Pesquisar este blog

Carregando...

sábado, 29 de junho de 2013

Os Kandomblés - Juventude Super (LP 1968)

Grupo Os Kandomblés apresenta em 1968 grandes sucessos da Jovem Guarda
Este “Juventude Super”, gravado pelo grupo Os Kandomblés e lançado pela SBA em 1968, atende ao pedido do Willians. O post não é do meu acervo. Eu baixei o disco há muito tempo na rede, provavelmente de algum blog hoje desativado, ou talvez do SoulSeek ou Emule. Lamento por não dar o crédito. O fato é que a pasta original do disco, ripado em 160 kbps, veio apenas com o áudio. A imagem da capa, aqui apresentada, está disponível na rede, mas infelizmente em baixa resolução.  A contracapa é uma produção do blog pra ilustrar a postagem. Segundo consta, o grupo Os Kandomblés foi formado em 1968 no Rio de Janeiro, e gravou mais um compacto pela Caravelle, como Os Candomblés, segundo informa o amigo Druca. Infelizmente não tenho mais informações sobre a banda e seus componentes. Confira:

01 - Tributo a Martin Luther King
02 – Coisinha estúpida (Something stupid)
03 – Você fala demais
04 – Te amo
05 – Está pra nascer
06 – See you in September
07 – Só vou gostar de quem gosta de mim
08 – Pensando nela (Bus stop)
09 – Minha empregada
10 – Lágrimas de rapaz
11 – Vem quente que estou fervendo
12 – Yê yê yê é Kandomblé

quarta-feira, 26 de junho de 2013

Ensaio com Eduardo Araújo e Sylvinha Araújo

Álbum traz áudio do programa exibido em 2007 pela TV Cultura de São Paulo
Aproveito a homenagem póstuma feita ontem a Sylvinha Araújo e a estendo com o áudio da sua participação, ao lado do marido Eduardo Araújo, no Programa Ensaio, exibido em 2007 pela TV Cultura de São Paulo. Trata-se de uma das últimas exibições da cantora na TV, falecida em 25 de junho de 2008, que ao lado do marido interpreta grandes sucessos da Jovem Guarda. Curiosamente, Sylvinha dispensa os hits da carreira e canta sucessos da Wanderléa (“É tempo do amor” e “Pare o casamento”), Roberto Carlos (“Custe o que custar”) e Moacyr Franco (“Suave é a noite”). O repertório inclui duetos com o marido, que interpreta sucessos como “Vem quente que estou fervendo”, de sua autoria ao lado do Carlos Imperial - a quem desfila um rosário de elogios - e “O bom”. Vale destacar que, por se tratar de gravação ao vivo, com diálogo, o CD deve ser gravado sem interrupção entre as faixas. Confira:

01 - Eduardo Araújo - Vem quente que estou fervendo
02 - Eduardo Araújo - Entrevista sobre Vem quente que estou fervendo
03 - Eduardo Araujo - Entrevista sobre Carlos Imperial
04 - Eduardo Araújo - Pot-pourri (Chuá-chuá - De papo pro ar - Maringá)
05 - Eduardo Araujo - Entrevista sobre os pais
06 - Eduardo Araújo chama Sylvinha
07 - Eduardo Araújo & Sylvinha - Meu primeiro amor - Feche os olhos - Menina linda
08 - Eduardo Araújo & Sylvinha - É tempo do amor - Lobo mau - Pare o casamento
09 - Eduardo Araújo & Sylvinha - Eu sou terrível - Festa de arromba
10 - Sylvinha – Entrevista
11 - Sylvinha - Fala sobre Custe o que custar
12 - Sylvinha - Custe o que custar
13 - Sylvinha - Entrevista sobre jingles
14 - Sylvinha - Entrevista sobre Moacyr Franco
15 - Sylvinha - Suave é a noite
16 - Eduardo Araújo - Entrevista sobre Geraldo Vandré
17 - Eduardo Araújo - O Bom


terça-feira, 25 de junho de 2013

Sylvinha Araújo - Pra toda a geração (LP 1971)

Álbum lançado pela Odeon traz as regravações de "Paraíba" e "Risque"
Parece que foi ontem, mas há exatos cinco anos o cenário musical brasileiro ficou mais pobre com a partida da cantora Sylvinha Araújo, a Silvinha, que iniciou a carreira profissional em 1967. A artista faleceu no hospital 9 de Julho, em São Paulo, aos 56 anos, em 25 de junho de 2008, vítima de um câncer de mama, doença com a qual conviveu 12 anos. Em homenagem póstuma, para que seja sempre lembrada pelo enorme talento, segue o LP de 1971, o terceiro da discografia iniciada na gravadora Odeon. Este é o álbum que trouxe a regravação da música “Paraíba”, de Luiz Gonzaga e Humberto Teixeira, que na época lhe rendeu comparações até com a cantora Janis Joplin. O registro foi feito originalmente em 1970 num compacto simples com a música “Canto de reis”, aqui presente como faixa bônus. Outra regravação é “Risque”, clássico do Ary Barroso. O disco, com forte influência da soul music, também traz “Você já morreu e se esqueceu de deitar”, do Roberto e Erasmo Carlos, além de composições do marido Eduardo Araújo e de outros autores. Confira:

01 - Você já morreu e se esqueceu de deitar
(Roberto Carlos – Erasmo Carlos)
02 - O que fazer pra te esquecer
(Zapatta)
03 - Estou pedindo baby
(Eduardo Araújo – Carvalho)
04 - Deixa o cinza desse inverno passar
(Tom – Dito)
05 - Pra toda a geração
(Eduardo Araujo)
06 – Paraíba
(Humberto Teixeira – Luiz Gonzaga)
07 – Risque
(Ary Barroso)
08 - Seu amor ainda é tudo pra mim
(Eduardo Araújo – Carvalho)
09 - Leve a vida
(Pancho – Marcelo Gastaldi)
10 - Nossos filhos serão pais
(Eduardo Araújo)
11 - É minha opinião
(Eduardo Araújo – Carvalho)
12 - Canto de reis (Bônus)
(Eduardo Araújo - Carlos Imperial)

segunda-feira, 24 de junho de 2013

Tony Fraga - Não te esquecerei (CS 1967)

Tony Fraga, cantor e compositor gaúcho, desenvolve carreira na área de jingles
Hoje vou apelar para o que chamo de material de gaveta, ou seja, aquele disco pronto pra ser postado em emergência. Ajuda a poupar tempo quando se tem muito trabalho. É o caso deste compacto simples, lançado em 1967 pela Chantecler, do cantor e compositor gaúcho Tony Fraga. A música “Não te esquecerei” fez sucesso e o credenciou a lançar outros discos. Segundo reportagem de janeiro deste ano, divulgada pelo site bahdigital, Tony Fraga está com 64 anos, e residiu por quase três décadas em São Leopoldo, onde tinha casa de shows, e agora leva uma vida sossegada em Dois Irmãos, também no Rio Grande do Sul.

