz de Carvalho, Jair de Taumaturgo e outros. Marlene teve um romance com o cantor Paulo Sérgio, com quem teve uma filha que recebeu o nome de Jaqueline. Após o nascimento da filha, em 1971, abandonou a carreira e passou a dedicar-se à vida familiar, após gravar três singles. Confira:

01 – Não quero mais amar
(Almir Bezerra  - Pedrinho da Luz)
02 – Sou como sou (Soy Como Soy)
(Chico Novarro - Bardy - Versão: Marisa Nazareth)
03 – Eu não sabia (A Primeira Lágrima)
(José Messias - Anicio Bichara)
04 – Você quis me dar o fora
(Roberto Rei)
05 – Meu primeiro namorado
(Adilson Adriano)
06 – Minha cartinha
(Adilson Adriano)



COLABORAÇÃO: Aderaldo


segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

Wilson Simonal with Lyrio Panicalli's Orchestra (LP)

 Edição norte-americana do segundo LP do Simonal foi lançada pela Capitol
Este álbum do Wilson Simonal é a versão norte-americana do LP “A nova dimensão do samba”, produzido no Brasil em 1964, e sem o ano do lançamento nos Estados Unidos. Trata-se do segundo álbum do cantor, e agradeço ao amigo Laércio por mais essa colaboração que, com certeza, interessa aos colecionadores. O principal destaque do repertório é a faixa “Lobo bobo”, de Carlos Lyra e Ronaldo Boscoli, que obteve muito sucesso , e foi lançada também num compacto simples com “Nanã” no outro lado do disco, já postado aqui. O LP, com acompanhamento da orquestra do maestro Lyrio Panicalli, tem 10 faixas, compostas por autores como Johnny Alf, Tom Jobim e até o “golden boy” Roberto Corrêa, falecido recentemente. Confira:

01 - Nanã
(Moacir Santos - Mário Telles)
02 - Mais Valia Não Chorar
(Normando - Ronaldo Boscoli)
03 - Lobo Bobo
(Carlos Lyra - Ronaldo Boscoli)
04 - Só Saudade
(Newton Mendonça - Antonio Carlos Jobim)
05 - Ela  Diz Que Estou Por Fora
(Orlann Divo)
06 - Samba De Negro
(Roberto Corrêa - Sylvio Son)
07 - Jeito Bom De Sofrer
(Wilson Simonal - José Luiz)
08 - Ela Vai, Ela Vem
(Roberto Menescal - R. Boscoli)
09 - Rapaz De Bem
(Johnny Alf)
10 - Inútil Paisagem
(Antonio Carlos Jobim - Aloysio de Oliveira)


COLABORAÇÃO: Laércio


sábado, 10 de dezembro de 2016

Os Carbonos - Coletânea Especial (2016)

 Coletânea, com 28 faixas, traz covers de sucessos nacionais e internacionais 
Esta é uma daquelas coletâneas pra gente ouvir da primeira até a última faixa. O grupo Os Carbonos, famoso pela releitura de grandes sucessos da época em que foram gravados, é sempre bem-vindo e é um dos que geram grande demanda no blog entre os fãs da Jovem Guarda. A seleção, montada pelo amigo Aderaldo, a quem agradeço por mais esta colaboração, é formada por 28 faixas, suficientes pra encher um CD de 80 minutos. No repertório, covers de sucessos nacionais e internacionais, como “Estou começando a chorar”, “Anna”, “Eu só quero ver”, “Funny funny”, “Do you wanna dance?”, e outras, além das instrumentais “Blue star” e “Theme for Young lovers (Tema Pra Jovens Enamorados)”. Uma das curiosidades é a releitura de “L’ultima telefonata”, interpretada pelo Mário Bruno, integrante da banda. Confira:

01 – Férias de verão (Summer Holiday)
02 – Anna 
03 – Último trem (Last Train To Clarksville)
04 – Theme for Young lovers (Tema Pra Jovens Enamorados)
05 – Eu e a solidão (Me And You And A Dog Named Boo)
06 – Bip bop
07 – Eu só quero ver
08 – Never never
09 – Rio Amarelo (Yellow River)
10 - Imagine
11 – No verão (In The Summertime)
12 – Do you wanna dance?
13 – Estou começando a chorar
14 – Have you ever see the rain
15 – Nunca mais vou partir (Is This The Way To Amarillo)
16 – Dream baby (How Long Must I Dream)
17 – Do you like samba?
18 – Blue star
19 – Sansão e Dalila (Samson And Delilah)
20 – L’ultima telefonata (com Mário Bruno e Os Carbonos)
21 – Quero voltar pra Bahia
22 – Ob-la-di, o-bla-da
23 – Funny funny (Funny Funny)
24 – It would be so nice (Sobre As Ondas)
25 – Te amando (Fernando)
26 – With a girl like you
27 – Refletindo sobre a vida (Reflections Of My Life)
28 – The end


