Pesquisar este blog

segunda-feira, 28 de setembro de 2015

Georgie Fame - Toda menina baiana (CS 1986)

 "Samba" é uma versão em inglês de "Toda menina baiana", do Gilberto Gil
Sabe aquele disco que a gente encontra na rede, tem curiosidade de ouvir, e quando tenta baixar, descobre que o blog é daquele tipo que só ostenta e nada compartilha? Foi assim que descobri este “Samba”, single do Georgie Fame, lançado na Inglaterra em 1986 pela Chrysalis Records. Fiquei interessado pelo disco, com índios na capa, porque "Samba" é uma versão em inglês da brasileira “Toda menina baiana”, do Gilberto Gil. Pesquisei e encontrei as duas músicas do disco em vídeos no Youtube, assim como a arte gráfica em vários sites. A busca foi produtiva porque baixei duas versões da canção do Gil em remix, uma com trechos em português, carregados de sotaque, e outra gravada em inglês, com “Garota de Ipanema” e “Aquarela do Brasil” como músicas incidentais, aqui presente como faixa bônus.

Georgie Fame é um cantor britânico, cujo nome verdadeiro é Clive Powell, nascido em 26 de Junho de 1943 em Leigh, Lancashire, na Inglaterra. Ainda adolescente, fez parte dos grupos Blue Flames e Rhythm Kings, mas o sucesso viria em carreira solo. Ficou conhecido no Brasil em 1967 devido a sua participação no II Festival Internacional da Canção Popular - FIC, no Rio de Janeiro, onde obteve o IV prêmio com a música “Celebration”, de Bill Martin e Phil Coulter. A fama viria na sequência, ainda em 1967, por meio da música “The ballad of Bonnie and Clyde”, tema do filme “Bonnie and Clyde”, dirigido por Arthur Penn, com Warren Beatty e Faye Dunaway nos papéis principais. Confira o single de 1986:

01 - Toda Menina Baiana (Samba) (Mix)
(Gilberto Gil - vs: Georgie Fame)
02 - Willow King
(Georgie Fame - C.Lycett - Green)

BÔNUS

03 - Samba (Toda menina baiana) (Mix)
(Gilberto Gil - vs: Georgie Fame)
Músicas incidentais:
Garota de Ipanema
(Tom Jobim - Vinicius de Moraes)
Aquarela do Brasil
(Ary Barroso)



domingo, 27 de setembro de 2015

Morten Harket - Wild Seed (CD 1995)

"Wild Seed" é o segundo disco, e o primeiro em inglês, do vocalista do A-ha
 Álbum lançado em 1995 se destacou pela faixa "A Kind of Christmas Card"
Hoje tem A-ha no Rock In Rio. O festival comemora 30 anos, assim como a banda norueguesa, que festeja o 30º aniversário do seu álbum de estreia, “Hunting high and low”. Conheço gente que torce o nariz quando se fala na banda, por considerá-la menor. Confesso que curto muito, e até fui ao show que o grupo apresentou em São Paulo no estádio do Palmeiras em 1989. Pensei em postar um disco do trio, formado por Morten Harket (vocalista), Paul Waaktaar (guitarrista) e Magne Furuholmen (tecladista), mas constatei que boa parte da discografia está disponibilizada na rede, incluindo o CD “Cast In Steel”, que acaba de ser lançado e já baixei na Minhateca. Achei melhor postar este “Wild Seed”, segundo disco solo do vocalista Morten Harket, e o primeiro gravado em inglês, lançado em 1995. Confira:

01 - A Kind of Christmas Card
(Håvard Rem - Morten Harket)
02 - Spanish Steps
(Håvard Rem - Morten Harket - Torstein Flakne)
03 - Half in Love Half in Hate
(Ole Sverre Olsen - Morten Harket)
04 - Brodsky Tune
(Joseph Brodsky - Morten Harket)
05 - Wild Seed
(Morten Harket)
06 - Los Angeles
(Håvard Rem - Morten Harket)
07 - East Timor
(Henning Kramer Dahl - Håvard Rem - Morten Harket)
08 - Lay Me Down Tonight
(Håvard Rem - Morten Harket)
09 - Tell Me What You See
(Håvard Rem - Morten Harket)
10 - Stay
(Håvard Rem - Morten Harket)
11 - Lord
(Håvard Rem - Morten Harket)
12 - Ready to Go Home
(Andrew Gold - Graham Gouldman)



sábado, 26 de setembro de 2015

George Freedman - Coletânea especial (2015)

George Freedman, um dos pioneiros do rock, esteve na ativa até início dos anos 70
Comecei a receber queixas de amigos que não conseguem baixar alguns arquivos, especialmente as três pastas sobre "O Rádio no Brasil”, postadas ontem. O fato é isolado. Acontece com usuários do Google Chrome, que bloqueia o arquivo “porque pode prejudicar sua experiência de navegação”, conforme aviso que aparece na tela. Asseguro que o problema não está no arquivo, e nem no servidor. Está no navegador, o próprio Google Chrome, que começou nesta semana a dificultar os downloads. Tentei camuflar a pasta, zipando o arquivo duas vezes, como faz o Bugrim, do blog Só Música, e mesmo assim o problema se repete. A solução, neste caso, é baixar por outro navegador. Testei o Mozilla Firefox, que é um navegador para Internet gratuito, e baixei sem problema.

A postagem hoje é muito especial. Trata-se de uma coletânea do George Freedman, com 30 faixas, suficientes para um CD com capacidade de 80 minutos de gravação. A seleção foi montada e fornecida pelo nosso amigo e colaborador Aderaldo, a quem agradeço. O repertório inclui desde “Coisinha estúpida”, versão de “Something stupid”, principal hit da carreira, até a inédita “Século XXI”, composta pelo cantor em 2013, mesmo estando afastado da carreira artística, segundo informa a blogueira Lucia Zanetti, que apresenta a canção em vídeo (aqui) no YouTube. Além de rocks e baladas, a seleção também inclui duas marchas carnavalescas - “A jardineira” (1967) e  “Levanta o copo” (1969) - e um dueto com Waldirene na romântica "Eu te amo, tu me amas", que traz como curiosidade o backing vocal, não creditado, da Yara, d'Os Caçulas. Confira:

01 - Coisinha estúpida (Something Stupid)
02 - Eu te amo (And I Love Her)
03 - O jato (The Jet)
04 - Quando me enamoro (Quando M’Innamoro)
05 - Um grande amor
06 - Correio sentimental
07 - Eu o seguirei (Chariot) (I Will Follow Him)
08 - Canto em blue (Song Song Blue)
09 - Jambalaya
10 - Beijinho doce
11- Eu menti pra você
12 - Adivinhão
13 - Uma dúzia de rosas
14 - Olhos cor do céu (Pretty Blue Eyes)
15 - Nossa infância
16 - Cisne branco (Canção Do Marinheiro)
17 - Multiplication
18 - A jardineira
19 - Inveja
20 - Volta (Footsteps)
21 - O autógrafo
22 - Levanta o copo
23 - Só nós dois (The Night Is So Lonely)
24 - Eu te amo, tu me amas  (Noi Ci Amiamo) - com Waldirene
25 - Tudo que eu sinto por você
26 - Trevo de quatro folhas (I’m Looking Over A Four Leaf Clover)
27 - Mater seculorum (Mãe Em Todos Os Séculos)
28 - Meu tipo de garota
29 - Vá embora
30 - Século XXI (Inédita)


Acervo e seleção de repertório: Aderaldo



sexta-feira, 25 de setembro de 2015

Documento histórico - O Rádio no Brasil (2006)


História começa no festejo do centenário da independência do Brasil em 1922
Hoje, 25 de setembro, é o Dia do Rádio, data do nascimento de Roquete Pinto (1884-1954), considerado o pai do rádio brasileiro. Foi ele quem fundou em 1923 a primeira emissora do País, a Rádio Sociedade do Rio de Janeiro. Era ainda a fase experimental do veículo, sem grandes recursos tecnológicos. No entanto, a primeira transmissão radiofônica no País já havia ocorrido no ano anterior, em 7 de setembro de 1922, na comemoração do centenário da independência do Brasil. Consta que, na ocasião, uma estação de rádio foi instalada no Corcovado, no Rio de Janeiro, para o discurso do então presidente Epitácio Pessoa.

Vou comemorar a data com postagem especial, dirigida aos curiosos, profissionais da área e estudantes de comunicação. São 10 programas, produzidos pela BBC Brasil, com a história do rádio no País. Cada programa, com cerca de meia hora, traz tema específico, contendo trechos, vinhetas e depoimentos de quem faz parte dessa história. Os programas foram armazenados num box, com cinco CDs, e distribuído aos clientes, amigos e fornecedores da BBC em 2006. Não ganhei, mas um amigo me forneceu o conteúdo em mp3 de 192 kbps. Não tenho as ilustrações da caixa e dos CDs. A capa e contracapa acima são genéricas, e foram montadas exclusivamente para ilustrar a postagem. Abra os arquivos somente após baixar as três partes. Confira:

Programa 1 - Pioneiros e Desbravadores
Programa 2 - A Formação de Quadros
Programa 3 - Anos de Consolidação
Programa 4 – Radionovela
Programa 5 - Os Auditórios
Programa 6 - Esporte e Jornalismo
Programa 7 – Humorismo
Programa 8 - A TV e Seus Fantasmas
Programa 9 - Cisão FM-AM
Programa 10 - História da BBC Brasil



quinta-feira, 24 de setembro de 2015

Cleo Galanth - Ninguém pode entender (EP 1975)

 EP produzido pela Continental traz músicas compostas pelo Cleo Galanth
Os fãs de samba rock conhecem o Cleo Galanth (ou Galante, como já vi grafado em discos), e curtem o sucesso “Ah, se eu soubesse”, disponível aqui na coletânea "Rolando Rasteiro". Agora é a vez deste raro EP, lançado em 1975 pela Continental, que traz como destaque “Ninguém pode entender”. O disco é mais uma colaboração do nosso amigo Aderaldo, a quem agradeço. A propósito, ele procura pelas músicas “Eu sei que gosto de você” (1971), “Amor em 2 atos” (1971) e “Festa do povo” (1978) pra completar a discografia do Cleo Galanth. Se você tiver, basta mandar pelo e-mail do blog, que me encarrego de enviar a ele. Será uma maneira de retribuir a gentileza que ele nos concede com discos fornecidos de sua coleção. Outra dificuldade é encontrar a biografia do Cleo Galanth na rede. A única referência que encontrei foi um vídeo (aqui), de fevereiro de 2014, no qual a ex-esposa pede ajuda ao artista, que vive em casa de repouso. Desde já, torço por um final feliz, mais que merecido pela sua arte e talento. Confira:


01 - Ninguém pode entender
(Cleo Galanth)
02 - Meu tudo
(Cleo Galanth)
03 - Hei de vencer...?
(Cleo Galanth)
04 - Desse jeito não tem jeito
(Cleo Galanth)

Colaboração: Aderaldo




quarta-feira, 23 de setembro de 2015

Jane & Herondy - Recordações (LP 1981)

 Álbum se destaca pelo repertório, com temas de jazz dos anos 1940/1950
A dupla Jane & Herondy comemora 40 anos de carreira, contabilizados a partir de 1975, quando gravou o primeiro álbum, produzido pela RCA Victor, no qual se destacou o sucesso “É um problema”.  Para homenageá-la, vou postar este LP, “Recordações”, o quinto da discografia, que não chega a ser novidade na rede, tanto que tomei a liberdade de ilustrar a página com fotos da capa postada pelo blog A Saudade Não Tem Idade, que não é atualizado desde novembro de 2013, ano em que postou apenas sete discos. Fiz isso porque a capa e a contracapa do meu exemplar, que se encontram na pasta, não estão boas. A diferença é que, desta vez, o áudio foi ripado em 320 kbps. Segundo o site do casal, que festeja as quatro décadas de parceria musical com o show “O amor é sempre o amor”, este álbum é o melhor e também o preferido da dupla.

 “Muito bem elaborado, o disco tem a regência e os arranjos lindíssimos de José Paulo Soares, para uma orquestra completa!”, afirmam Jane & Herondy na página (aqui). O álbum, com temas de jazz dos anos 1940 e 1950, foi feito com o objetivo de levar os casais a dançarem em casa. Segundo eles, este foi o projeto mais caro que a RCA fez para a dupla. “Teria um grande lançamento, digno de um disco dessa importância, mas fomos surpreendidos pelo sucesso de um compacto duplo que gravamos nesse mesmo tempo, com músicas de Cascatinha e Inhana, a pedido do Chacrinha, que foi um estouro de vendas. Aí, a gravadora achou que um lançamento de porte, iria atrapalhar o sucesso desse compacto sertanejo, que se tornou a menina dos olhos do Chacrinha”, relatam. Assim, o disco chegou às lojas sem alarde e passou meio despercebido. “Até hoje, pensamos em relançar este disco, porque não existe época para ouvir boas músicas”, afirmam. Se é assim, nada melhor do que conferir:

01 - Cartas de amor (Love letters
(V. Young - E. Heyman - vs: Oswaldo Santiago) 
02 - Céu cor de rosa (Indian summer)
(V. Harbert - A. Dubin - E. Bartlett - vs: Haroldo Barbosa) 
03 - Tarde demais para esquecer (An affair to remember) (Our love affair
(Harold  Adamson - Leo McCarey - Harry Waren - vs: Alberto Ribeiro) 
04 - Quando existe amor (When I fall in love)
(V. Young - E. Heyman - vs: Nazareno De Brito) 
05 - Fascinação  
(F. D. Marchetti - Armando Louzada) 
06 - É meu destino amar (I'm in the mood for love)
(Jimmy McHugh - Dorothy Fields - vs: Oswaldo Santiago) 
07 - É tão sublime o amor (Love is a many splendored thing
(Sammy Fain - Paul Francis Webster - vs: Alberto Almeida) 
08 - Cedo para amar (Too young)
(Sylvia Dee - Sid Lippman - vs: Bruno Ferreira Gomes) 
09 - Eu vou ter sempre você (You'll never know
(Mack Gordon - Harry Warren - vs: Antonio Marcos) 
10 - Serenata ao luar (Moonlight serenade
(Parish - Miller - vs: Ariovaldo Pires) 
11 - Lua azul (Blue moon
(Richard Rodgers - Lorenz Hart - vs: Thyna) 
12 - O amor é sempre amor (As time goes by
(H. Hupfeld - vs: Jair Amorim) 
13 - Você me fez sentimental (I´m getting sentimental over you
(N. Washington - G. Bassman - vs: Oswaldo Santiago) 


FICHA TÉCNICA

Diretor de coordenação artística & Repertório nacional São Paulo: Osmar Zan
Coordenação artística & Direção de estúdio: Magno Salerno
Arranjos & Regências: José Paulo Soares
Técnicos de gravação: 
Cláudio Coev
Reinaldo Cesar de Souza
Ricardo S. Carvalheira
Walter Lima
Mixagem: Stelio Carlini
Supervisão de áudio: Gunther J. Kibelkstis
Corte: José Oswaldo Martins
Arte: Moacyr Rocha
Foto: Ramon Sanahuja
Gravação & Mixagem: Estúdios da RCA São Paulo
Base: Grupo Medusa
Arranjos vocais: Sérgio Veríssimo
Vocal: Jane & Herondy 



terça-feira, 22 de setembro de 2015

Evaldo Gouveia canta Evaldo Gouveia e Jair Amorim

 Evaldo Gouveia interpreta suas canções feitas em parceria com Jair Amorim
Vou deixar a apresentação deste LP a cargo do próprio Evaldo Gouveia em texto impresso na contracapa: “Aqui estão algumas de muitas canções que eu e Jair Amorim fizemos em momentos diferentes de nossas vidas. Um punhado delas: as conhecidas e as inéditas. Cada uma com sua história. Cada uma com um pouco de nós, de nossa alma, de nosso sangue. Resolvi cantá-las. Resolvi não é bem a palavra. Me intimaram a cantá-las, e eu cantador e seresteiro desde a minha Fortaleza, armei-me de muito amor e disposição e realizei este disco, no qual coloquei a melhor das minhas intenções. Espero que gostem, aliás, espero que prestem atenção no cantor, na sua maneira de ser, do cantor, do jeito que ele dá às melodias que são dele mesmo”.

Evaldo Gouveia só não citou – e nem precisava - que os principais artistas do nosso cancioneiro já gravaram músicas da dupla. Cantores como Altemar Dutra, Cauby Peixoto, Angela Maria, Dalva de Oliveira, Jair Rodrigues, Gal Costa, Maria Bethânia, Emilio Santiago e tantos outros compõem o rol de intérpretes de suas canções. Aqui mesmo, no blog, já foi postado um álbum inteiramente dedicado à obra da dupla. No post, já foi divulgada uma síntese de sua carreira, iniciada na cidade cearense de Iguatu, onde nasceu em 8 de agosto de 1928. A profissionalização aconteceu em 1950, quando criou com sucesso o Trio Nagô, ao lado dos amigos de boemia Mário Alves e Epaminondas de Souza. A notoriedade, porém, veio por meio de suas canções em parceria com Jair Amorim (18/07/1915 – 15/10/1993), como mostra este álbum, lançado em 1988 pela Polydisc, e que comprei autografado. Confira:

01 – Alô
02 - Alguém me disse - Tudo de mim
03 - Que queres tu de mim - Sentimental demais
04 - E a vida continua – Oferenda
05 – Livre
06 - Por pouca coisa
07 - Brigas - Somos iguais
08 - A partida - Ninguém chora por mim
09 - Bloco da solidão - O trovador
10 - O conde - O mundo melhor de Pixinguinha



segunda-feira, 21 de setembro de 2015

Juventude em embalo - Volume 7 (LP 1980)


Covers de grandes sucessos de 1979/1980 estão reunidos neste álbum
Grandes sucessos nacionais, executados à exaustão entre 1979 e 1980, estão neste sétimo volume da série Originais da Juventude, produzida pela Copacabana/Beverly. Apesar do título, as gravações não são as originais, conhecidas do grande público. O álbum, lançado em 1980, é de covers, mas os intérpretes são desconhecidos, sem crédito na Ficha Técnica. Provavelmente são profissionais contratados por job, tão bons quanto os originais. No repertório, sucessos da Gal Costa (“Balancê), Zé Ramalho (“Admirável gado novo”), Rita Lee (“Mania de você"), Moraes Moreira (“Lá vem o Brasil descendo a ladeira”) e outros. Confira:

01 - Balancê
(João de Barro - A. Ribeiro)
02 - Beleza pura
(Caetano Veloso)
03 - Admirável gado novo
(Zé Ramalho)
04 - Feira de mangaio
(Sivuca - Glorinha Gadelha)
05 - É preciso muito amor
(Noca da Portela - Tião de Miracema)
06 - Tô voltando
(Maurício Tapajós - Paulo Cear Pinheiro)
07 - Lá vem o Brasil descendo a ladeira
(Moraes - Pepeu)
08 - Frevo mulher
(Zé Ramalho)
09 - Pega eu
(Criolo Doido)
10 - Mania de você
(Rita Lee - Roberto de Caralho)
11 - Cheiro de amor
(Ribeiro - Paulo S.Valle - Duda Mendonça - Jota Moraes)
12 - Galinha da Angola
(Rubens da Mangueira - Zé do Cavaco)


FICHA TÉCNICA

Produtor fonográfico: Som Indústria e Comércio S/A
Direção artística: Luiz Mocarzel
Direção de produção: Décio Fonsi
Coordenação artística: Roberto Ramos
Regência: Wilson Mauro
Técnicos de gravação: Zilmar Araujo - Paulo Roberto - Wanderley Loureiro
Técnicos de mixagem: Paulo Roberto - Wanderley Loureiro
Técnico de corte: Jorge Emílio Isaac
Gravado nos estúdios: Dó-Ré-Mi (São Paulo)
Layout e arte: Jurandir G. Silveira

domingo, 20 de setembro de 2015

Vários intérpretes - Músika Jovem (LP 1968)

 Coletânea produzida pela Polydor traz algumas raridades da Jovem Guarda
Você sabe que, sempre quando encontro algum disco interessante na rede, não tenho pudor em repostar no blog. Faço questão, quando tenho conhecimento da fonte, de dar o crédito, e valorizar quem realmente compartilhou. A recíproca, porém, nem sempre é verdadeira, e já encontrei vários discos da minha coleção em outros blogs, sem citação da fonte. Não acho correto, mas não me importo com isso. Sei que boa parte do pessoal sabe a origem das postagens. Além disso, o que cai na rede é peixe, e todos podem pegar/pescar.