Casado há 44 anos, é pai de três filhos, tem netos (“perdi a conta de quantos”) e um bisneto.
De acordo com a reportagem, sua ligação com a música “continua com a produção de jingles para comerciais e inclusive campanha política. E, por falar nisso, vale citar o último êxito de Tony Fraga: é dele o jingle da campanha vitoriosa da primeira prefeita de Dois Irmãos, Tânia Terezinha da Silva. Em outras palavras, o sucesso pode vir de muitas formas". Confira o single:

01 – Não te esquecerei
(Tony Fraga)
02 – Foi melhor assim
(Tony Fraga)

domingo, 23 de junho de 2013

The Terribles - Brasa Quatro (LP NCV 1967)

Disco traz Sonia Melo interpretando sucessos da Wanderléa e Martinha
No último dia 17, data em que foi postado o primeiro volume da série Jovem Guarda Oculta, o grupo uruguaio The Innocents (Los Inocentes) foi citado no comentário do nosso amigo Druca, sempre rico em informações. Segundo ele, a banda foi uma das contratadas pelo produtor Nílton Cerqueira Vale (daí a sigla NCV) para gravar em 1967, sob o pseudônimo The Terribles, o álbum “Genial Universal Sound”. A série, iniciada no ano anterior, teve cinco volumes – quatro pelos selos Itamaraty (o 1º e o 2º, 1966), Hot News (o 3º, 1967) e NCV (o 4º e o 5º, 1967). Os três primeiros – Brasa, Super Brasa 2 e Brasa 3 – são, na realidade, The Fevers, sob pseudônimo.

Dois dias depois desse comentário, o Toque Musical, site do amigo Augusto, coincidentemente postou o quarto volume da série, o único cuja identidade dos músicos ainda é desconhecida. Achei interessante a oportunidade pra repostá-lo. Não vejo problema em “pegar carona” no post de outros blogs, pois dou o crédito, e mantenho o link pra download. O interessante no repertório deste quarto volume é a participação especial da Sonia Melo (hoje Sonia Mello) nos vocais de “Prova de fogo” e “Eu te amo mesmo assim”, sucessos da Wanderléa e Martinha, respectivamente. O problema, a partir de agora, é identificar a banda, uma tarefa que deixo em suas mãos e ouvidos. Confira:

01 – Era um garoto que como eu amava os Beatles e os Rolling Stones
(Migliacci – Lusini – vs: Os Incríveis)
02 – Aquela garota linda (She´s a woman)
(Lennon – McCartney – vs: Cleudir Borges)
03 – Prova de fogo (Vocal: Sonia Melo)
(Erasmo Carlos)
04 – O telegrama (Western union)
(M. Raben – N. Ezell – vs: Rossini Pinto)
05 – Anna
(Alexander)
06 – Deixe o tempo passar
(Niquinho – Othon Russo)
07 – Só eu e você (There’s a kind of hush)
(Les Reed – Geoff Stephens – vs: Lilian Knapp)
08 - I’m a believer
(Neil Diamond)
09 – Eu te amo mesmo assim (Vocal: Sonia Melo)
(Martinha)
10 – Caramelo (Mellow yellow)
(Donovan Leitch – vs: Roberto Carlos)
11 – Maria, carnaval e cinzas
(Luiz Carlos Paraná)
12 – O caderninho
(Olmir Stocker)

FonteToque Musical

sábado, 22 de junho de 2013

El-Son 7 - Brasília jovem... (LP 1968)

"Brasília jovem" é o álbum produzido pela primeira gravadora da capital em 1968
Conheci o grupo El-Son 7 por meio do YouTube e vi que o álbum gravado pela banda em 1968 foi recentemente postado no blog Parallel Realities Studio. Tomei a liberdade de repostá-lo aqui por achar que este “Brasília Jovem” merece destaque maior, e vou manter o link original para download.   Trata-se de disco histórico. “É o primeiro produzido em Brasília, gravado num estúdio de Brasília, por técnicos e por um conjunto de Brasília. (...) É, pois, mais do que uma simples experiência: é o ingresso de Brasília num campo ainda virgem na capital da República”, escreve Barbosa Gonçalves na contracapa. A gravadora, com a etiqueta PR-Studio,  é uma iniciativa de Paulo Raymundo, que “abre perspectivas e alarga horizontes para a juventude musical de Brasília”. O El-Son 7, grupo pioneiro entre as bandas brasilienses de rock, já era consagrado na nova capital quando gravou este disco.  É formado por Elson (sax tenor), Luiz Carlos (bateria), Mozart (guitarra), Castro (contra-baixo), Wilson (órgão), Marcos e Taky (crooners). Confira:

01 – Love is a many splendored thing
(Webster – Fain)
02 – This boy
(Lennon – McCartney)
03 – Eu te amo, te amo, te amo
(Roberto Carlos – Erasmo Carlos)
04 – My dream
(Buck Ram)
05 – O milionário
(Mike Maxfield)
06 – Fascinating rhythm
(George e Ira Gershwin)
07 – Live for life
(Francis Lai – Gimbel)
08 – Ode to Billy Joe
(B. Gentry)
09 – Não valho o que choras por mim
(Breazinha - Oetaqui – Lúcia)
10 – Samba de rei
(Pingarilho – M. Vasconcelos)

sexta-feira, 21 de junho de 2013

Vários artistas - Jovem Guarda Oculta Vol.5 (2013)

