Pesquisar este blog

Carregando...

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Roberto Corrêa (The Golden Boy) - As 14 mais (CD s/d)

 CD sem o ano do lançamento traz grandes sucessos da Jovem Guarda
Diante da triste notícia sobre o falecimento do cantor e compositor Roberto Corrêa, sepultado ontem no Rio de Janeiro, o nosso amigo Aderaldo me enviou o CD que o artista gravou com 14 sucessos da Jovem Guarda. O disco, conforme informa, não é do seu acervo, e foi postado originalmente pelo Luiz Fernando na Comunidade MC & JG, ainda na época do Orkut. O meu agradecimento a ambos. O álbum, sem o ano do lançamento, foi produzido pela UMC do Brasil, e se destaca pelo repertório autoral da família Corrêa, sendo 12 da própria lavra e duas da esposa Solange. O cantor, do grupo Golden Boys, faz releitura dessas canções, que foram sucessos gravados por Wanderley Cardoso (“Minha namorada”), Wanderléa (“Te amo”), Trio Esperança (“Arrasta a sandália”) e Robert Livi (“Parabéns querida”), entre outras. Confira:


01 - Não me deixe nunca mais 
(Rossini Pinto - Solange Corrêa)
02 - Minha namorada   
(Roberto Corrêa - Jon Lemos)
03 - Parabéns querida  
(Roberto Corrêa - Sylvio Son)
04 - Te amo       
(Roberto Corrêa - Sylvio Son)
05 - Pode esperar          
(Roberto Corrêa - Sylvio Son)
06 - No meio da madrugada      
(Roberto Corrêa - Jon Lemos)
07 - Fumacê      
(Rossini Pinto - Solange Corrêa)
08 - O cabeção 
(Roberto Corrêa - Sylvio Son)
09 - Agora é tarde          
(Roberto Corrêa - Sylvio Son)
10 - Só vou criar galinhas             
(Roberto Corrêa - Sylvio Son)
11 - E agora       
(Roberto Corrêa - Sylvio Son)
12 - Arrasta a sandália  
(Roberto Corrêa  - Jon Lemos)
13 - Não fico mais sem teu carinho        
(Roberto Corrêa - Sylvio Son)
14 - Mais uma lembrança            
(Roberto Corrêa  - Jon Lemos)



COLABORAÇÃO: Aderaldo/Luiz Fernando


domingo, 27 de novembro de 2016

Festival dos Golden Boys (CD 1997)

 CD produzido pela Som Livre traz canções lançadas em festivais de MPB
A postagem hoje é uma homenagem ao cantor e compositor Roberto Correa, integrante do grupo vocal Golden Boys, falecido no início da noite de ontem no Rio de Janeiro, vítima de câncer, aos 76 anos. O corpo do artista será velado e enterrado neste domingo, 27, no Cemitério Jardim da Saudade, em Sulacap, no Rio. O velório está marcado para às 13h30 e o sepultamento para 15h30. O CD “Festival dos Golden Boys” foi produzido em 1997 pela Som Livre, e traz músicas de festivais da canção. No repertório, canções como “A banda”, “Casaco marrom”, “Pra não dizer que não falei das flores”, “Alegria, alegria” e até “Andança”, originalmente lançada pela Beth Carvalho com acompanhamento dos Golden Boys, entre outras. O disco, um dos últimos do grupo, não é do meu acervo. Baixei na Comunidade MC&JG, ainda no tempo do Orkut, e não me lembro quem postou para dar o devido crédito.

O grupo vocal surgiu no final dos anos 1950 e ganhou notoriedade a partir da Jovem Guarda, período em que obteve inúmeros sucessos, como “Alguém na multidão”, “Pensando nela”, “Fumacê”, “Erva venenosa” (regravada pelo grupo Herva Doce e também pela Rita Lee), “Michelle”,  “Ai de mim”, “Se eu fosse você”, e várias outras. Como compositor, Roberto assina canções de sucesso, feitas em parceria com Sylvio Son, como “O cabeção” (gravada pelos Golden Boys), “Te amo” e “Eu já nem sei” (ambas do repertório da Wanderléa), entre outras. O quarteto era formado por três irmãos - Roberto, Ronaldo e Renato Corrêa - e um primo, Valdir Anunciação, falecido em 2004. A partir daí, sem novo integrante, o grupo se apresentava como trio, e em outras oportunidades ao lado dos irmãos do Trio Esperança, igualmente afinados. Confira:

01 - Travessia
(Milton Nascimento - Fernando Brant)
02 - Cantiga por Luciana
(Edmundo Souto – Paulinho Tapajós)
03 - Viola Enluarada
(Marcos Valle - Paulo Sérgio Valle)
04 - Pra Não Dizer Que Não Falei das Flores
(Geraldo Vandré)
05 - Juliana
(Antonio Adolfo - Tibério Gaspar)
06 - Ponteio
(Ed Lobo - Capinam)
07 - Sabiá
(Chico Buarque - Tom Jobim)
08 - Alegria, Alegria
(Caetano Veloso)
09 - Casa no Campo
(Tavito - Zé Rodrix)
10 - O Cantador
(Dori Caymmi - Nelson Mota)
11 - A Banda
(Chico Buarque)
12 - Casaco Marrom
(Renato Correa - Danilo Caymmi - Gutemberg Guarabira)
13 - Andança
(Edmundo Souto – Danilo Caymmi – Paulinho Tapajós)
14 - Domingo no Parque
(Gilberto Gil)