É o caso deste “Músika Jovem”, álbum lançado em 1968 pela Polydor/Philips, e postado no excelente blog Parallel Realities Music, a quem agradeço por esta joia. Além de artistas conhecidos, como Os Mutantes, Brazilian Bitles, Márcio Greyk e Ronnie Von, o disco - com áudio muito bom - traz algumas raridades da Jovem Guarda, daí a decisão de apresentá-lo no blog, mantendo o link original para download. Nomes como The Candies, Hamilton, Beatriz, Edson Gray e outros complementam a lista. Confira: 

01 – Márcio Greyck - Mundo Vazio 
(Carlos Imperial - Jorge Roberto)  
02 – The Candies - Onocé Oné Konô 
(Allan Allex) 
03 – The Brazilian Bitles - O Barqueiro 
(Fábio Block)  
04 – Hamilton - As Luzes se Apagaram 
(Hamilton)   
05 – Waner Nascimento - Eu Voltei Pra Te Falar
 (Luiz Keller) 
06 – Beatriz - Passarinho Feliz (When the red, red robin comes bob bob bobbin' along
( Harry Woods - vs: Carlos Wallace) 
07 – Os Mutantes - A Minha Menina 
(Jorge Ben) 
08 – Ronnie Von - Ele Tem Você 
(Eduardo Araujo - Chil Debarto)  
09 – Dino Meira - Pra Não Lembrar Nosso Amor 
(Dino Meira)  
10 – Edson Gray - Vem Sorrindo (When you're smiling
(M.Fisher – J.Goodwin – L.Shay – vs: Nancy Pinheiro)
11 - Ottávio Klemane - Chá - Lá - Lá 
(Ottávio Klemane) 
12 - Conjunto Norberto Baldauf - Parole (canta: Edgard Pozzer)
(Friggieri - Presttigiacomo) 





sábado, 19 de setembro de 2015

The May-Fair Set - Crying (CS 1971)

Single produzido na Bélgica em 1971 traz gravação original de "Gato e sapato"
Hoje, sábado de céu azul em São Paulo, é ideal pra curtir um disco importado. Se você gosta do grupo The Fevers, deve se interessar ou ter a curiosidade de ouvir este single de 45 RPM da banda The May-Fair Set. O disco, produzido na Bélgica em 1971, é mais uma colaboração do nosso amigo Aderaldo, a quem agradeço. O compacto simples se destaca pela música “Crying”, gravação original de “Gato e sapato”,  versão do Rossini Pinto, e incluída no LP que os Fevers lançaram em 1972. Confira:

01 - Crying
(Jan Bouwens)
02 - Never Know
(Jo Wagman - J. Vanstiphout)

Colaboração: Aderaldo



sexta-feira, 18 de setembro de 2015

A Banda do Canecão - Número 2 (LP 1968)

 Segundo álbum d'A Banda do Canecão foi lançado em 1968 pela Polydor
Aqui está um álbum para quem curte carnaval fora de época.  Trata-se deste segundo volume d'A Banda do Canecão, lançado em 1968 pela Polydor/Philips. O disco tem apenas duas faixas, uma para cada lado do disco, com 23 músicas gravadas em pot-pourri, sendo 11 no lado A e 12 no B. O repertório resgata sambas e marchas carnavalescas, incluindo clássicos como “Marchinha do grande galo”, “Pastorinhas”, “Lata d´água”, “Daqui não saio”, “Cidade maravilhosa” e outras. Segundo a Wikipedia, a banda foi formada em 1967. O conjunto foi reunido para a cerimônia de inauguração da casa de shows Canecão, no Rio de Janeiro, mas acabou tão bem aceito no meio musical que assinou contrato com a gravadora PolyGram, lançando até 1985 cerca de 20 álbuns ao vivo. Confira o segundo:

Lado 1

Margarida 
(Gutemberg Guarabyra)
Marchinha do grande galo 
(Lamartine Babo - P. Barbosa)
Can Can no carnaval 
(Carlos Cruz - Haroldo Barbosa)
Soldado de Israel 
(Luiz Antonio)
Pó de mico 
(Renato Araujo - Dora Lopes - Arildo de Souza - Nilo Viana)
Eu brinco 
(Pedro Caetano - Claudionor Cruz)
Daqui não saio 
(Paquito - Romeu Gentil)
Pastorinhas 
(João de Barro - Noel Rosa)
Apareceu a margarida 
(João Roberto Kelly - Augusto Mello Pinto)
Bigu 
(Paquito - Romeu Gentil - Sebastião Gomes)
Palhaço 
(Getúlio Macedo - Jonas Garret)

Lado 2

Samba do crioulo doido 
(Sérgio Porto)
Pra seu governo 
(Haroldo Lobo - Milton de Oliveira)
Oba 
(Oswaldo Nunes)
Tumba lê-lê 
(Francisco Netto - Nilton Neves - Jarbas Reis)
Água na boca 
(Mendes)
Lata d'água  
(Luiz Antonio - Jota Junior)
Recordar 
(Aldacir Louro - Aluisio Marins - Adolfo José Macedo)
Madureira Chorou 
(Carvalhinho - Julio Monteiro)
Eu chorarei amanhã 
(Raul Sampaio - Ivo santos)
Império do samba 
(Zé da Zilda - Zilda)
Amor de carnaval 
(Zé Keti)
Cidade maravilhosa 
(André Filho)


quinta-feira, 17 de setembro de 2015

Leno canta en castellano - La pobreza (CS 1968)

