Pesquisar este blog

Carregando...

sábado, 22 de dezembro de 2012


Coral da Escola de Música Sacra - A História do Natal

Disco da Escola de Música Sacra do Colégio Bennett tem cânticos e citações bíblicas
Todos conhecem a história do Natal, data de nascimento do menino Jesus, mas você já a ouviu por meio da narração das Sagradas Escrituras  e dos cânticos tradicionais? A oportunidade é oferecida neste compacto simples, sem ano do lançamento, dos corais da Escola de Música Sacra do Colégio Bennett, do Rio de Janeiro. O disco, dirigido por Alberto W. Ream e produzido pelo Centro Áudio-visual Evangélico (Cave), foi gravado com orquestra de cordas e corais da escola.

Aproveito o post para desejar a todos um Feliz Natal e um ano com muita saúde e grandes realizações. Vou dar uma pausa no blog e só retorno em 2013. Até lá, e incorpore o espírito natalino ouvindo a verdadeira história do Natal. Sintonize:

01 - Oh! Vem Emanuel! (Século 13)
.....  Pequena Vila de Belém (Redner)
.....  Quem é o infante? (Melodia Inglesa)
.....  Eis dos anjos (Mendelssohn)
02 - Repousa tranquilo (Melodia brasileira)
.....  Estrela benfazeja (Ream)
.....  Traze a tocha (francês)
.....  Vinde, cantai! (Handel)

FICHA TÉCNICA

Organistas: Joice Wills, Marjorie Traxler e Ceila Nize Pinheiro
Tenor: Aluízio de Moraes
Violinista: Nicanor Teixeira
Narradores: Hora Diniz Lopes e Aury C. Wallerstein Pacca
Direção: Alberto W. Ream


sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

Mie Nakao - Amigos apenas (do II FIC - CS 1967)

Mie Nakao interpreta bossa nova no II FIC e grava iê-iê-iê no lado B do single
Tá a fim de economizar US$ 100? Então baixe este single da Mie Nakao, a graciosa cantora da foto acima em capa meramente ilustrativa, pois este é o valor cobrado por ele no Ebay. O disco tem significado para a história da nossa música porque a cantora representou o Japão em 1967 no II Festival Internacional da Canção Popular (II FIC), promovido pela TV Globo e realizado no Rio de Janeiro. O compacto, lançado pela RCA, traz o registro ao vivo no festival de “Amigos apenas”, uma bossa nova feita pra agradar o público brasileiro e pela qual a cantora (ou a música) foi premiada.  A interpretação é em japonês, apesar do rótulo com títulos em português e inglês. Mie Nakao poderia ter aproveitado sua passagem pelo Brasil  e se apresentar também no programa Jovem Guarda pra cantar “Pretty little baby”, o iê-iê-iê que gravou no lado B do compacto. Confira:

01 - Amigos apenas (Just friends) - do II FIC - (ao vivo)
..... (K. Hattori – K. Katakiri)
02  - “Pretty little baby
..... (P.Baker – B. Bernie - S. Silvers)

Vários intérpretes - O Ídolo é a Inspiração (2012)

Coletânea reúne 20 músicas compostas em homenagem a artistas nacionais e internacionais
O amigo e colaborador Vlademir Ferreira, lá da Comunidade MC & JG, do Orkut, a quem agradeço, montou e mandou pro blog uma coletânea de músicas feitas em homenagem a vários artistas. Roberto Carlos, comprovando a posição de rei, é foco em sete das 20 canções que inclui "Barra limpa", de 1967, um dos primeiros tributos ao rei e também o disco de estreia da cantora e compositora Martinha. O próprio Roberto Carlos homenageia dois amigos - Erasmo Carlos em "Amigo" e Caetano Veloso em "Debaixo dos caracóis dos seus cabelos". O Tremendão, por sua vez, presta homenagens a Tim Maia (amigo de infância) e Bob Nelson (um dos primeiros ídolos). A trilha ainda traz homenagens a Elvis Presley, Paulo Sérgio, Beatles, Evaldo Braga, Jimi Hendrix e Robert Johnson. Confira:

01 - Roberto Carlos - Amigo (Homenagem a Erasmo Carlos)
02 - Erasmo Carlos - Tim (Homenagem a Tim Maia)
03 - Tony Lemos - Recordações (Homenagem a Elvis Presley
04 - Ed Carlos - Roberto meu amigão (Homenagem a Roberto Carlos)
05 - Paulo Moraes - Tributo a Paulo Sérgio (Homenagem a Paulo Sérgio)
06 - Roberto Carlos - Debaixo dos caracóis dos seus cabelos (Homenagem a Caetano Veloso)
07 - Wanderley Cardoso - Beatles (Homenagem aos Beatles)
08 - José Augusto - Prelúdio para um  rei (Homenagem a Roberto Carlos)
09 - Rogério - Eu Relembro Elvis Presley (Homenagem a Elvis Presley)
10 - Erasmo Carlos - A Lenda de Bob Nelson (Homenagem a Bob Nelson)
11 - Chico da Silva - Convite a Roberto Carlos  (Homenagem a Roberto Carlos)
12 - Carlos Alexandre - Revelação De Um Sonho (Homenagem a Evaldo Braga)
13 - Martinha - Barra limpa (Homenagem a Roberto Carlos)
14 - José Orlando - Roberto é o Rei (Homenagem a Roberto Carlos)
15 - Os Incríveis - Adeus amigo vagabundo (Homenagem a Jimi Hendrix)
16 - Maurilio Costa - Recordações de um ídolo (Homenagem a Evaldo Braga)
17 - Flávio Guimarães - Balada de Robert Johnson (Homenagem a Robert Johnson)
18 - Paulo Ricardo - Como se fosse a primeira vez (Homenagem a Roberto Carlos)
19 - Rogério - O rei se foi (The king is gone) - (Homenagem a Elvis Presley)
20 - Sérgio Sampaio - Meu pobre blues (Homenagem a Roberto Carlos)

Colaboração: Vlademir Ferreira, da Comunidade MC & JG, do Orkut

quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

Sueli - Princesa do Pontal (LP Copacabana - 1978)

Álbum lançado pela Sueli na Copacabana também inclui músicas compostas pela cantora

Estou surpreso com a procura pela coletânea da cantora Sueli, que em apenas 24 horas de postagem saltou para o mais popular do blog. Eu esperava, baseado na enorme torcida em festa, que esse desempenho aconteceria com a postagem com a seleção de músicas sobre o Corinthians, mas tudo indica que logo mais sairá da lista dos 10 mais acessados. Aqui está, pra deleite dos fãs,  mais um álbum da Sueli, lançado em 1978 pela Copacabana, intitulado a “Princesa do Pontal”, uma colaboração do amigo Aderaldo, da Comunidade MC & JG, do Orkut, a quem agradeço mais uma vez pelo despreendimento e generosidade. O post tem dois links, um com o original do áudio, e outro com as imagens. Confira:

01 – Que será, será (Whatever Will be Will be)
….. (Jay Livingston – Ray Evans – vs: Nadir Corte Real)
02 – Canção da paz (I wrote a song – sing along)
(Bobby Goldsboro – J.L.Santigosa – VS: Deymos)
03 – Passeio na praia
..... (Mauro Celso)
04 – O desencontro
..... (Sueli – Rony)
05 – Chegará a hora de você também amar
..... (Deymos – Jessie)
06 – Princesa do Pontal
..... (Clayton)
07 – De pernas pro ar
..... (Carlos Cézar – Alexandre Círus)
08 – Tudo bem
..... (Jerry Wilson – Sueli)
09 – Fantasia
..... (Sissi – Sueli)
10 – Venha me buscar
..... (Clayton)
 