FONTE: Comunidade MC&JG, do Orkut (Hoje na VK)



sábado, 26 de novembro de 2016

Nini Rosso - Trilha sonora do filme Yankee (CS 1967)

Single lançado pela Fermata traz trilha sonora original do filme Yankee
Uma boa pedida pra quem gosta de instrumental é este compacto simples do trompetista e compositor italiano Nini Rosso, que ficou mundialmente conhecido em 1965 pelo sucesso da música “Il silenzio”. A canção, no Brasil, foi gravada pela Cláudia Barroso (aqui), e também foi muito executada pelas emissoras de rádio, dando popularidade a cantora. O presente disco, lançado em 1967 pela Fermata, foi enviado pelo amigo Geraldo e tem áudio editado pelo Luiz Alberto Gomes, o Bugrim. Agradeço a ambos pela colaboração. As duas faixas do single, compostas pelo próprio Nini Rosso, são temas do filme “Yankee”, produzido na Itália em 1966, e dirigido por Tinto Brass.

O músico Raffaele Celeste Rosso nasceu em 19 de setembro de 1926, e faleceu em 5 de outubro de 1994 na Itália. Ao contrário do desejo dos pais, que o queriam na universidade, Rosso fugiu de casa aos 19 anos para se dedicar a sua grande paixão, a música. Depois que foi encontrado tocando trompete em um local noturno, seus pais cederam, e Rosso formou uma pequena orquestra, com a qual fez até uma turnê pela Índia. Ele logo se tornou um dos trompetistas de jazz mais conhecidos na Itália, atingindo a crista de sua popularidade na década de 1960. O primeiro grande sucesso foi por meio da gravação de "Concerto Disperato", e obteve reconhecimento internacional em 1965 pela já citada "Il Silenzio", que vendeu mais de cinco milhões de cópias até o final de 1967. Confira o single:


01 - La Ballata Dello Yankee
(Nini Rosso)
02 - Serenata Maledetta
(Nini Rosso)


COLABORAÇÃO: Geraldo, com áudio editado por Luiz Alberto Gomes (Bugrim)



sexta-feira, 25 de novembro de 2016

Ruy Maurity - Tempo cigano (LP 1984)

 Ruy Maurity e Zé Jorge são autores de nove músicas neste LP do Selo Pointer
Mais um bom álbum do Ruy Maurity, cantor e compositor que aprecio muito, e certamente agradará os internautas. O disco foi lançado em 1984 pelo selo Pointer, e traz dez faixas, sendo nove compostas em parceria com Zé Jorge, seu principal parceiro musical. A exceção fica por conta da música "Mãe guerreira", da Roberta Miranda, em início de carreira. O destaque do LP, gentilmente enviado pelo amigo Laércio, a quem agradeço, é a releitura da música “Dia 5”, de autoria da dupla, com a qual venceu o III Festival Universitário de Música Brasileira em 1970, e o credenciou a gravar seu primeiro álbum, "Este é Ruy Maurity", na gravadora Odeon. Confira:

01 - Sacirerê 
(Ruy Maurity - Zé Jorge)
02 - Canção menina 
(Ruy Maurity - Zé Jorge)
03 - Quebra coco 
(Ruy Maurity - Zé Jorge)
04 - Zé menino 
(Ruy Maurity - Zé Jorge)
05 - Mãe guerreira 
(Roberta Miranda)
06 - Alazão 
(Ruy Maurity - Zé Jorge)
07 - Tempo cigano 
(Ruy Maurity - Zé Jorge)
08 - Verão portenho 
(Ruy Maurity - Zé Jorge)
09 - Isaias 
(Ruy Maurity - Zé Jorge)
10 - Dia 5 
(Ruy Maurity - Zé Jorge)


COLABORAÇÃO: Laércio



quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Tetê Espindola - Londrina (CS 1981)

Canção ganhou o prêmio de melhor arranjo entre as finalistas do MPB-81
Vou aproveitar o clima de festival de música popular, deixado pela postagem anterior, para postar este compacto simples da Tetê Espindola. A intérprete, que encantou o público  em 1985, quando venceu o “Festival dos Festivais”, da Rede Globo, com a canção “Escrito nas estrelas”, já tem sinopse de sua carreira divulgada aqui, na postagem do CD "Só Tetê". A cantora participou anteriormente do MPB 81, pela mesma emissora, com a música “Londrina”, composta pelo Arrigo Barnabé. A canção ficou entre as 20 finalistas do festival. A campeã foi “Purpurina”, interpretada pela Lucinha Lins, e “Londrina” ganhou o prêmio de melhor arranjo. A música foi lançada neste single do selo Arara, da Zoo Discos, com “Canção dos vagalumes”, também do Arrigo Barnabé, no lado B. Confira:

01 – Londrina
(Arrigo Barnabé)
02 – Canção dos vagalumes
(Arrigo Barnabé)



quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Primeira Eliminatória do Festival da Música Brasileira