 Versão em castelhano do hit "A pobreza" foi lançada no mercado argentino
É bom informar que este single do Leno, lançado no mercado argentino, não é do meu acervo. Foi baixado na rede, e achei interessante postá-lo, pois não o encontrei disponibilizado em blog do Brasil. O disco, produzido em 1968, traz a versão do hit “A pobreza” em castelhano, e é acoplado com “Dejame en paz” (“Me deixe em paz”) no lado B. Apesar do título em espanhol, a versão de "You better move on" é em português, assim como o compacto simples lançado no Brasil. Vale destacar que “A pobreza”  - grande sucesso do cantor em carreira solo - também teve versão em italiano, intitulada  “La Povertá”, e foi incluída como faixa bônus na antologia “Aquelas canções”, lançada em 1995 pela Natal Records, selo do próprio artista. Confira a versão em castelhano:

01 – La pobreza (A pobreza)
(Renato Barros)
02 – Me deixe em paz (You better move on)
(Alexander – vs: Gileno)



quarta-feira, 16 de setembro de 2015

Vários artistas - Para lembrar The Brazilian Bitles

Grupo The Brazilian Bitles, do Rio de Janeiro, esteve na ativa entre 1965 e 1969
Coletânea reúne músicas do repertório da banda, mas com outros artistas
Se você curtiu as coletâneas “Para lembrar Os Incríveis” e “Para lembrar Carmen Miranda”, com certeza vai gostar desta “Para lembrar The Brazilian Bitles”, pois segue a mesma filosofia de incluir músicas do repertório desses artistas, mas no registro de outros músicos e intérpretes. Agradeço, mais uma vez, ao amigo Aderaldo, nosso colaborador, que teve o trabalho de selecionar e reunir as canções da coletânea. É bom destacar que nem todas as canções foram originalmente gravadas pela banda, que criou repertório variado, entre canções do grupo e versões de hits internacionais, como o sucesso "Gata" (Wild Thing), dos Troggs, além de tantas outras dos The Beatles, sua principal fonte de influência, como revela o próprio nome da banda, apesar de não se limitar apenas a beatlemania.

A banda foi formada no Rio de Janeiro em 1965, a partir do núcleo de outro grupo da época, The Dangers, em que participavam o guitarrista Vitor Trucco e o cantor e guitarrista Jorge Eduardo. Os Brazilian Bitles contavam na sua formação original com Vitor Trucco (guitarra solo e depois, baixo), Luiz Toth (bateria), Fábio Block (baixo, depois guitarra), Jorge Eduardo de Almeida (voz e guitarra-base) e Eliseu da Silva Barra, o Ely Barra (cantor e teclados). Estrearam na boate "La Candelabre", com grande repercussão na mídia. Músicas como "Dedicado A Quem Amei", "Deixe Em Paz Meu Coração" e "Cabelos Longos, Idéias Curtas" se tornaram hits radiofônicos instantâneos. Uma das principais características dos Brazilian Bitles era o seu grande humor e as cabeleiras dos seus integrantes.

Este visual, associado à juventude radiante dos seus integrantes, fez com que a banda fosse convidada a participar no cinema do longa "Rio, Verão E amor", de 1966, o primeiro filme colorido brasileiro. Na TV Excelsior do Rio, o grupo passou a apresentar o programa "BBC - Brazilian Bitles Club". O programa ia ao ar aos sábados à tarde e fez sucesso entre o público jovem carioca. Em 1966, participaram da coletânea "Os novos reis do iê-iê-iê", e no ano seguinte gravaram o LP de estreia, "É onda", ambos pelo selo Polydor, com grande sucesso. No final de 1967, lançaram seu segundo disco, "The Brazilian Bitles - Volume 2", na mesma gravadora. Neste disco, os músicos homenagearam Albert Pavão, um dos pioneiros do rock nacional, ao regravarem "Filhinho do Papai", lançada como faixa de abertura do LP, e presente nesta coletânea em sua gravação original. O álbum ainda trouxe a releitura do hit "Pára Pedro", incluindo nos arranjos instrumentos inusitados para o rock, como violas e outros instrumentos de corda.

Em 1968, é lançado o último LP da banda, "The Brazilian Bitles – Volume 3". Até 1969, The Brazilian Bitles atuou na divulgação do rock e da Jovem Guarda. Eles talvez tenham sido o primeiro grupo brasileiro a associar música e humor, como faria o Ultraje A Rigor, vinte anos depois. Eventos como a famosa "Missa do Iê-Iê-Iê" na igreja e a participação do grupo no cinema e na televisão confirmam tudo isto. Somente a versão do Rossini Pinto para o clássico "Satisfaction", dos Rolling Stones, gravada pelo grupo como "Não tem jeito", e regravada pelo Serguei nos anos 1980,  já colocaria a banda entre as mais importantes dos anos 1960, mas eles fizeram muito mais, como demonstram os três álbuns gravados e já postados em vários blogs. Confira nossa homenagem:

01 - Sayonara Show Banda – Cabelos longos, ideias curtas (Cheveux Longs Et Idées Courtes)
02 - The Supersonics – Help! (Help!)
03 - The Fevers – Não tem jeito  (Satisfaction)
04 - The MindbendersA groovy kind of love  (Faz Feliz assim)
05 - Antoine – O jogo de futebol
06 - The EqualsBaby come back (Volte, Meu Bem)
07 - Albert Pavão – O filhinho do papai
08 - Os BritosNowhere man (O Homem Só)
09 - Sérgio Reis – Para Pedro
10 - Os Vips – Obrigado querida (Thank You Girl)
11 - The Fevers – Gata (Wild Thing)
12 - Os CarbonosHold me tight (Esperando Você)
13 - Bitkids – Mary (I’ve Just Seen A Face)
14 - PeretEs preferible (Vou Dar Risadas)
15 - Augusto Righetti Non sei dritta (Day Tripper) (Qual A Razão?)

BÔNUS (INSTRUMENTAIS) 

16 - Cardinale – O barqueiro
17 - The Five - Cabelos longos, ideias curtas (Cheveux Longs Et Idées Courtes)
18 - Ed Maciel e sua OrquestraSatisfaction (Não Tem Jeito) 
19 - The Star BoysHelp! 
19 - The Pop´sDay tripper  (Qual A Razão?)
19 - The Star Boys Help! 
20 - Os Milionários – O jogo de futebol   
21 - Ed Maciel e sua Orquestra - Hold me tight (Esperando Você)
22 - The Pop´s - Day tripper  (Qual A Razão?)


Colaboração: Aderaldo


terça-feira, 15 de setembro de 2015

Dedé Badaró - Meu canto, meu samba (LP 1978)

 Cantor e compositor Dedé Badaró revela influência musical do sambista Agepê
Alguém me pediu, ainda na época do Sanduíche Musical, este LP do Dedé Badaró, intitulado “Meu canto, meu samba”, lançado em 1978 pela Copacabana/Beverly. Não o conhecia, e finalmente encontrei o álbum, com 12 canções de sua autoria, sendo nove em parceria com Wilson de Oliveira. No disco, Badaró revela que é bom sambista e compositor, e bebe da mesma fonte musical do contemporâneo Agepê, grande sucesso na época. Acredito que este é o único LP de sua discografia.