COLABORAÇÃO/SELEÇÃO DO REPERTÓRIO: Aderaldo


sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

Vários artistas - Jovem Guarda Instrumental - Vol. V

 Seleção com 25 faixas inclui grupos famosos e obscuros da Jovem Guarda
Uma postagem especial para fãs de instrumentais da Jovem Guarda. O quinto volume da série, com 25 faixas, traz algumas bandas conhecidas, como Os Megatons, Os Versáteis e The Supersonics (Os Fevers sob pseudônimo), mas a grande maioria é de grupos desconhecidos, sem muita repercussão na época do lançamento. O repertório também inclui algumas raridades, como “Além das estrelas”, de um compacto simples de 1967 do The Jet Black´s, e “Mar cruel”, com Os Terríveis, lançado num single de 1965, entre outras. Confira:

01 - The Condors - Férias no Hawaí
02 - The Reds - Romântica
03 - Sérgio Marcio e Seu Conjunto - O Último Trem
04 - The Brazilian Boss - E quando a lua então surgir
05 - Bossa 4 - Eu só quero ver
06 - Peter - Ninguém vai tirar você de mim
07 - Embalo R - Don't Go Breakin My Heart
08 - The Jet Black´s - Além das Estrelas
09 - The Supersonics - Les cornichons (Deixa de banca)
10 - Os Joias no Sucesso - Bilhetinho apaixonado
11 - Os Versáteis - A give me a little sign
12 - Jean Lafontaine - Venha Ver O Que Restou de Mim
13 - Lyrio Panicali - Vou botar pra quebrar
14 - Os Megatons - Misirlou
15 - Os Terríveis - Cruel sea (Mar Cruel)
16 - Mazzola e sua Orquestra - No dia em que parti
17 - The Bip's - You turn me on (Você me acende)
18 - Os Craques da Musica - A catedral - A boneca que diz não
19 - Conjunto Mafasoli - There's a kind of hush (Só eu e você)
20 - Ed Maciel e sua Orquestra - Hang on sloopy (Pobre menina)
21 - Os Populares - Theme for young lovers (Tema para jovens enamorados)
22 - The Rowers - Será
23 - The Jones - Chacun pour soi (Cada um sabe de si)
24 - The Tunders - Ela é demais
25 - The Spots - Tema de The Spots



quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

Julio Cesar - Viva o nosso amor (LP 1977)

 Álbum produzido pelo selo Pick, da RGE/Fermata, inclui o sucesso "Tu"
Julio Cesar é mais um daqueles artistas da chamada música brega que, apesar de gravar vários discos e obter relativa popularidade, tem biografia desconhecida do grande público. Ele comparece no blog com o LP que leva seu nome, lançado em 1977 pelo selo Pick, da RGE/Fermata, graças ao amigo Geraldo, a quem agradeço por mais esta colaboração. O disco, com 13 faixas, é repleto de versões. A exceção é a música “Escuta Jerusalém”, resultado da parceria do cantor com Herminio de Oliveira. Julio Cesar também assina “Todo amor que há na terra”, versão de “Alle liebe dieser erde”. A curiosidade é a faixa “Muito eu chorei”, uma versão disco de “O sole mio”, que ganhou popularidade com a releitura "It's now or never", pelo Elvis Presley, no início dos anos 1960.  O destaque é a faixa “Tu”, muito executada pelas emissoras de rádio. Confira:

01 - Viva o Nosso Amor (All we need is love)
(Danova - Yellowstone - Cleide Dalto)
02 - Tu (Du)
(Orloff - Kunze - Cleide Dalto)
03 - Eu Preciso Ser Feliz (Sweet sounds oh! beautiful music)
(Steve MacLean - Rose Anne - Murano)
04 - Muito Eu Chorei (O sole mio)
(Di Capua - Sebastião Ferreira da Silva)
05 - Adeus Pra Nunca Mais (Goodbye Venice Goodbye)
(Danova - Howman - Cleide Dalto)
06 - Ave Maria Das Noivas (Ave Maria no! no!)
(Polizzy - Natili - Ramoino - Simonelli - Murano)
07 - Acredite Em Mim (You belong to me, baby)
(Yelowstone - Danova - Murano)
08 - Quando Olho Pra Você (Every man must have a dream)
(Craig - Kinsley - H. de Oliveira)
09 - Se Já Não Existe Mais (Et si tu n'existais pas)
(Pallavicini - Cutugno - Losito - Delanoe - Lemesle - Jean Pierre)
10 - Adeus, Maria (Adios Maria)
(Ralph Siegel - Werner Schuler - Cleide Dalto)
11 - Escuta Jerusalém
(Herminio de Oliveira - Julio Cesar)
12 - Para Que Não Me Esqueças (Para que no me olvides)
(Ray Girado - Márcio José)
13 - Todo Amor Que Há Na Terra (Alle liebe dieser erde)
(Olden - Heilburg - Julio Cesar)