Festival da Música Brasileira foi realizada pela Rede Globo de Televisão em 2000
Este CD, com as 12 canções apresentadas na primeira eliminatória do Festival da Música Brasileira, evento realizado em 2000 pela Rede Globo, foi originalmente postado no meu blog anterior, e volto a apresentá-lo porque o link venceu e achei por bem ripá-lo novamente, desta vez com áudio de 320 kbps. Infelizmente, só tenho as canções apresentadas nessa primeira eliminatória, das quais foram escolhidas “Estrela da manhã”, “Tubaína” e “Xi, de Pirituba a Santo André” para disputar a final. As canções aqui disponíveis foram extraídas de um CD, que não entrou em circuito comercial, e foi distribuído para a imprensa com o material de divulgação do festival. Posso estar enganado, mas o único CD referente a este festival foi lançado pela Som Livre, reunindo as 12 finalistas em gravação ao vivo. A capa, contracapa e selo do CD desta primeira eliminatória foram montadas pelo blog. Confira:

01 - Rubinho Ribeiro – Afrika
      (Ricardo Moreno)
02 - Virginia Rosa – Vão
      (Dante Ozetti)
03 - Jorge Vercilo – Amanheceu
      (Jorge Vercilo)
04 - Fernando Chuí – Tubaína
      (Fernando Chuí)
05 - Vicente Barreto – Cisma
       (Costa Netto - Vicente Barreto)
06 - Renata Holly - Rap da Real
       (Renata Augusta Rodrigues)
07 - Simone Guimarães - Primeiro olhar
       (Cristina Saraiva - Sergio Farias)
08 - Sergio Santos – Vazante
       (Sergio Santos)
09 - Kleber Albuquerque - Xi, de Pirituba à Santo André
       (K.Albuquerque – R. Altério)
10 - Rodrigo Lessa – Patifaria
       (Rodrigo Lessa)
11 - Monica Salmaso - Estrela da manhã
       (Beto Furquim) 
12 - Walter Franco – Zen
       (Walter Franco - Maria Cristina Villaboim)



sábado, 19 de novembro de 2016

Luiz Carlos Magno - Chora coração (LP 1980)

 Chora Coração foi o último disco do cantor produzido na gravadora CBS
O nosso amigo e colaborador Aderaldo viu no blog o pedido do LP de 1980 do Luiz Carlos Magno, feito pelo internauta Zelito Silva, e me enviou o disco, que tem edição do Rubens Stone, da Comunidade MC&JG, hoje na VK. Agradeço a ambos pela colaboração. Trata-se do último álbum do artista na CBS/Sony, e foi pouco divulgado na época, tornando-se um dos mais raros de sua discografia. No e-mail, Aderaldo comenta a respeito do boato que circula na internet sobre a morte do cantor, e informa que a página em nome do artista no Facebook (aqui) traz o seguinte comunicado, postado na quinta-feira, dia 17:

“O cantor Luiz Carlos Magno está vivo e se recupera de um AVC. Há menos de 5 minutos foi passada a informação oficial por Rose Mary Silva Leal. A questão é que, quando uma notícia se espalha, ela começa de um jeito e termina de outro. Acaba distorcendo o que realmente é! Luiz Carlos Magno está bem e pede uma corrente de positividade de todos, e que em breve estará junto de todos vocês”, esclarece. Assim, ao mesmo tempo que atendemos ao pedido do Zelito, reservamos o espaço para nos unirmos nessa corrente de fé, torcendo para que o cantor se recupere e retorne logo às suas atividades. Confira o disco:

01 – Chora coração
(Antonio Rodrigues – Gil – Ademar Pinheiro)
02 – Quarto de empregada
(Graciela Corrêa)
03 – Meu eco
(Cury)
04 – N. S. Aparecida 
(Gabino - Chico Xavier - Magnus)
05 - Minh’alma triste
(Alessandro – Carlos Pedro)
06 – Uma vida de ilusão
(Luiz Carlos Magno)
07 – Estrela de cinema
(Chico Xavier – Nem)
08 – Amantes da noite
(Luiz Carlos Magno)
09 – Mambo da cantareira
(Barbosa da Silva - Eloide Warthon)
10 – Uma mão lava a outra
(Alessandro – Carlos Pedro)
11 – Noite de Moscou
(Gabino – Janjão)
12 – Um amor de verdade
(Luiz Carlos Magno)


COLABORAÇÃO: Aderaldo, com edição do Rubens Stone, da MC&JG, da VK



sexta-feira, 18 de novembro de 2016

Sueli - Brindo por ti e por mim (LP 1975)

 Primeiro LP da Sueli, lançado pela Beverly, traz o sucesso "Férias na praia"
Aqui está o primeiro LP da Sueli, lançado em 1975 pela gravadora Beverly, e que traz o sucesso “Férias na praia”. O disco veio direto da coleção do amigo Aderaldo, a quem agradeço por mais essa colaboração. A cantora, mineira de Ituiutaba, é mais um exemplo de artista que teve projeção nos anos 1970, e que atualmente pouca ou quase nenhuma informação a seu respeito e paradeiro está disponível na internet, apesar do sucesso obtido. Faixas como “Não adianta nada”, do Roberto Carlos, “Pressentimento”, do Dom (da dupla com Ravel), e “Vem”, do Marcos Roberto, entre outras, são destaques do álbum. Confira:

01 - Volte aqui (Garde-Moi Avec Toi)
(C. Morgan - V. Buggy - H. Ibach - Vs: Fred Jorge)
02 - Quando você me beija (Kiss Me)
(J. Albertini - S. Garcia - Vs: Fred Jorge)
03 - Não adianta nada
(Roberto Carlos)
04 - Meus receios
(Gilberto Reis - Luiz Prestes)
05 - Brindo por ti e por mim (Brindo Por Ti Y Por Mi)
(Mariano O. Barabino - Tormenta - Versão: Jean Pierre)
06 - Férias na praia (Ring Ring)
(B.Anderson - S.Anderson - B;Ulvaeus - N. Sedaka - P. Cody - Vs: Sérgio de Freitas)
07 - Chuva caindo  (Water Under The Bridge)
(Patricia Lawden - Vs: Fred Jorge)
08 - Pressentimento
(Dom)
09 - Vem
(Marcos Roberto)
10 - Sem perceber
(Rose Marie)
11 - Vamos passear (Tout, Tout, Tout...)
(Léo Carrier - Daniel Faure - Vs: Sônia Abreu & M. Amélia C. Manso)
12 - Volta à escola (Hey Lady Jenny)
(Renaldo Cerri - Denis Clément - Vs: Sérgio de Freitas)


COLABORAÇÃO: Aderaldo


quinta-feira, 17 de novembro de 2016

Antonio Carlos & Jocafi - Louvado seja (LP 1977)

Álbum produzido pela RCA tem participação especial do Luiz Gonzaga
 
“Louvado seja” é mais um belo disco da dupla Antonio Carlos e Jocafi, e acredito que agradará a audiência. O álbum foi lançado em 1977 pela RCA Victor, com 12 canções autorais. O LP tem como destaque a participação especial do Luiz Gonzaga, o eterno rei do baião, na faixa “Cordel”, um divertido xote que, em tempo do politicamente correto, causaria polêmica. A música conta o caso de um molecote que, na festa, rebola que nem pião. “Essa doença tem por nome androginia/ É pior que catapora e não respeita valentia”, decreta a canção. Outros destaques são as faixas “Homem é homem”, “Jesuíno galo doido”, “Bahia idos 60” e outras que farão você pedir bis. Confira:

01 - Homem é homem
(Antonio Carlos - Jocafi)
02 - Picadeira
(Antonio Carlos - Jocafi)
03 - Oxóssi Rei
(Antonio Carlos - Jocafi)
04 - Balaio
(Antonio Carlos - Jocafi)
05 - Opus 2
(Antonio Carlos - Jocafi)
06 - Jesuíno galo doido
(Antonio Carlos - Jocafi)
07 - Cordel (Participação especial de Luiz Gonzaga)
(Antonio Carlos - Jocafi)
08 - Bahia idos 60
(Antonio Carlos - Jocafi)
09 - D´Angola é, camará
(Antonio Carlos - Jocafi - Magela Cantalice)
10 - Sossego leão
(Antonio Carlos - Jocafi)
11 - Distorção
(Antonio Carlos - Jocafi - Renato Lobo)
12 - Louvado seja
(Adaptação de Antonio Carlos - Jocafi)



quarta-feira, 16 de novembro de 2016

Zé Keti & Jorge Ben - Máscara negra (EP1967)

Compacto duplo lançado em Portugal tem Zé Keti no lado A e Jorge Ben no B
 
Veja só que raro e curioso compacto duplo, de 45 RPM, lançado em Portugal pela Tecla em 1967. O disco é compartilhado entre dois artistas: Zé Keti (ou Zé Ketti, como é grafado em alguns discos) no lado A, e Jorge Ben (ou Jorge Ben Jor, como adotado posteriormente) no B. Os destaques são as faixas “Máscara negra”, grande sucesso na interpretação da Dalva de Oliveira, e “Se manda” (no Brasil foi lançado como “Si manda”). A curiosidade do EP, enviado pelo amigo Laércio, a quem agradeço, fica por conta da faixa “Menina gata Augusta”, única composição do Ben Jor com Erasmo Carlos, criada na época em que ambos dividiam a mesma casa no bairro do Brooklin, em São Paulo, onde se apresentavam no programa Jovem Guarda. Confira:

01 - Zé Keti - Máscara Negra
(Zé Keti - P. Mattos)
02 - Zé Keti -  Acender As Velas
(Zé Keti)
03 - Jorge Ben - Se Manda
(Jorge Ben)
04 - Jorge Ben - Menina Gata Augusta
(Jorge Ben - Erasmo Carlos)


COLABORAÇÃO: Laércio




Demétrius - Capa com layout original da RCA Victor

Layout original da capa do compacto simples tem tarja preta nas laterais 

A postagem anterior – o compacto simples do Demétrius – está com a capa errada. A correta é a da ilustração acima, com duas tarjas pretas nas laterais. Quando recebi o disco, enviado pelo amigo Geraldo, achei que se tratava de fita isolante, como é comum encontrar em capas antigas, desgastadas pelo manuseio e pelo tempo. Por esse motivo, e também por não conhecer o single, tomei a iniciativa de removê-la na hora da edição, apresentando a capa que não corresponde ao layout original. Não vejo a necessidade de criar um novo link para download. Quem baixou o disco pode salvar a foto acima e substituí-la na pasta. É sempre bom ter a original de fábrica. Peço desculpas a todos pelo incomodo, e também ao nosso colaborador pela minha desatenção.



domingo, 13 de novembro de 2016

Demétrius - Dia chegará (Compacto Simples - 1966)