Quinto volume da série reúne raridades e faixas exclusivas da Jovem Guarda
Finalmente, com esta postagem, encerro a série Jovem Guarda Oculta, coletânea de cinco volumes com boa parte do áudio extraída de vídeos do YouTube. Não é o caso da faixa “Eu vou botar pra quebrar”, com a Sylvinha Araújo, que editei de um pot-pourri e a transformei em faixa única, exclusiva pra coletânea. Outra exclusiva é “Eu sou terrível”, segunda versão reduzida do original incluído no repertório do quarto volume dessa série. Uma curiosidade é "Letkiss", do primeiro compacto da banda The Fevers, gravado em 1965 pela Philips, mas o repertório também traz muitas raridades, com as gravadas por Carlos Imperial, Os Gatões, Inês, Dircelene, Helen e Betty, Lup e Loy, Eles, e outros. O problema está na qualidade do áudio, que oscila entre uma faixa e outra porque originou de diversas fontes. Confira:

01 - Sylvinha Araújo - Vou botar pra quebrar (Versão alternativa exclusiva)
02 - The Silver`s Young - Eu sou terrível (Versão alternativa exclusiva 2)
03 - Osvaldo Nunes - Deixa o meu cabelo em paz 
04 - Os Gatões - Vivo feliz
05 - Os Espaciais - Deixei de te amar
06 - Inês - Não é preciso ser feliz
07 - Som Beat - Sou timido assim
08 - Dircelene - Uni duni te
09 - Carlos Imperial - Brotinho sem juízo
10 - Sonny Delane - Nossas botas foram feitas para andar
 (These boots are made for walking)
11 - Os Tremendões – Soraya
12 - Sonia Mello - Broto legal
13 - Os Belgas - Quando eu tiver
14 - As Oncinhas - Noite Fria
15 - Helen e Betty - Se você continuar assim
16 - The Strangers – Derrubada
17 - Os Apaches - Proud Mary
18 - Lup e Loy - A cegonha 
19 - Eles - É o amor 
20 - The Fevers – Letkiss



quinta-feira, 20 de junho de 2013

Vários artistas - Jovem Guarda Oculta Vol. 4 (2013)

Seleção traz "Here is the blue jeans”, primeiro rock instrumental gravado no País
O quarto e penúltimo volume da série  Jovem Guarda Oculta reúne áudio de várias fontes. A maior parte é de vídeos postados no Youtube. Os três primeiros volumes concentram músicas do canal da Tropicalia Discos, que também é uma das fontes neste repertório que inclui até faixas de discos postados no blog, como são os casos da Orquestra Os Modernistas, Maurice Monthier e sua grande orquestra e Biriba Boys. O destaque é a faixa “Here is the blue jeans”, com The Blue Jeans Rockers, apontada como o primeiro rock instrumental gravado no País em 1958. Consta que o disco do selo Tiger não foi lançado, e desconheço o motivo. Formado em 1956, The Blue Jeans Rockers, com Lafayette no piano, foi o embrião do futuro grupo Luizinho e Seus Dinamites. A seleção é encerrada com “Eu sou terrível”, com a desconhecida banda The Silver`s Young, na versão original e na íntegra disponível na rede. Confira:

01 - The Blue Jeans Rockers (Lafayette) -  Here is the blue jeans 
02 - Orquestra Os Modernistas - Papa oom mow mow
03 - Os Cleans -  Chick a boom
04 - Gracindo Junior - Liberdade para as borboletas
05 - Os Espaciais - Volta ao mundo (pot-pourri)
06 - Aurea - Adeus 
07 - Maurice Monthier e sua grande orquestra - Eu já nem sei
08 - Biriba Boys - Happy together
09 - Carlos Lee - Pequeno sertão de porcos e leitões
10 - Os Cardeais - Retrato de um homem sozinho 
11 - The Strangers - Canto de ossanha
12 - Os Nucleares - Era tudo que eu queria
13 - The Guanabeats - Você vai perder seu bem 
14 - El-Son 7 Love is a many splendored thing
15 - Solange Maria - Nunca mais eu voltarei 
16 - Os Apaches Stormy
17 - The Beatniks -  Era um rapaz que como eu, amava os Beatles e os Rolling Stones 
18 - Os Baobás - Bye bye my darling
19 - Os Atômicos - Asa branca
20 - The Silver`s Young - Eu sou terrível (Versão completa original)

quarta-feira, 19 de junho de 2013

Vários artistas - Jovem Guarda Oculta Vol.3 (2013)

Terceiro volume inclui versão editada da música "Eu sou terrível" em letra original
Como se pode notar, o acervo da Tropicalia Discos é imenso, e acredito que não cometo erro em reuni-las na coletânea porque o áudio já está disponível na rede e pode ser baixado por qualquer um. O mínimo que devo fazer é dar o crédito a quem é de direito e agradecê-lo pelas postagens. Todas as faixas dos três primeiros volumes são de áudios extraídos do canal no YouTube da loja virtual Tropicalia Discos, como já informei. A única exceção é a faixa “Eu sou terrível”, com The Silver`s Young, também do YouTube, que abre o repertório. A gravação original, disponível na rede, é longa, e editei duas versões reduzidas, sem prejudicar a letra original da música. A primeira é a que aparece aqui, e a segunda estará no quinto e último volume. A original, na íntegra, faz parte do repertório do próximo/quarto volume.  Confira o terceiro:

01 - The Silver`s Young - Eu sou terrível (Versão alternativa exclusiva 1)
02 - Os Espaciais - Walk don't run
03 - The Strangers - Um tiro no escuro
04 - Os Falcões - The more I see you
05 - Os Atomicos - Lady Madona
06 - Os Apaches - Nobody but me
07 - BeatniksGloria
08 - El-Son 7 - Ode to Billy Joe
09 - Ruy Felipe - Lugar desconhecido
10 - Os Baobás - Pintada de preto
11 - Os Belgas - Baby por favor
12 - Os Diagonais -  Vou procurar o sucesso 
13 - Os Espiões - Pense um pouquinho só em mim
14 - The Jones - Hey mina
15 - The Victor's – Ciclone
16 - Som Beat - My generation
17 - Os Tremendões - A primeira vez
18 - Zakiel'60 - Eleonor Rigby
19 - Os Nucleares - Eu só quero o seu carinho
20 - Os Bandeirantes -  A praça