Gercino Santos, seu nome de batismo, nasceu em 31 de maio de 1953 em Candiba, na Bahia, e muito cedo foi para São Paulo, onde se consolidou como compositor. É autor de músicas como “Vai dar Namoro”, na interpretação de Bruno e Marrone,  “Negativo Positivo” gravada por Rick e Renner, “Esperando Neném” gravada por Daniel e por Luciano, entre outras canções. A mais recente, “Seca verde”, está no CD “Teorias de Raul” e no DVD “Flores em Vida”, da dupla Zezé Di Camargo e Luciano. A maioria das composições mais recentes é assinada em parceria com Chico Amado. Confira o LP:

01 - Cavalo branco
(Dedé Badaró - Wilson de Oliveira)
02 - Nina pernambucana
(Dedé Badaró - Wilson de Oliveira)
03 - Menina criança
(Dedé Badaró - Tadeu)
04 - Dia a dia
(Dedé Badaró - Wilson de Oliveira)
05 - Vai e vem
(Dedé Badaró - Wilson de Oliveira)
06 - Dona Tristeza
(Dedé Badaró - Wilson de Oliveira)
07 - Samba triste
(Dedé Badaró)
08 - Vem acalentar-me
(Dedé Badaró - Wilson de Oliveira)
09 - Leve nosso filho à escola
(Dedé Badaró - Wilson de Oliveira)
10 - Sem sentimento não tem graça não
(Dedé Badaró - Wilson de Oliveira)
11 - Hoje sou poeta
(Dedé Badaró - Wilson de Oliveira)
12 - O amanhã
(Dedé Badaró)


segunda-feira, 14 de setembro de 2015

Vários intérpretes - Sucessos originais (LP 1985)

 Álbum produzido em 1985 reúne artistas populares da gravadora Copacabana
Este LP, intitulado “Sucessos originais”, é mais uma coletânea com artistas populares do cast da gravadora Copacabana. O álbum foi lançado em 1985 e traz 11 faixas, sendo 10 com artistas nacionais e apenas uma internacional, a música "Reggae Music", interpretada pelo cantor Satch Persaud, que posteriormente passou a integrar o grupo vocal The Mamas and Papas, grande sucesso nos anos 1960 em sua formação original. No ano passado, quando o grupo se apresentou no Brasil, Satch Persaud era um dos integrantes. Entre os nacionais, os destaques são Diana, Terry Winter, Maria Alcina, Nahim, Almir Rogério, e outros. Confira:

01 - Gretchen - Le bal masqué
(Daniel Vangarde - Jeran Kluger)
02 - Satch Persaud - Reggae music
(Satch - Harold - Oliver)
03 - Terry Winter e Silvia Massari - Lovely love
(Terry Winter - John Gabriell)
04 - Os Atuais - Fim de semana
(Ivar David Costa - Reny de Oliveira)
05 - Diana - Adios amor
(Diana - Betto Baiano)
06 - Maria Alcina - Forró do rela bucho
(Luiz Wanderley)
07 - Wagner Montes - Que nem louco
(Wagner Montes)
08 - Nahim - Cantando
Mercedes Simone - Virginia Amorim)
09 - Almir Rogério - Vestido de seda
(Alcino Alves - Teodoro)
10 - Dilene - Recordações
(Luciana - Gentil Miguel)
11 - Criz Charles - O louco
(Criz Charles)




sexta-feira, 11 de setembro de 2015

Sérgio Murilo - O pequeno gastronauta (LP 1966)


Quinto LP do Sérgio Murilo no Brasil foi lançado em 1966 pela RCA Victor
Após bem-sucedida passagem na CBS (Sony), onde gravou três álbuns, sem contar os discos lançados no mercado latino, Sérgio Murilo foi contratado pela RCA Victor. Lá, gravou em 1964 o quarto LP , intitulado SM64, e já postado aqui. Agora é a vez do quinto LP – o segundo e último na gravadora,  lançado em 1966, antes de se transferir para a Continental. O álbum, mais uma raridade disponibilizada pelo amigo Aderaldo, a quem renovo agradecimento, passou despercebido pelo grande público, apesar do relativo sucesso de “O pão”. Esse registro, porém, foi ofuscado pela gravação original, do Reginaldo Rossi, autor da canção. Os destaques ficam por conta de duas versões assinadas pelo Rossini Pinto: “Ontem” (Yesterday, clássico dos Beatles) e "Não tenho ninguém" (As tears go by, hit dos Rolling Stones). Confira:

01 - O dragão 
(Rossini Pinto)
02 - O pequeno gastronauta 
(Paulo Brunner - Ivanildo Teixeira)
03 - Não tenho ninguém (As Tears Go By)
(Jagger - Richards - Oldham - Versão: Rossini Pinto)
04 - Ilusão perdida 
(Rossini Pinto)
05 - Por mim vai chorar
(Silvinha - Adelaide Chiozzo)
06 - Ontem (Yesterday
(Lennon - McCartney - Versão: Rossini Pinto)
07 - O pão 
(Reginaldo Rodrigues)
08 - Parece mentira
(Rossini Pinto)
09 - Eu te saudo madame (Je Vous Salue Madame)
(Christophe - Versão: Rossini Pinto)
10 - Ela tem que ser seu bem
(Isaías Souza)
11 - Brotinho apaixonado (I’m Gonna Get Married)
(H. Logan - L. Price - Versão: Rossini Pinto)
12 - Incurable romantic
(Sammy Cahn - J. Van Heusen)


Colaboração: Aderaldo


quinta-feira, 10 de setembro de 2015

Terezinha de Jesus - Caso de amor (LP 1980)

 Terezinha de Jesus, um talento desperdiçado, após carreira entre 1979 e 1983
A primeira vez que ouvi Terezinha de Jesus, com sua voz límpida e timbre perfeito, eu tive uma certeza: seria uma cantora de sucesso, e escreveria seu nome ao lado de grandes intérpretes, como Maria Bethânia e Gal Costa. A minha profecia não se concretizou, e Terezinha de Jesus, após cinco LPs, gravados entre 1979 e 1983, é hoje lembrada por poucos. Este álbum, "Caso de amor", é o segundo álbum da breve carreira, e foi lançado em 1980 pela Epic/CBS, hoje Sony. A música que dá título ao disco foi incluída na trilha sonora da novela “As três Marias”, da Rede Globo. O álbum se destaca pelo repertório de bom gosto, como “Alegria e a dor” e a releitura de “Qui nem jiló”, assim como o delicioso chorinho “Pra ficar me esperando”, por exemplo.