Single foi gravado durante a primeira passagem do cantor na RCA Victor
Mais um compacto simples do Demétrius, cantor e compositor, que fez muito sucesso nos anos 1960 e 1970. O disco, lançado em 1966 pela RCA Victor, é outra colaboração do amigo Geraldo, a quem agradeço pela colaboração. O single foi produzido durante a primeira passagem do artista na gravadora, entre 1965 e 1966, vindo da Continental, onde lançou seus primeiros discos a partir de 1961, após gravar um compacto na Young em 1960. O retorno ao cast da Continental em 1967 foi marcado pelo hit “Não presto, mas te amo”, de autoria do Roberto Carlos. Lá, permaneceu até 1970, e voltou ao elenco da RCA. Este disco traz duas músicas compostas pelo cantor. Confira:

01 - O Durão
(Demétrius)
02 - Dia Chegará
(Demétrius)


COLABORAÇÃO: Geraldo



sábado, 12 de novembro de 2016

José Leão - Salve o Papai (EP 1962)

 Compacto duplo produzido pela gravadora Continental homenageia os pais
O cantor José Leão, uma das revelações do Clube do Guri, comparece mais uma vez no blog com este “Salve o Papai”, compacto duplo lançado em 1962 pela Continental, graças à colaboração do amigo Aderaldo, a quem agradeço por mais essa colaboração. O disco é ideal para postagem no Dia dos Pais, comemorado em agosto, mas vou apresentá-lo mesmo assim. Afinal, nossos pais devem ser homenageados todos os dias, independente da existência de um dia específico, provavelmente criado para alavancar as vendas no comércio. O EP, sob regência do maestro Radamés Gnatalli, se destaca pelas participações especiais do coro do Clube do Guri, Rose Valentim e Ismália da Silva Penna. Confira:

01 – Prece ao pai (Balada)
(Samuel Rosemberg - Luiz Mergulhão)
Declamação: Ismália da Silva Penna
02 – Salve o papai (valsa)
(Palmeira - J. M. Alves)
03 – Meu pai, meu bom amigo (Toada)
 (Julio Louzada - Jorge Gonçalves)
Participação: Coro do Clube do Guri
04 – Deus te abençoe (Valsa)
(Herivelto Martins - David Nasser)
Participação: Rose Valentim


COLABORAÇÃO: Aderaldo


sexta-feira, 11 de novembro de 2016

Os grandes sucessos de Barry White (LP 1982)

LP de covers foi produzido pelo selo Square, da Cia. Industrial de Discos
Um álbum bem produzido, mas que peca pela falta de informação sobre intérpretes e músicos envolvidos, é a síntese deste “Os grandes sucessos de Barry White”. Com canções instrumentais e vocalizadas, o LP foi lançado em 1982 pelo selo Square, da Companhia Industrial de Discos (CID), e traz covers de hits como “You're the first the last, my everything”, “Can't get enough of your lobe babe”, “Love's theme” e outros, além de “What am I gonna do with you?” em dose dupla. Tenho certeza que os fãs do Barry White vão curtir.

Barrence Eugene Carter, seu nome de batismo, nasceu em Galveston em 12 de setembro de 1944, e faleceu em Los Angeles no dia 4 de julho de 2003. Foi um cantor, compositor, maestro e produtor musical norte-americano. Autor de inúmeros sucessos em estilo soul e disco e de baladas românticas, Barry se consagrou como intérprete com voz profunda e grave. Criou-se no gueto negro da cidade de Los Angeles. Como outros cantores norte-americanos de sucesso, também cantou em coral de igreja na juventude. Foi um adolescente inconsequente, que acabou preso aos dezessete anos por roubar pneus. Na prisão, decidiu mudar de vida e de amigos, e se transformou num músico de sucesso. Confira:

01 - Love's theme
(Barry White)
02 - You're the first the last, my everything
(Barry White - T. Sade - P.S.Radcliffe)
03 - Rhapsody in white
(Barry White)
04 - Under the influence of love
(Barry White - Paul Politi)
05 - What am I gonna do with you?
(Barry White)
06 - Just the way you are
(B. Joel)
07 - Let the music play
(Barry White)
08 - Can't get enough of your lobe babe
(Barry White)
09 - What am I gonna do with you?
(Barry White)
10 - I'll do anything you want me to
(Barry White)



quinta-feira, 10 de novembro de 2016

Os grandes sucessos de Mike Kennedy (LP 1977)

 Coletânea do ex-vocalista do grupo Los Bravos foi lançada na Espanha
 Áudio de excelente qualidade foi ripado da fita cassete original de 1977
Lembra-se do grupo Los Bravos, que fez sucesso em 1966 com a música “Black is black”? O vocalista da banda é Mike Kennedy, que aqui comparece com seus maiores sucessos, gravados entre final dos anos 1960 e início dos 1970. A coletânea foi lançada na Espanha em 1977, mas a original da postagem é a versão em fita cassete, gentilmente enviada pelo amigo Laércio, a quem agradeço pela colaboração. O áudio é de excelente qualidade, e tomei a liberdade de montar as ilustrações para CD, baseadas na capa original. A seleção inclui desde “Black is Black” - regravada em versões francesa pelo Johnny Hallyday e portuguesa pelo Jerry Adriani -  até “Lousiana”, outro grande sucesso no Brasil em 1971, além de “La lluvia”, uma versão de “La pioggia”, do Festival de San Remo de 1969, gravada pela Gigliola Cinquetti.