Fonte:

http://www.youtube.com/user/tropicaliadiscos?feature=watch
http://tropicaliadiscos.com.br/


terça-feira, 18 de junho de 2013

Vários artistas - Jovem Guarda Oculta Vol.2 (2013)

Todas as faixas da coletânea são do canal da Tropicalia Discos no Youtube
Não é por acaso que boa parte dos artistas reunidos neste segundo volume também está presente no primeiro da série Jovem Guarda Oculta. Todos os áudios são da mesma fonte, o canal da Tropicalia Discos (aqui) no YouTube, a  quem agradeço pelas postagens. A seleção é repleta de raridades e traz algumas curiosidades, como o cover de “Pensando nela”, sucesso dos Golden Boys, na interpretação de Os Falcões, e as instrumentais de “Lar doce lar”, hit do Renato e seus Blue Caps, com Os Bandeirantes, e “Esqueça”, do Roberto Carlos, com Os Infernais de Marília. Outra curiosidade é “Os carecas são demais”, uma versão de “A hard day's night”, dos Beatles, com Os Carecas, uma das faixas mais conhecidas do repertório.

Segundo nosso amigo Druca, que prontamente enriqueceu a postagem de ontem - o primeiro volume da série - com importantes informações sobre artistas da coletânea, o The Innocents era um conjunto uruguaio com passagem pelo Brasil em meados dos anos 1960. Na época, foi uma das bandas usadas pelo selo NCV a gravar LP sob o pseudônimo The Terribles (isso aconteceu com The Fevers e outros). O grupo "The Innocents" é o do LP intitulado "Genial", em 1967. As duas faixas, presentes no primeiro e segundo volumes, são de um compacto Polydor.

Almir Duarte, primo de Erasmo Carlos que até participou do filme inacabado "SSS contra a Jovem Guarda", com Roberto Carlos, Wanderléa e outros, fez sucesso como Almir Ricardi. Gravou a música "Raça" em dueto com Erasmo, por exemplo. Os Falcões, Os Panteras, The Victor's e, ainda, The Love's (que não se encontra na seleção) fizeram parte de um festival de música jovem (salvo engano, no Paraná) e lograram os 4 primeiros lugares, dando-lhes o direito de gravar e dividir espaço no LP "Festival do Iê Iê Iê", lançado em 1967 pela Chantecler. As faixas desses grupos nesta seleção são desse citado LP. Por sua vez, Os Carecas eram uma dupla que, na contramão da moda, à época, apresentavam-se com as cabeças raspadas. Confira:

01 - Almir Duarte - O durão 
02 - Carlos Lee - Tudo que é bonito foi dito 
03 - Embalo R - Sonho de paz 
04 - Os Bandeirantes - Lar doce lar
05 - Os Cardinais - Onde estará você
06 - Os Falcões - Pensando nela (Bus stop)
07 - Os Espaciais - A garota que me quer
08 - Ricardo Alan - O raptor (com The Brazilian Tiger)
09 - The Brazilian Bitles - Dedicado a quem amei
10 - Os Nucleares - Apolo Zero
11 - José Luiz - Até logo, como vai 
12 - Os Belgas - Preciso de ajuda
13 - Os Carecas - Os carecas são demais (A hard day's night)
14 - Os Diagonais - Você vai saber 
15 - Os Espiões - O trem
16 - Roberto Rei - Na onda do jacaré
17 - The Innocents - Adorável Lola
18 - Zakiel'60 - Eu viver só, não sei
19 - Carlos Cirilo - Pra mim é castigo (com Os Jorpan's)
20 - Os Infernais de Marília - Esqueça

Fonte:
http://www.youtube.com/user/tropicaliadiscos?feature=watch
http://tropicaliadiscos.com.br/


segunda-feira, 17 de junho de 2013

Vários artistas - Jovem Guarda Oculta Vol.1 (2013)

Coletânea reúne raridades e obscuridades do rock brasileiro dos anos 1960
O YouTube é um excelente canal de comunicação. A gente encontra e assiste um pouco de tudo na hora que desejar. Já encontrei vídeos com áudios de raros discos, que provavelmente não encontrarei com facilidade por aí, e não perco a oportunidade de guardá-los em minha coleção. Pra organizá-la, montei essa coletânea intitulada “Jovem Guarda Oculta”. O título é o que menos interessa porque é mais um entre outros com registros do rock dos anos 1960. Boa parte do áudio é do Youtube, ou seja, foi extraída de vídeos postados por diversas fontes. Entre elas se destacou o canal da Tropicalia Discos, que usa o Youtube (aqui) como canal de divulgação da venda de discos de sua loja virtual (aqui), disponibilizando parte da sua coleção ao público. Os três primeiros volumes desta série de cinco são de áudios da Tropicalia Discos, a quem agradeço e dou o devido crédito. Confira:

01 - Roberto Rei - Vou deslizar
02 - Almir Duarte - À noite eu perturbo  (Strasera mi butto)
03 - Os Espaciais - Era um garoto que como eu amava os Beatles e os Rolling Stones
04 - Os Falcões - Namoradinha de um amigo meu
05 - Os Carecas - O homem das cavernas
06 - Os Panteras - O Chorão
07 - Carlos Lee - Bem alegre, porém moderada 
08 - Beatniks - Eu te encontro (In the country)
09 - Ricardo Alan - Nem mesmo o céu (com The Brazilian Tiger)
10 - The Brazilian Bitles - A menina, as bombas e o escuro
11 - Marcos Moran - Não interessa 
12 - Os 5 Jotas - O boi
13 - Os Atômicos - Eu te amo, te amo, te amo
14 - The Innocents - Acredita-me
15 - Os Cardinais - Tomara que ela quebre a cara
16 - Suzy Darlen - Vivo sonhando
17 - Itamar Dias - Diga que sim (com The Baby's)
18 - Carlos Cirilo - Coração sofredor (com Os Jorpan's)
19 - Monny - Tudo o que eu tenho
20 - The Victor's - Você me faz chorar

Fontes:
http://www.youtube.com/user/tropicaliadiscos?feature=watch
http://tropicaliadiscos.com.br/

domingo, 16 de junho de 2013

Sherman's Group - Gelo na moringa (LP 1970/71)