COLABORAÇÃO: Geraldo



quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

Vários intérpretes - 12 faixas quentes (LP 1969)

 Álbum produzido pela RCA Victor traz raridades nacionais e internacionais
Mais álbum disponibilizado pelo amigo Aderaldo, a quem agradeço por enviar essa joia rara, o LP “12 faixas quentes”, lançado em 1969 pela RCA Victor. A coletânea é repleta de raridades, como “Você foi a inspiração”, interpretada pelo Antonio Marcos; “Tan-tan”, com o grupo Os Incríveis”; “Chick a boom”, com o conjunto Os Cleans, e outras gravações de artistas internacionais. Uma das curiosidades é a releitura de “Sou louca por você”, grande sucesso da Elizabeth, na voz do saudoso Ronnie Cord, que a gravou como “Sou louco por você”. Confira:

01 - Gerard Sotto - F... comme femme 
(S. Adamo)
02 - Big Tops - I started a joke 
(Barry Gibb - Robin Gibb - Maurice Gibb)
03 - Antonio Marcos - Você foi a inspiração 
(Totó)
04 - Jean Lafontaine - Ob-la-di-ob-la-da
(Lennon - McCartney)
05 - Lucio Dalla - Hai una faccia nera nera
(R. Izzo - G. Reverberi - Despota)
06 - Ronnie Cord - Sou louco por você
(Elizabeth)
07 - Big Tops - Trains, boats & planes
(Bacharach - H. David)
08 - Os Incríveis - Tan-tan
(Mingo - Brancato Jr.)
09 - Os Cleans -  Chick a boom
(Van Morrison - Bert Berns)
10 - The Scalawags - Cantarola nº 1
(Christian)
11 - Os Caçulas - Pra Você (Over you)
(Jerry Fuller - Versão: Wilson Miranda)
12 - Conexion nº 5 Chewy-chewy
(Levine)


COLABORAÇÃO: Aderaldo






terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Adriana - Justo nesta noite (LP 1970)

 Primeiro álbum da Adriana na gravadora Odeon traz o sucesso "Anjo"
Depois de iniciar a carreira em 1967 na gravadora Equipe, onde gravou três compactos simples, posteriormente reunidos num LP compartilhado com Luiz Keller (aqui), a cantora foi contratada em 1970 pela EMI/Odeon. Nesse mesmo ano, gravou este álbum que se destacou pelo samba rock “Justo nesta noite”, também lançado num single com a música “Quero ver você longe de mim” no lado B, não incluída no LP, e aqui adicionada como faixa bônus. Este é mais um daqueles CDs genéricos que comprei no Mercado Livre, mas decidi postá-lo por se tratar de disco raro, ainda inédito na rede. O álbum também se destaca pela faixa “Anjo”, muito executada nas rádios, e traz como curiosidade a releitura de “Hoje”, grande sucesso do Taiguara. Confira:

01 - Justo Nesta Noite
(Luis Wagner - Tom Gomes)
02 - Anjo
(D'Orian - Durval Ferreira)
03 - Agora Que Estou Sozinha
(Luis Wagner - Tom Gomes)
04 - Não Digo Nada
(Luis Wagner - Tom Gomes)
05 - Só Se For Nós Dois
(Renato Correa - Edinho)
06 - Com Muita Saudade (Gio)
(Hyldon Souza)
07 - Aquele Encantamento (Knock Knock Who's There)
(J. Carter – G. Stephens - vs: Pedro Lopes)
08 - Hoje
(Taiguara)
09 - O Que É Que Eu Faço Desta Saudade
(Carlos Imperial - Hélio Matheus)
10 - Descalça no Parque
(Raul Prata)
11 - Não Vou Chorar Nunca Mais
(Ronaldo Correa)
12 - Não Vai Mais Acontecer
(Cury)
13 - Quero ver você longe de mim (Bônus)
(Pedrinho)