Apesar de gravar em inglês e espanhol, Mike Kennedy nasceu em Berlim, na Alemanha, em 25 de abril de 1944. Michael Volker Kogel, seu nome de batismo, ainda criança mudou com a família para a Irlanda do Norte, e depois para a Espanha. Foi lá que começou suas primeiras incursões no mundo da música pop com a banda The Runaways. Em Madrid, Mike fundou o conjunto Los Bravos, ao lado dos amigos Manolo Diaz e Tony Fernandez, e obteve sucesso imediato. Após a fama, tanto na Espanha quanto em outros países, o cantor decidiu seguir carreira solo em 1969, e conseguiu emplacar vários singles (na foto acima) nas paradas de sucesso, como atesta a presente coletânea. Confira:

01 - Black is black
(S. Wadey - T. Hayes - M. Granger)
02 - Kentucky freeway
(A. Parker - A. Hawkshaw - P. Les Stirling)
03 - Que te quiero (Que je t'aime)
(Renard - Thibaut - E. Luis)
04 - La lluvia (La pioggia)
(Argenio - Panzeri - Conti - Pace - Alpin)
05 - Destiny
(J. Feliciano)
06 - I'll never forget
(J. Cameron)
07 - Louisiana
(F. Arbex)
08 - Arkansas
(J. Weston - Z. Laurence)
09 - Mother América
(F. Arbex)
10 - Bring a little lovin'
(H. Vanda - G.Young)


COLABORAÇÃO: Laércio


quarta-feira, 9 de novembro de 2016

Franc Landi - Eu queria ter você comigo (CS 1971)

 Primeiro disco do cantor Franc Landi foi produzido pela Orange em 1971
Eis que, finalmente, podemos ouvir o primeiro disco do saudoso Franc Landi, graças ao amigo Geraldo, a quem agradeço por enviar mais essa valiosa colaboração. Trata-se do raro compacto simples, lançado em 1971 pela gravadora Orange, com as músicas "Eu Queria Ter Você", composição de Odair José, e "Enquanto Eu Chorava", de Reginaldo Rossi, que também a gravou em 1969, mas com outro título, “Enquanto Eu Chorava, Você Ria” (aqui). Outro single do artista já foi postado aqui. O cantor, falecido precocemente aos 46 anos, em 27/04/1994, na cidade de Manaus, onde nasceu em 1948, ficou conhecido pelo sucesso da versão da música "Philosopher", da dupla inglesa Yellowstone & Voice, cuja versão recebeu o título de "Diga Pra Mim", postada ontem na coletânea “Era para ser uma declaração”. Além das duas primeiras gravações, o post também inclui a faixa bônus “Todo dia é sempre igual”, que eu não conhecia. Confira:

01 – Eu queria ter você
(Odair José)
02 – Enquanto eu chorava
(Reginaldo Rossi)
03 – Todo dia é sempre igual
(Faixa bônus)

COLABORAÇÃO: Geraldo



terça-feira, 8 de novembro de 2016

Vários artistas - Era para ser uma declaração (2016)

  Títulos das músicas em ordem numérica compõem uma declaração de amor
Leia os títulos das músicas desta seleção pela ordem numérica e encontrará uma declaração. O mérito desse trabalho, que exigiu tempo e paciência, além de conhecimento musical, é do nosso amigo Aderaldo, a quem agradeço por enviar mais essa colaboração. Estendo o agradecimento ao Carlos José, da Comunidade MC & JG, da VK, que gentilmente se dispôs a criar a arte gráfica do CD. O resultado, como pode ver, é brilhante. Parabéns a ambos. No repertório, com 25 faixas, canções interpretadas por artistas como Roberto Carlos, Trio Esperança, Sérgio Reis, Diana Pequeno, Jerry Adriani, Martinha e outros. Confira:

01 – Preste atenção (Fais Attention) - Giane
02 – A minha história (La Mia Storia Tra Le Dita) – José Augusto
03 – Vou lhe contar (Pushin’ Too Hard) – Wanderléa
04 – Tudo começou – Trio Esperança
05 – Quando – Bob Lin
06 – Apareceu você (Vite On Part) – Os Incríveis
07 – De repente  – Odair José
08 – A minha vida mudou – Sérgio Reis
09 – Porque me apaixonei – Fredson
10 – Apaixonado – Reginaldo Rossi
11 – Agora eu sei – Roberto Carlos
12 – Preciso de você ao meu lado (Don't Let It Die) – Mardonio Mattos
13 – Me amas? (Do You Love Me? ) – Os Superquentes
14 – Sim ou não – José Roberto
15 – Diga pra mim (Philosopher) – Franc Landi
16 – Quero saber (Quero Saber De Tu Amor) – Ed Wilson & Diana
17 – Sua – Martinha
18 – Decisão – The Brazilian Bitles
19 – Não me deixe (Don’t Ever Leave Me) – Celly Campello
20 – Sem resposta (No Reply) – The Clevers
21 – Se você disse que sim (Release me) – Jerry Adriani
22 – Serei teu bem (You've Got A Friend) – Diana Pequeno
23 – Por toda vida (My Life) – Deny & Dino
24 – É só isso que eu quero – Cléo Galante
25 – Nada mais – Waldireni 
  

COLABORAÇÃO/SELEÇÃO DO REPERTÓRIO: Aderaldo
ARTE GRÁFICA: Carlos José, da Comunidade MC&JG, da VK


segunda-feira, 7 de novembro de 2016

Ed Maciel e sua orquestra - Na onda (LP 1966)

 LP com hits dos Beatles e da Jovem Guarda foi produzido pela London
“Na onda”, álbum gravado em 1966 pelo Ed Maciel e sua orquestra, não é novidade na rede. Acho que, mesmo assim, vale a pena apresentá-lo, considerando que o meu exemplar está em bom estado de conservação. O LP, lançado pela London/EMI-Odeon, traz grandes sucessos nacionais e internacionais da época.  No repertório, canções dos Beatles ("Day tripper", "I feel fine", "Yesterday" e "Michelle") e sucessos da Jovem Guarda, como "A volta", "Les cornichons" (Deixa de banca), "I knew right away" (Um grande amor) e "La tartaruga" (A tartaruga). O LP fez muito sucesso e foi o pontapé inicial para a gravação e o lançamento de outros volumes.