Álbum do Sherman's Group foi produzido pela Equipe no início dos anos 1970
Sherman’s Group? Alguém conhece? Fiz uma rápida pesquisa na rede e só descobri outro disco do grupo, de número EQAC-5019, produzido pela Equipe, assim como este, de número EQAC-5024, e sem o ano do lançamento. Não conheço o álbum anterior, mas tudo indica que é de 1970, se considerar o repertório, formado por músicas como “Candida”, “Lookin’ out my back door”, e “I'll be there”.  Se assim for, este “Gelo na Moringa” pode ser do mesmo ano de 1970, ou de 1971, no mais tardar.  O interessante, neste disco, é a apresentação das músicas sem intervalo entre as faixas. A separação entre uma música e outra é feita por vinheta no início de cada faixa. Na edição, achei melhor separá-las, mas deixei na pasta as versões na íntegra dos lados 1 e 2 do vinil. A banda, de procedência desconhecida, merece ser ouvida. Confira:

01 - Someday we'll be together
(Beaver – Bristol - Fuqua)
02 - Rainy night in Georgia
(Tony Joe White)
03 - Up the ladder to the roof
(V.Dimirco – F.Wilson)
04 - Come back baby
(Dillard Crume)
05 - Signed sealed delivered in yours
(S.Wonder – L.Garret – S.Wright – L. Hardaway)
06 - Band of gold
(R.Dunbar – B. Wayne)
07 - Hey there lonely girl
(E.Shuman – L. Carr)
08 – ABC
(The Corporation)
09 - Save your love for me
(Dillard Crume)
10 - Call me
(A.Franklin)

quinta-feira, 13 de junho de 2013

Adriana - Viver é ter você pra mim (1989)

Disco mix para divulgação traz a versão do hit "The greatest love of all"
Pensei duas vezes antes de me decidir por postar este disco mix da Adriana. Trata-se de exemplar exclusivo da RGE para divulgação em 1989. As duas músicas são conhecidas, fizeram sucesso, e estão como bônus no repertório do disco “Haja coração”, postado aqui no blog. Ou seja, se você baixou o álbum, não deve se preocupar porque se tratam dos mesmos registros. O que interessa aqui é a curiosidade de mostrar a bela capa, em preto e branco, com imagem da cantora que remete às grandes estrelas da era de ouro de Hollywood, e as ilustrações do disco. A postagem deve interessar apenas aos colecionadores. Se é o seu caso, confira:

01 - Eu te amo
(Eduardo Lages – Paulo Sérgio Valle)
02 - Viver é ter você pra mim (The greatest love of all)
(Michel Masser – Linda Creed – Márcio Monteiro – Marcos Monteiro – Carlos Duarte – Cláudio Bocca)


quarta-feira, 12 de junho de 2013

Vários intérpretes - Preferência popular vol. 3 (1982)

Grandes sucessos populares de 1982 estão reunidos neste disco da RCA Vik
Preferência Popular, como o próprio título sugere, é uma coletânea de hits populares. Este terceiro volume - o único que possuo da série de tamanho desconhecido - foi lançado em 1982 pela RCA Vik, e reúne registros de famosos, como Francisco Cuoco, Moacyr Franco, Lilian, Nilton César, Sérgio Reis e Carmen Silva. Uma curiosidade é a tentativa da Jane & Herondy de repetir o sucesso de “Não se vá”, primeiro hit da dupla, com esta “Não me deixe”, da mesma fonte musical do grande sucesso do casal. O álbum também oferece Adrianno com seu único hit, “A força do amor”, da Isolda, e nomes igualmente esquecidos, como Márcio José, Juanita, Cláudio di Moro, Rino Mari e Leila. Confira:

01 - Moacyr Franco – Pedágio
(Moacyr Franco)
02 - Jane e Herondy - Não me deixe
(Fabio Marcel – Thyna)
03 - Leila - Promessas eternas
(Renato Barros – Rodrigo)
04 - Márcio José - Muito além do arco-íris (Over the rainbow) (part.esp.Valéria de Andrade)
(E.Y.Harburg – Harold Arlen – Sebastião Ferreira da Silva – Arhur Moreira)
05 - Cláudio di Moro - Pra te amar outra vez
(Meirecler)
06 - Juanita - Nunca estive comigo (I've never been to me)
(R.Miller – K.Hirsch-Plinta)
07 - Ricardo Braga - Nosso amor se acabou (Mas não acabou o mundo)
(Montevillas – Dallaverde)
08 - Adrianno - A força do amor
(Isolda)
09 - Lilian - Frente a frente
(Manoel Alejandro – Ana Magdalena – Lilian Knapp)
10 - Francisco Cuoco - Soleado (Todo o tempo do mundo)
(Zacar – Adapt. Ray Girado – Versos e adapt. Hélio Matheus)
11 - Carmen Silva - Festa dos arrombas
(Hélio Rocha – Daniel Santos)
12 - Rino Mari - Canção de amor e fé (Con una cancion a flor de labios)
(Palito Ortega – Rino Mari – Carbery – Dikonne)
13 - Nilton Cesar - Meus direitos
(Alcymar Monteiro – Zé Orlando)
14 - Sergio Reis - Boiadeiro errante
(Teddy Vieira)

terça-feira, 11 de junho de 2013

Gilberto Barros - Vivendo só de amor (LP 1991)

Segundo LP do Gilberto Barros tem participações do Sérgio Reis e As Marcianas
Muita gente conhece o apresentador e locutor Gilberto Barros, também conhecido por “Leão”, mas nem todos sabem que ele também é cantor. Eu, pelo menos, não sabia, confesso. Gravou sete discos, entre os quais este segundo LP em 1991, conforme o site do artista. No disco, lançado pela Copacabana, ele conta com as participações especiais do Sérgio Reis e da dupla As Marcianas. Nascido no interior de São Paulo, na cidade de Piracicaba, o apresentador começou a sua carreira na Rádio Difusora de Lucélia, passou por Lins, onde cursou a Faculdade de Engenharia, enquanto trabalhava paralelamente na Lins Rádio Clube. Mais tarde, tornou-se apresentador da Rede Globo, trabalhando ao mesmo tempo em emissoras de rádio de Bauru (Bauru Rádio Clube - da Rede Bandeirantes e a Terra Branca).