Terezinha de Meneses Cruz, seu nome de batismo, nasceu na cidade de Florânia, no Rio Grande do Norte, em 03 de julho de 1951. A partir de 1970, já residindo em Natal, passou a participar de festivais locais e regionais, e fez parte do Grupo Opção. Em seguida, seguiu para o Rio de Janeiro, onde atuou como vocalista de artistas como Tim Maia, Golden Boys, Trio Esperança, Zé Ramalho e Quarteto em Cy. Em 1978, apresentou-se no Projeto Vitrine, da Funarte, do qual resultou um compacto duplo. Depois lançou os LPs “Vento Nordeste” (1979), “Caso de Amor” (1980), “Pra Incendiar Seu Coração” (1981), “Sotaque” (1982) e “Frágil Força” (1983). O repertório é composto de choros, sambas, frevos, xotes, baiões e arrasta-pés em levada de frevo ou forró. Após relativo sucesso, Terezinha se afastou do meio artístico, e deixou em seus fãs aquele gostinho de quero mais. Confira:

01 - Tua sedução 
(Moraes Moreira – Fausto Nilo)
02 - Caso de amor 
(Wilson Cachaça – Ronaldo Santos)
03 - Qui nem jiló 
(Luiz Gonzaga – Humberto Teixeira)
04 - Acalanto 
(Mirabô – Capinam)
05 - Cidade submersa 
(Paulinho da Viola)
06 - Agradecido 
(Manduka)
07 - Alegria e a dor (Tesouro da juventude) 
(Sueli Costa – Abel Silva)
08 - Pra ficar me esperando 
(Beto Fae – Paulo Roberto Barros)
09 - Retrato da vida 
(Élton Medeiros)
10 - Vida, vida 
(Anísio Silva)
11 - Dança 
(Renato Alt – Luís Sérgio Santos)
12 - Asas 
(Fagner – Abel Silva)



quarta-feira, 9 de setembro de 2015

Dorival Caymmi - Canções praieiras (LP 1954)

 Primeiro LP do Dorival Caymmi é temático, e foi lançado pela gravadora Odeon
Já disseram que, todo blog que se preza, tem que ter um disco do Dorival Caymmi. Se é assim, vou postar o primeiro LP, apesar de não ser raro, mas vale a pena ouvi-lo. Trata-se do álbum “Canções praieiras”, lançado em 1954 pela Odeon, no qual é acompanhado apenas ao violão. O vinil é de 10 polegadas – aquele do tamanho do disco de 78 rpm – e traz algumas das melhores canções praieiras de sua autoria, com destaque para “O mar” e “A lenda do Abaeté”. O cantor, compositor, violeiro e pintor nasceu na Bahia em 30 de abril de 1914, e chegou no Rio de Janeiro em 1938, aos 24 anos. Começou a carreira em 1939, quando Carmen Miranda gravou “O que é que a baiana tem?”, e a partir daí não parou mais, conforme texto impresso na contracapa deste LP. Morreu em 16 de agosto de 2008, no Rio de Janeiro, e deixou obra digna de respeito. Confira:

01 - Quem Vem Pra Beira Do Mar
02 - O ''Bem'' Do Mar
03 - O Mar
04 - Pescaria Canoeiro
05 - É Doce Morrer No Mar
06 - A Jangada Voltou Só
07 - A Lenda Do Abaeté
08 - Saudade De Itapoã


Todas as canções são de autoria do Dorival Caymmi



terça-feira, 8 de setembro de 2015

Juventude vibrando na rota do sucesso (LP 1966)

 Álbum produzido pela Continental reúne representantes da Jovem Guarda
“Juventude vibrando na rota do sucesso” é mais um raro álbum do acervo do nosso amigo Aderaldo. Agradeço a ele e também ao Luiz Fernando, que gentilmente editou as ilustrações do LP, lançado em 1966 pela Continental. O disco é uma coletânea com representantes da Jovem Guarda, como Os Vips, Marcos Roberto, Dori Edson, Os Incríveis, Orlando Alvarado, Cyro Aguiar e Gilberto Lima. O destaque fica por conta das gravações feitas por artistas menos conhecidos, como Angelita, Orlandinho, Os Texanos, Pedro Wilson e Milton Lopes, que interpreta a versão de "And I love her", sucesso dos Beatles. Confira:

01 - Os Vips - Iá Iá ô (Old Mac Donald)
(Adaptação: Palmeira)
02 - Dori Edson - Veja se me esquece
(Dori Edson - Marcos Roberto)
03 - Angelita - O amor que a gente tem
(F. Rossi de Almeida)
04 - Gilberto Lima - Vai ser bom (Ça Serait Beau)
(Frank Gerald - Richard Anthony - vs: Sérgio Freitas)
05 - Orlando Alvarado - Tu corazon
(Orlando Alvarado)
06 - Os Texanos - Una pistola per Ringo
(E.Marricone - G.Paoli)
07 - Marcos Roberto - Fim de sonho 
(Sérgio Reis)
08 - Os Incríveis - Tua voz (Plus je t'entends)
(A.Barriere)
09 - Pedro Wilson - Aqueles beijos 
(Aznavour - Garvarents - vs: Sérgio Freitas)
10 - Milton Lopes - Eu gosto dela (And I love her)
(Lennon - McCartney - vs: Alexandre Cirus)
11 - Cyro Aguiar - A loucura das garotas
(Paulinho - Janete Adib)
12 - Orlandinho - Conselho
(Rossini Pinto)


Colaboração: Aderaldo, com imagens editadas por Luiz Fernando



sexta-feira, 4 de setembro de 2015

Música para ouvir amando - Volume 2 (LP 1975)

 
Grandes sucessos românticos compõem o repertório deste segundo volume
Aqui está, finalmente, o segundo volume da série "Música para ouvir amando", um projeto da Copacabana/Beverly. O álbum é mais uma colaboração do nosso amigo Erick, a quem agradeço, inclusive por ter disponibilizado anteriormente o terceiro volume. No repertório, alguns sucessos com os intérpretes originais, como “Aline” (Christophe), “Oh me oh my” (B.J.Thomas), “La Poupeé Qui Fait Non” (Michel Polnareff) e “I'll Never Fall In Love Again” (Dionne Warwick). Destaque para os covers de “Teach Me Tiger” (Cristine) e “Sweet Memories” (Sonny Ellington & Anabella). Confira:

01 - Christophe - Aline
(Christophe)
02 - Sonny Ellington & Anabella - Sweet Memories
(M.Newbury)
03 - The Lush String Sounds Of Dean Franconi & His Orchestra -
  Lara's Theme From Dr. Jivago
(Maurice Jarre)
04 - Nino Pagani - Una Casa In Cima Al Mondo
(P.Donaggio - V.Pallavicini)
05 - Dionne Warwick - I'll Never Fall In Love Again
(Bacharach - David)
06 - The Magnetic Sounds - Sunflower (Loss of love)
(Merril - Mancini)
07 - Cristine - Teach Me Tiger
(Nino - Tempo)
08 - B. J. Thomas - Oh Me Oh My
(Gim)
09 - Master Pop Orquestra - Tema Da Sinfonia Nº40 Em Sol Menor de Mozart (1º movimento)
(Mozart)
10 - Nino Pagani - L'Ultima Telefonata
(P.Donaggio - V.Pallavicini)
11 - Michel Polnareff - La Poupeé Qui Fait Non
(Michel Polnareff - Frank Gerald)
12 - Dom Bladey - Dream
(Johnny - Mercer)


Colaboração: Erick


quinta-feira, 3 de setembro de 2015

Vários intérpretes - Mix especial (Disco mix - 1985)

 Disco mix traz sucessos do Roupa Nova, Absyntho, Joanna e João Nogueira
Este é mais um disco mix - especial para divulgação e não disponibilizado no circuito comercial – com quatro lançamentos da RCA Victor em 1985. O disco, com capa similar ao invólucro de um compacto simples, traz quatro intérpretes: Joana, João Nogueira e os grupos Roupa Nova e Absyntho. Destaques para os sucessos “Seguindo o trem azul” e “Só a lua”, hits românticos que embalaram muitos corações. Confira:

01 - Joanna – Safado
(Renato Teixeira)
02 - Roupa Nova - Seguindo o trem azul
(Cleberson Horsth – Ronaldo Bastos)
03 - Absyntho - Só a lua
(Wanderley Pligliasco – Elias)
04 - João Nogueira - Rei senhor, rei zumbi, rei nagô
(João Nogueira – Paulo César Pinheiro)




quarta-feira, 2 de setembro de 2015

Orquestra Som Bateau ataca novamente - vol. 7

 Grandes sucessos populares estão reunidos no álbum lançado em 1973
Som Bateau ataca novamente neste sétimo volume da série, lançada em 1973 pela Polyfar, selo econômico da Polydor/Philips. A possibilidade de postá-lo deve-se ao nosso amigo Aderaldo, a quem agradeço por mais esta valiosa colaboração. O álbum, assim como os demais, reúne os grandes sucessos populares do período. Desta vez, porém, as canções foram gravadas em forma de pot-pourri, com duas músicas por faixa. No repertório, hits do Ronnie Von ("Colher de chá"), Demétrius ("Nas voltas do mundo", Odair José ("Uma vida só"), Luiz Américo ("Desafio"), Roberto Carlos ("A montanha"), Tim Maia ("Pelo amor de Deus") e outros. Confira:

01 - Colher de Chá
(Tony Osanah)
Uma Vida Só (Pare de Tomar a Pílula)
(Odair José - Ana Maria)
02 - Ninguém Irá Te Amar Mais do Que Eu
(Nelson Ned)
Amor, Amor, Amor
(Almir Rogério - Jean Pierre)
03 - Não Me Diga Adeus (Don't Say Goodbye)
(Paul Brian - Jim Saloman - Chrystian - Versão: Décio Eduardo)
O Amor Nasceu e Você Não Viu (You Are The Sunshine Of My Life)
(S. Wonder - Versão: Pobe)
04 - Ave Maria Pro Nosso Amor
(Reinaldo Romã)
Pelo Amor de Deus
(Tim Maia)
05 - Preciso de Você (I'd Love You To Want Me)
(Lobo - Versão: Fernando Adour)
Nas Voltas do Mundo
(Demétrius)
06 - Só Você (Only You)
(Ram - Rand - Versão: Julio Nagib)
O Meu Fingimento (The Great Pretender)
(Ram - Versão: Haroldo Barbosa)
07 - Como Vai Você
(Antonio Marcos - Mario Marcos)
A Montanha
(Roberto Carlos - Erasmo Carlos)
08 - Não Vou Chorar
(Evaldo Braga - Hailton Ferreira)
Domingo Feliz (Beautiful Sunday)
(D. Boone - R. McQueen - Versão: Rossini Pinto)
09 - Hey Girl
(Phillips - Duncan - Versão: Rossini Pinto)
Superman
(A. Vitalis - Haubrich - Versão: Rossini Pinto)
10 - Parabéns, Parabéns Querida
(Claudio Fontana)
Tanto Amor Jogado Fora
(Cézar - Jean Pierre)
11 - Aventuras de Don Juan
(Adelino Moreira)
India
(J. A. Flôres - M.O. Guerrero - Versão: José Fortuna)
12 - Desafio
(Luiz Américo - Bráulio de Castro - Clóvis de Lima)
Hino do Flamengo
(Lamartine Babo)


Colaboração: Aderaldo


terça-feira, 1 de setembro de 2015

Metrô - Olhar (Tudo pode mudar) - (1985)

Álbum lançado pela Sony Music em 1985 inclui grandes sucessos do grupo 
Reparei que, nos últimos dias, começou a aumentar a demanda pelo CD 'Déjà Vu', lançado pelo grupo Metrô em 2002 e postado aqui em outubro de 2012. Não foi preciso pesquisar muito pra descobrir o motivo: a banda, que fez imenso sucesso nos anos 1980, está anunciando sua volta, após 30 anos de afastamento do show business, em sua formação original, com Virginie, Alec Haiat, Yann Lao, Zavie Leblanc e Dany Roland. A banda alcançou as paradas de sucesso com os hits “Beat Acelerado”, “Olhar”, " Johnny Love ", “Tudo Pode Mudar”, "Sândalo de Dandi" e “Ti Ti Ti”, que foi tema de abertura de novela global. Pra relembrar os bons momentos do grupo, vou postar este “Olhar”, LP lançado em 1985 e relançado em CD nos anos 1990. Confira:

01 – Olhar
(Vicente França – Yann)
02 - Cenas obscenas
(Yann – Alec – Leo Jaime – Leoni – Metrô)
03 - Johnny Love
(Alec – Yann – Joe)
04 - Sândalo de dândi
(Alec – Yann – Tavinho Paes)
05 – Melodix
(Alec – Metrô)
06 - Beat acelerado (versão II)
(Yann – Vicente França – Alec)
07 - Tudo pode mudar
(Joe – Ronaldo Santhos)
08 - Hawaii-Bombay
(J.M. Cano – Adapt. Fernando Naporano)
09 – Solução
(Alec – Wagner Gomes – Metrô)
10 – Stabilo
(Alec – Angelo Palumbo)
11 - Que loucura!
(Alec – Yann – Zavier)
12 – Ti ti ti
(Rita Lee – Roberto de Carvalho)