O trombonista Edmundo Maciel Palmeira, seu nome de batismo, nasceu na capital mineira em 21 de janeiro de 1927. A partir de 1940 fixou residência no Rio de Janeiro, onde faleceu em 4 de agosto de 2011, e se tornou um dos músicos mais requisitados, tocando em orquestras, emissoras de rádio, televisão e em gravações de muitos discos produzidos no País. Foi arranjador e regente para os grupos de Ary Barroso e orquestra de Carlos Machado. Com sua orquestra, gravou vários álbuns e produziu discos até o final dos anos 1970. Como músico de estúdio, esteve presente nos melhores discos, gravando ao lado de outros grandes nomes, como Chico Buarque, Milton Nascimento, Luiz Gonzaga, Edu Lobo, Maria Bethânia, Marcos Valle, Miúcha e outros. Confira:

01 - Day tripper
(Lennon - McCartney)
02 - Ça serait beau (Vai ser bom)
(Frank Gerald - Richard Anthony)
03 - La bamba
(Tradicional)
04 - A taste of honey
(Bobby Scott - Ric Marlow)
05 - I feel fine
(Lennon - McCartney)
06 - Yesterday
(Lennon - McCartney)
07 - Michelle
(Lennon - McCartney)
08 - Les cornichons (Deixa de banca)
(Nino Ferrer - J, Booker)
09 - I knew right away (Um grande amor)
(Alma Cogan - Stan Foster)
10 - A volta
(Roberto Carlos - Erasmo Carlos)
11 - Lollipops and roses
(Tony Velona)
12 - La tartaruga
(Massara - Mogol)




domingo, 6 de novembro de 2016

Tony Campello - Pra sempre te adorar (EP 1963)

 EP da Odeon traz a rara versão de "I can’t stop lovin’you", hit do Ray Charles
Tony Campello marca presença no blog com este raro compacto duplo, graças a colaboração do amigo Aderaldo, a quem agradeço por enviá-lo. O disco, produzido em 1963 pela Odeon, traz como destaque a faixa “P'ra sempre te adorar”, versão do Hamilton Di Giorgio para “I can't stop loving'you”, hit do Ray Charles. Acredito que a canção só foi lançada neste disco, e não consta em coletâneas do cantor. O EP ainda tem as músicas “Não te esqueças de mim” e “Pingo d’água”, além do sucesso “Canário”, um dueto com a irmã Celly. Confira:

01 – Não te esqueças de mim (Non Ti Scordar Di Me)
(Ernesto de Curtis – K. S. Richter – Furno – Versão: Fred Jorge)
02 – P’ra sempre te adorar (I Can’t Stop Lovin’ You)
(Don Gibson – Versão: Hamilton Di Giorgio)
03 – Pingo d’água (Raindrops)
(D. Clark – Versão: Nick Savoia)
04 – Canário (Yellow Bird) – com Celly Campello
(Norman Luboff – Marilyn Keith – Alan Bergman – Versão: Fred Jorge)


COLABORAÇÃO: Aderaldo




sábado, 5 de novembro de 2016

Celly Campello - Estúpido cupido (EP 1960)

 Compacto duplo de 45 RPM foi fabricado pela Parlophone em Portugal
Este compacto duplo da Celly Campello, fabricado em Portugal pela Parlophone, é mais um daqueles discos que só interessa aos colecionadores e fãs da primeira rainha do rock brasileiro. O disco, de 45 RPM, traz quatro canções conhecidas e incluídas em várias coletâneas, com destaque para as faixas “Estúpido cupido” e “Túnel do amor”,  grandes sucessos da cantora, falecida em 3 de março de 2003. O EP, com capa ilustrada pelo cartunista Ziraldo, ainda em início de carreira, pertence ao acervo do amigo Laércio, a quem agradeço por mais esta colaboração. Confira:

01 - Estúpido Cupido (Stupid Cupid
(Neil Sedaka - Howard Greenfield - versão: Fred Jorge)
02 - The Secret 
(Joe Lubin - I. J. Roth)
03 - Túnel do Amor (Tunnel of Love
(Patty Fischer - Bob Roberts - versão: Fred Jorge)
04 - Muito Jovem (Just Young
(Lya S. Roberts - versão: Fred Jorge)


COLABORAÇÃO: Laércio




sexta-feira, 4 de novembro de 2016

Trilha sonora do seriado Dona Santa (LP 1982)

 Trilha sonora da série é executada e interpretada por Uccio Gaeta e Coro
Um prato cheio para fãs da música italiana é a trilha sonora do seriado "Dona Santa", produzido pela Rede Bandeirantes, e levado ao ar entre 1981 e 1982. O álbum, lançado em 1982 pela Fermata, contém músicas executadas pelo compositor e multi-instrumentista Uccio Gaeta, italiano radicado no Brasil, e interpretadas por seu coro. O seriado foi estrelado pela comediante Nair Belo no papel principal, e mostrou as confusões vividas por sua personagem Dona Santa, uma mulher que resolve trabalhar como motorista de táxi. A partir de então começa a atravessar inúmeras situações engraçadas pelas ruas da cidade.