Em 1987, mudou-se para São Paulo, onde foi contratado pela Rádio Globo, com seu programa líder de audiência no horário. Convidado pela TV Record, passou a apresentar o programa "Disque-Record", programa jornalístico que lidava com os problemas diários da população de São Paulo e região. Depois foi convidado a apresentar o programa "Cidade Alerta", e o fez durante alguns meses, até assumir o comando do programa "Leão Livre”. Depois foram lançados os programas "Quarta Total" e "Domingo Show", ainda na TV Record. Em 2002, o apresentador deixou a emissora, lançou o livro "Você já abraçou seu filho hoje?" pela Editora Gente, e foi contratado pela Rede Bandeirantes, onde estreou o programa “Sabadaço” e posteriormente o "Boa Noite Brasil". Até agosto de 2008 comandou o programa “A Grande Chance!”. Assim como o título da atração, quem sabe agora é a hora de ganhar sua aprovação como cantor. Confira:

01 – Obsessão
(Julio Cesar – Rodrigo Otávio – Beto Ferreira)
02 - Eu quero te fazer um carinho
(Elias Muniz – G.B.Filho)
03 - Ponta de faca
(Neneo)
04 - Vivendo só de amor
(G.B.Filho – João Viola)
05 - Entrego os pontos
(G.B.Filho – César Augusto)
06 - Única saída
(G.B.Filho – João Viola)
07 - O milagre do ladrão (Part. esp. Sérgio Reis)
(Léo Canhoto – Zilo)
08 - Por um beijo seu (Part. esp. As Marcianas)
(G.B.Filho – João Viola)
09 – Esqueci
(Carlos Randall – Dimarco)
10 - Depois que você partiu
(G.B.Filho – Edson Carlos)
11 - Mulher da caminhoneiro
(G.B.Filho – W.Ribeiro – G.Mau Mau)
12 - Menino inteligente
(Elias Muniz – G.B.Filho)

sexta-feira, 7 de junho de 2013

Heróis do Dia - Traçado a giz (LP 1988)

Heróis do Dia surgiram no início dos anos 1980 no boom das bandas de Brasília 

“Porque você não vê
Não há como vencer
Anule o seu voto
Pois nada vai mudar
Vamos pra rua
Protestar pra valer
Não fique aí parado
Eles não pensam em você
PDS – PCB – PMDB – PT pra você
PDS – PCB – PMDB – ah, vai se foder
No fim de tudo isso
Seu voto não valeu
Você foi enganado
E seu partido se fodeu”.

Os versos acima são de “Partido”, música que fecha este álbum dos Heróis do Dia (HD), e decidi destacá-los porque lamentavelmente retratam meu pensamento atual sobre os partidos políticos. Eu só não concordo com o último verso ("E seu partido se fodeu") porque o correto é trocar o “se” por “te”, uma vez que o único prejudicado neste país da roubalheira política é o pobre eleitor, nunca o partido, que sempre encontra um jeitinho de se dar bem com as malditas alianças, um câncer em nossa sociedade. Minha crítica não é ao atual governo, que é mais um, mas a todos de maneira geral, independente do partido, porque é tudo farinha do mesmo saco. Ando tão enojado dessa raça que na última eleição fiz algo que sempre condenei: anulei meu voto. Nunca imaginei que um dia faria isso porque defendia a ideia de que devia participar da importante missão de escolher meus governantes. Enfim, fui contra os meus princípios, mas não estou aqui pra falar de política. Apenas aproveitei a oportunidade pra desabafar.

Este é o primeiro álbum do grupo, surgido no boom das bandas de Brasília, no início dos anos 1980. “O disco, que traz canções desde o tempo em que o grupo se chamava Gestapo, ainda carrega resquícios de uma época mais panfletária, mas os caminhos da poesia, hoje, estão levando o disco”, informa o folheto encartado. De fato, a banda surgiu na época em que o regime militar dava os últimos suspiros. A banda foi formada no início de 1986, quase um ano após o fim da ditadura, com a fusão de dois grupos, o Burguesia Decadente e o Gestapo. A estreia da banda aconteceu em 21 de março de 1986 no antigo Teatro Galpão. A banda definitiva era formada por Marcelo Salomon (bateria), Luiz Montoro (guitarra), Nelson Dantas (Guitarra), Marcos Jacob (vocal) e Marcelo Lagos (baixo e vocal). Todas as 10 faixas do LP são de autoria dos cinco integrantes na foto acima.

Segundo o encarte, o disco foi gravado em 1987, e retrata o trabalho dos músicos nos últimos anos. Nele, há três músicas do tempo do Gestapo: “Problemas”, “Pais ditadores” e “Partidos”. Esta última, citada no início do texto, aparece aqui na sua versão original e, por isso, foi censurada para radiofusão e execução pública. As outras músicas vieram com a formação do HD. Esse disco ainda teve uma versão ao vivo, que pode ser degustada no site (aqui) da banda. Por sorte, o exemplar do disco que tenho veio acompanhado do material de divulgação, que adicionei na pasta com o áudio. Após três anos na estrada do underground, com apresentações em Brasília, São Paulo e Rio de Janeiro, o grupo chegou ao fim. Confira o álbum:

01 - R.I.P (Rest In Peace)
02 - Pros que babam
03 - Crepúsculo de Cubatão
04 - Pais ditadores
05 – Problemas
06 - Apertando Maria
07 - Horizonte perdido
08 - Nossos jovens
09 - Profissão de sábio
10 – Partidos

Todas as músicas são de autoria de Salomon, Jacob, Dantas, Montoro e Lagos.