Além de sua presença, o seriado contou com a participação de figuras características do humor, como Elias Gleizer (no papel do Padre Ferdenuto) e Cláudia Alencar (como Dileta). Tornou-se rapidamente um grande sucesso da TV Bandeirantes, graças a sua linguagem ágil e seu humor inteligente escrito por Geraldo Vietri e Marcos Caruso. A série, reprisada inúmeras vezes pela emissora, também marcou a estreia na TV do ator Selton Mello, ainda criança, no papel de Sidney. Antes de ser contratado pela Rede Globo, o artista participou da telenovela,"Braço de Ferro", também na Rede Bandeirantes. Confira o disco:

01 - Uccio Gaeta e coro - Dona Santa
(Juvenal Fernandes - Júlio Nagib)
02 - Uccio Gaeta - Pot-pourri:
Tarantela siciliana
(Balsamo - Walter Bisordi)
Tarantela napolitana
(Renato Giovedi)
03 - Uccio Gaeta e coro - Bella Ragazza dalle treccie bionde
(Dino Ricci)
04 - Uccio Gaeta e coro - Romaria à Nossa Senhora 
(Invocazione à Maria Santissima Di Montevergine)
(B.M. Kalambur - U. Bertini - Letra em português: Maugeri Neto)
05 - Uccio Gaeta - Mamma
(C.A. Bixio - B. Cherubini)
06 - Uccio Gaeta e coro - Ferdenuto
(Uccio Gaeta)
07 - Uccio Gaeta - Eterna vita
(Uccio Gaeta)
08 - Uccio Gaeta e coro - Uei... paesano
(Nicola Paone)
09 - Uccio Gaeta - Tu si'na cosa grande
(Domenico Modugno - R. Gigli - Letra em português: Uccio Gaeta)
10 - Uccio Gaeta e coro - Mangia, mangia che te fa bene
(Bruno Marnet - Bill Farr)
11 - Uccio Gaeta - Non ti scordar di me
(Ernesto De Curtis - Domenico Furnó - Letra castelhana: Rafaelmo)



quinta-feira, 3 de novembro de 2016

Fredson - Aniversário do meu bem (EP 1973)

 Compacto duplo de 1973 inclui a primeira gravação do cantor e compositor
Após tomar conhecimento da existência deste compacto duplo, citado na contracapa do segundo LP do Fredson, postado em meu antigo blog (aqui), o nosso amigo Aderaldo ficou curioso em ouvi-lo. Agora, após muita busca, acabou encontrando, e não pensou duas vezes em compartilhar conosco, razão pela qual renovo o meu agradecimento a ele. O EP foi lançado em 1973 pela Beverly, e traz o sucesso “Enxugue a lágrima”, além de “Até no inferno vou lhe buscar”, primeira gravação do cantor, realizada em 1969, na Caravelle, após deixar o Trio Melodia e seguir carreira solo. Confira:

01 - Aniversário do meu bem 
(Celso Castro)
02 - Até no inferno eu vou lhe buscar*
(Fredson - Erly Muniz)
03 - Enxugue a lágrima
(Carlos Roberto)
04 - Você não vai encontrar um amor igual ao meu
(Fredson)

* Na contracapa o nome da música está incompleto



COLABORAÇÃO: Aderaldo



terça-feira, 1 de novembro de 2016

As Supernovas - Pesquisa do sucesso - Vol.2 (LP 1973)

 Álbum produzido pela CID em 1973 traz a cantora Renata Lú em duas faixas
Sabe aquele disco caça-níquel, com covers dos principais sucessos do momento, gravados por banda de estúdio? Acredito que seja o caso deste segundo volume do LP d’As Supernovas, produzido pela CID - Companhia Industrial de Discos. O álbum não informa o ano do lançamento, mas acredito que é de 1973, considerando o repertório, basicamente desse período. O título “Pesquisa do sucesso” não aparece na capa e contracapa, e só está impresso na etiqueta do vinil. O destaque é a presença da cantora Renata Lú, devidamente creditada, nas interpretações das faixas “Eu bebo sim” (sucesso da Elizete Cardoso) e “Esse cara” (hit da Maria Bethânia). As demais gravações, como “Ouro de tolo” (Raul Seixas), “Do you like samba?” (Cyro Aguiar) e “Cachaça Mecânica” (Erasmo Carlos), são d’As Supernovas. Confira:


01 - A desconhecida
(F. Mendes - Banana)
02 - Eu bebo sim (canta Renata Lú)
(Luiz Antonio - João do Violão)
03 - Music and me
(J. Marcellino - D. Fenceton - M. Larson - M. Cannon)
04 - Cachaça mecânica
(Roberto Carlos - Erasmo Carlos)
05 - Vida fingida
(Carlos Pedro)
06 - Ouro de tolo
(Raulzito)
07 - Do you like samba?
(Marcelo Duran)
08 - O menino da gaita
(F. Arbex - vs: Sérgio Reis)
09 - Do you love me?
(Sharif Dean)
10 - Esse cara (canta Renata Lú)
(Caetano Veloso)
11 - Lágrimas nos olhos
(Raulzito)