FICHA TÉCNICA

Produção executiva – Elétric Produções
Produção – Eduardo Zero e HD
Mixagem – Eduardo Zero
Engenheiros de gravação – Jay Bateman, Luiz Montoro e WLA
Capa e contracapa (Logotipos e desenho) – Itamar de Freitas
Encarte – Itamar de Freitas e HD
Textos – Marcos Jacob
Fotos – Rogério Quintão
Teclados em “Horizonte perdido” – Jay Bateman
Gravado e mixado nos Estúdios Camerati, em Santo André – SP – entre setembro e novembro de 1987


quinta-feira, 6 de junho de 2013

Silvio Brito - Esse louco apaixonado (LP 1987)

Álbum de 1987 tem a participação especial do conterrâneo Milton Nascimento
Silvio Brito se destacou no cenário artístico nacional em meados dos anos 1970
Aqui está um interessante álbum do Silvio Brito, figura carimbada no blog, com resumo de sua carreira já apresentada aos visitantes. Este disco de 1987 tem pelo menos uma curiosidade: a participação especial, mesmo que pequena, do Milton Nascimento na faixa “Ponta de areia”, do próprio Milton em parceria com Fernando Brandt. Quem os conhece não deve se surpreender porque Silvio e Milton foram criados na mesma cidade, Três Pontas, em Minas Gerais, e devem se conhecer de lá porque são contemporâneos. O disco também tem a participação especial de Kelly, sobre quem nada posso informar. Confira:

01 - Outra metade
(Silvio Brito - Carlos Rocha - Toni Borba)
02 - Essa guerra fria
(Abner Nascimento - Carlos Rocha - Flavio Augusto)
03 - Esse louco apaixonado
(Carlos Rocha - Silvio Brito)
04 - Só por amor (part. esp. Kelly)
(Silvio Brito - Carlos Rocha - José Fernandes)
05 - Pra ser feliz
(Flavio Augusto - Carlos Rocha - José Fernandes)
06 - Nos becos da vida
(Ademir Martins - Carlos Rocha - Silvio Brito)
07 - A saudade me mandou
(Chico Anisio - Johnson Barbosa)
08 - Minha princesa
(Abner Nascimento - Carlos Rocha)
09 - Pedra de atiradeira
(Abner Nascimento - João Boamorte)
10 - Pela janela
(Renato Teixeira - Beto Ruschel)
11 - Ponta de areia (part. esp. Milton Nascimento)
(Milton Nascimento - Fernando Brandt)

quarta-feira, 5 de junho de 2013

Wanderléa canta en castellano (CS argentino)

Wanderléa interpreta dois hits românticos em compacto simples de 1968
Ao longo da carreira, com pouco mais de 50 anos, a aniversariante Wanderléa recebeu inúmeros títulos, entre os quais o de “Rainha da Juventude”. Coincidência ou não, o fato é que sua jovialidade permanece até hoje, não só na aparência saudável, mas também na forma de se apresentar - bonita, ousada, sem nunca cair na vulgaridade, e ainda referência de moda. Hoje, sem precisar provar nada a ninguém, a eterna Ternurinha goza de enorme prestígio. Nem sempre foi assim. Na época da Jovem Guarda, quando experimentou o ápice do sucesso, os críticos a massacravam e apostavam que sua carreira teria vida curta, ignorando o ousado trabalho que desenvolveu nos anos 1970, recentemente resgatado num box com cinco CDs. Erraram feio, como se pode ver, pois até hoje é muito requisitada para se apresentar na TV e em shows por todo País. Em homenagem por mais um aniversário, com votos de muita saúde, vou postar este single argentino, lançado em 1968, com dois grandes sucessos gravados em castelhano e ainda inéditos em CD. Confira:

01 – Yo ya no se (Eu já nem sei)
(Roberto Correa – Sylvio Son)
02 – Fue asi (Foi assim) (Juventude e Ternura)
(Ronaldo Correa – Renato Correa)

Grandes sucessos de Erasmo Carlos (LP 1988)

Álbum de 1988 privilegia os grandes sucessos da época da Jovem Guarda
Hoje, Dia Mundial do Meio Ambiente, é também a data de aniversário do Erasmo Carlos e da Wanderléa, principais representantes da Jovem Guarda. Pra homenageá-los, farei duas postagens. A primeira é este “Grandes sucessos de Erasmo Carlos”, lançado originalmente em 1971 pela Premiere e relançado em outras oportunidades, como este em 1988 pela RGE. O álbum é muito legal por reunir os grandes sucessos do Tremendão, um artista de quem sou fã. O disco é apenas uma parcela da sua obra, pois cobre apenas a fase da Jovem Guarda, sendo que a partir dos anos 1970 desenvolveu trabalho primoroso, passeando por todas as vertentes da MPB, haja vista as inúmeras parcerias firmadas ao longo da carreira com artistas de vários segmentos. Sei que estou sujeito a críticas, mas a verdade é que curto mais o Erasmo do que o Roberto, excelente intérprete, mas artisticamente estagnado com seu romantismo e a mesmice de sempre. Deixo aqui os meus parabéns ao Erasmo enquanto você curte o disco:

01 - Sentado à beira do caminho
(Roberto Carlos - Erasmo Carlos)
02 - A carta
(Raul Sampaio - Benil Santos)
03 - A pescaria
(Erasmo Carlos - Roberto Carlos)
04 - Festa de arromba
(Erasmo Carlos - Roberto Carlos)
05 - Cuide dela direitinho (Treat her right)
(Roy Head - Vers Erasmo Carlos)
06 - O caderninho
(Olmir Stocker)
07 - Gatinha manhosa
(Roberto Carlos - Erasmo Carlos)
08 - O bilhetinho
(Raul Sampaio - Benil Santos)
09 - Vem quente que eu estou fervendo
(Carlos Imperial - Eduardo Araujo)
10 - O Tremendão
(Marcos Roberto - Dori Edson)
11 - Você me acende (You turn me on)
(Ian WhitCoumb - Vers Erasmo Carlos)
12 - O pica-pau
(Renato Barros - Lilian Knap)

Diretor artístico - Hélio Costa Manso


terça-feira, 4 de junho de 2013

Vários intérpretes - Ligou é sucesso (LP 1982)

Álbum do selo Play reúne sucessos populares do início dos anos 1980
Um prato cheio pra quem gosta de música popular é este segundo volume do álbum “Ligou é sucesso”. Pela ilustração da capa – telefone e radinho de pilha – já podemos notar que é do tempo em que a tecnologia não estava tão avançada, com recursos da internet e do celular, por exemplo. O disco foi lançado em 1982 pelo selo Play, provavelmente da RCA Victor, e reúne artistas do calibre de Amado Batista, Ovelha, Gilliard, Julia Graciela, José Luiz, Fábio Jr e outros. Uma das curiosidades é o Gilberto Santamaria em carreira solo. Pra quem desconhece, ele foi integrante do excelente grupo vocal Os Caçulas, grande sucesso no final dos anos 1960. Gilberto Mingrone, seu nome de batismo, nasceu em 1951 e morreu ainda jovem, em 1990. Confira:

01 - Gilliard - Jogo aberto
(Gilliard)
02  - Julia Graciela - Eu sou aquela
(Gabino – Julia Graciela)
03 - Nilton Cesar – Marcas
(Roberto Leal – Márcia Lúcia)
04 - Ovelha - Te amo... que mais posso dizer (More than I can say)
(Sonny Curtis – Jerry Allison – vs: J. Oliveira)
05 - Márcio Greyck - O travesseiro
(Cury – Fatha – Carlos Pedro)
06 - Franco Carlos - Minha namorada
(Jean Garfunkel)
07 - Gilberto Santamaria - Só pra soprar
(Sérgio Sá)
08 - Fábio Junior - Seu melhor amigo
(Guilherme Lamounier)
09 - Lilian - Frente à frente (Sorrows)
(Manoel Alejandro – Ana Magdalena – vs: Lilian Knapp)
10 - Ricardo Braga - Atriz principal
(Ricardo Braga – Marcelo Duran)
11 - Amado Batista - Quem vai morrer sou eu (Está morrendo um coração)
(Edelson Moura)
12 - Paulo Henrique - O palhaço (Benjamin de Oliveira)
(Arthur Moreira – Sebastião Ferreira da Silva)
13 - José Luiz - Tenho medo (Ai coração)
(Gabino – Julia Graciela)
14 - Fruto da Terra - Alegria rasgada
(Joãozinho – Emilio Carlos)

segunda-feira, 3 de junho de 2013

Os Incríveis - Corinthians (Compacto simples - 1977)

Single em homenagem ao time paulista é um dos mais obscuros da banda
Finalmente consegui o compacto simples de 1977 do grupo Os Incríveis, lançado em 1977 pela RCA Victor, com as músicas “Corinthians” (um dos mais raros registros da banda) e “Isso é a felicidade”, já presente em outros discos. O meu interesse pelo obscuro single é apenas para ter em minha coleção. Certamente não estará novamente em meu toca-discos, pois não sou corinthiano, apesar da postagem no blog de uma coletânea (aqui) com músicas em homenagem ao time de São Paulo. Faço isso sem nenhum preconceito ou constrangimento porque esporte é entretenimento, diversão e arte. Tenho certeza que muita gente, mesmo avessa ao “timão”, vai baixar o disco pra tê-lo em coleção. Confira:

01 – Corinthians (Nosso time será sempre o campeão)
(Zé Marcio)
02 – Isso é a felicidade
(Palito Ortega – Wagnésio)

Coordenador artístico – Tony Campello
Arranjador – Daniel Salinas


domingo, 2 de junho de 2013

Os Incríveis - Os sucessos das paradas (LP 1979)

Repertório do grupo Os Incríveis em 1979 é formado por sucessos de terceiros
Em 7 de julho de 2011, no SanduícheMusical, meu blog anterior, postei o compacto simples do grupo Os Incríveis, lançado em Portugal, com duas músicas extraídas do álbum “Os sucessos das paradas”, de 1979. Na ocasião, o amigo Recruta divulgou nos Comentários o link para baixar o LP, que eu não tenho, postado por outro amigo, o Wilton, na Comunidade MC&JG, do Orkut, onde viria a participar a convite de ambos logo na sequência. O link original, infelizmente, não está mais ativo no servidor, e recebi pedido de um anônimo para postá-lo no blog. Não tenho o hábito de responder e de atender a anônimos por motivos já expostos no blog, mas achei interessante disponibilizá-lo porque representa oportunidade para postar na sequência um raríssimo single da banda.

O post original veio apenas com a capa em baixa resolução. Agora, adicionei na pasta as ilustrações – capa, contracapa e selos originais do disco - fornecidas pelo amigo e colaborador Aderaldo, já conhecido no blog. Pra quem não sabe, foi ele quem ofereceu, entre outros títulos, a excelente coletânea “Jovens tardes de domingo”, postada logo abaixo.  Esta postagem, portanto, é resultado da somatória de esforços e colaboração dos três amigos citados, todos da comunidade, aos quais renovo os meus agradecimentos. Este disco, lançado na era das discotecas, é um caça-níquel da gravadora, e nem está entre os meus preferidos da talentosa banda, mas vale a pena conhecê-lo, nem que seja por curiosidade. Confira:

01 - Nave da esperança (In The Navy)
(J. Morali - H. Belolo - V. Willis - Vs: Noeli Santisteban)
02 – Para esquecer
(Daniel Cabuche - Lilian)
03 – Às vezes tu, às vezes eu (A Veces Tu, A Veces Yo)
(Julio Iglesias – Cecília – Vs: Fernando Adour)
04 – Sou rebelde (Soy Rebelde)
(M. Alejandro – Vs: Paulo Coelho)
05 - Fé
(Roberto Carlos - Erasmo Carlos)
06 - ACM (Y. M. C. A.)
(J. Morali - H. Belolo - V. Willis – Vs: Paulo Idelfonso - W. Benatti)
07 – O preto que satisfaz
(Gonzaga Jr.)
08 – Paraíso bonito (Too Much Heaven)
(Barry Gibb - Robin Gibb - Maurice Gibb – Vs: Isabel  Maletta - Paulo Idelfonso)
09 – O amor nasceu (Born To Be Alive)
(Patrick Hernandez - Vs: Noeli Santisteban)
10 – Le freak
(N. Rodgers - B. Edward )
11 - Pai
(Fábio Jr.)
12 - Smile
(Chaplin - Turner - Parsons )
13 - Amigo
(Roberto Carlos - Erasmo Carlos)
14 – Noites de verão (Summer Nights)
(Warren Casey - Jim Jacobs – vs: Paulo Idelfonso)

Colaboração coletiva: Recruta, Wilton e Aderaldo, da Comunidade MC&JG, do Orkut