Colaboração: Aderaldo, da Comunidade MC & JG, do Orkut



Norimar - Gatinha borralheira (CS RCA - 1967)

Cantora Norimar, descoberta pelo compositor Adelino Moreira, gravou o primeiro disco em 1967
Quem baixou o mais recente volume, o oitavo, da série "Jovem Guarda Obscura", conheceu a Norimar interpretando "Gata borralheira", uma música do compositor Adelino Moreira, quem a lançou profissionalmente. Volto a postá-la, agora acompanhada do lado B do single lançado em 1967 pela RCA, atendendo ao pedido de um “Anônimo” da Comunidade MC & JG, do Orkut, da qual faço parte. Aproveito a oportunidade pra informar aos amigos visitantes que não costumo responder e nem atender aos pedidos dos anônimos. Gosto de saber a quem estou me dirigindo, e não importa se o nome ou apelido é verdadeiro. Quero apenas uma identidade, e acho que tenho esse direito, mesmo entendendo que cada um se apresenta como quer na rede.

A solicitação do amigo da Comunidade – que permanece mais ativa do que nunca, contrariando a idéia de que o Orkut já morreu – é acompanhada do pedido de outra música de single postado na coletânea. Informo que a canção solicitada está programada para outro volume da série. É só aguardar. Este compacto é postado isoladamente por causa da capa, que traz a foto da intérprete, desconhecida do grande público. Na contracapa, o compositor Adelino Moreira conta que a conheceu numa festa familiar. “Ouvindo-a, disse para mim mesmo: aqui está uma moça que poderá ser alguém no mundo artístico. Convidei-a então para fazer um teste na RCA. Foi um Deus nos acuda: vendedores, divulgadores, direção artística, todos foram unânimes em afirmar que Norimar era a melhor notícia da semana e que ali estava uma cantora fadada ao sucesso”. Pena que, segundo consta, sua carreira ficou limitada a mais um compacto pela RCA, e depois desapareceu. Confira:

01 – Gata borralheira

..... (Adelino Moreira)

02 – Conto da  carochinha

..... (Adelino Moreira)

quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

Orquestra Os Modernistas - Baile Moderno (1964)

Orquestra Os Modernistas oferece repertório variado pra animar bailes nos anos 1960
Confesso que, a julgar pela simplicidade da capa, não dei muita importância pra este "Baile Moderno", gravado na Chantecler em 1964 pela orquestra Os Modernistas, de São José do Rio Preto, no interior de São Paulo. Bastou a audição da primeira faixa, o twist “Papa oom mow mow”, pra constatar que se trata de gravação feita por músicos profissionais de primeira linha. Não por acaso, o texto na contracapa informa que “Os Modernistas já realizaram contratos para atuar em fins de semana, estando com as datas quase todas tomadas até o fim deste ano”.

Vale lembrar que - eu diria até meados dos anos 1970, antes da febre da era disco - as orquestras, bandas e músicos em geral tinham bom mercado de trabalho em festas e clubes que promoviam bailes nos finais de semana. Hoje, provavelmente, Os Modernistas não existem mais, e cada integrante seguiu seu caminho. Este disco, com arranjos assinados por Mario Perez, Antonio Arruda e Francisco Moraes, proporcionam o "Baile moderno" por meio de 15 faixas que passeiam pelo twist, samba, bolero, fox, cha-cha-cha e merengue. O disco traz os vocais, em duas faixas cada, dos crooners Antonio Netto e Balthazar (seria o mesmo cantor que fez  sucesso nos anos 1970?). Sintonize:

01 - Papa oom mow mow
..... (Al Frazier - Carl White - Turner Wilson Jr. - J. Jarris)
02 - Samba em prelúdio
..... (Vinicius de Morais - Baden Powell)
03 - Telstar
..... (Joe Meek)
04 - O que eu gosto de você
..... (Silvio Cezar)
05 - Meu samba de bossa - canta Antonio Netto
..... (Raimundo Batista)
06 - Blue Star (The medic theme)
..... (Victor Young - E. Heyman)
07 - Tua ausência
..... (Antonio Netto - A. Muanis) - canta Antonio Netto
08 - Summertime
..... (Gerhwin - Heyward)
09 - Só danço samba
..... (Tom Jobim - Vinicius de Morais)
10 - Il tangaccio
..... (G.Marchetti)
11 - El camaleon
..... (Muñeca - Velazco)
12 - Mocidade legal - canta Balthazar
..... (Benedito Balthazar)
13 - Ciribiribim
..... (Pestaloza)
14 - Cadê meu amor - canta Balthazar
..... (R. Batista)
15 - Nós e o mar
..... (Roberto Menescal - Ronaldo Bôscoli)

terça-feira, 18 de dezembro de 2012

Sueli - Antologia (1973 - 1980)

Seleção traz gravações da Sueli lançadas em singles pela Beverly e Copacabana
A postagem hoje é dupla: a primeira, com o LP de 1976 da Sueli, e agora com uma coletânea de singles lançados pela cantora. A seleção reúne 20 gravações, mas a coletânea só foi possível graças a colaboração do amigo Aderaldo, lá da comunidade MC & JG, a quem renovo meu agradecimento por fornecer as faixas do EP de 1977 e as do single de 1979.  A seleção começa com “Férias na praia (Ring ring)”,  a primeira gravação da cantora, lançado em 1973, e termina com “É Natal”, uma versão de “Jingle Bells”, que eu baixei na rede e desconheço a fonte. Confira:

01 - Férias na praia (Ring ring)
..... (B.Anderson - B.Ulvaeus - S.Anderson - Neil Sedaka - P. Cody - Adapt. Sérgio de Freitas)
02 - Vamos passear  (Tout, tout, tout...)
..... (Léo Carrier - Daniel Faure - vs: Sonia Abreu - M. Amélia - C.Manso)
03 - Volta à escola (Hey lady Jenny)
..... (Renaldo Cerri - Denis Clément - vs: Sérgio de Freitas)
04 - Brindo por ti e por mim (Brindo por ti y por mi)
..... (Tormenta - M.O.Barabino - vs: Jean Pierre)
05 - Você (Pillow talk)
..... (Sylvia Robinson - M. Burton - vs: Maurício)
06 - Venha me buscar *
..... (Clayton)
07 - O amor chegou pra mim *
..... (Cezar – Tony Damito)
08 - Você tem que acreditar em mim *
..... (Clayton – Antônio Carlos)
09 - Meu bem você quer dançar (Monsieur,voulezvous dancer?) *
..... (Bigazzi – Savio – vs: Deymos –SIAE)
10 - Estúpido cupido (Stupid cupid)
..... (Neil Sedaka – Howard Greenfield – Vs: Fred Jorge)
11 - Banho de lua  (Tintarella di luna)
..... (B. de Filippi – F. Migliacci – vs: Fred Jorge)
12 - Lacinhos cor de rosa (Pink shoe laces)
..... (Mickie Grant – vs: Fred Jorge)
13 - Túnel do amor (Have lips, will kiss in the tunnel of love)
..... (Patty Fischer – Bob Roberts – vs: Fred Jorge)
14 - João, João *
..... (Herivelto Martins - David Nasser)
15 - Estrela cadente (Little arrows) *
..... (Mike Hazlewood - Albert Hammond - vs: Murano)
16 - Coração que dói e dói
..... (Solevante - Soleny)
17 - Goianinho lindo
..... (Carlos Cezar - José Homero)
18 - Amor distante
..... (Maurico - Maurozinho)
19 - Recordações
..... (Mário Zan - Palmeira)
20 - É Natal **

 Colaboração: Aderaldo, da Comunidade MC & JG, do Orkut
** Faixa baixada na rede, de fonte desconhecida




Sueli - Estúpido cupido (LP Beverly 1976)

Segundo LP da Sueli traz versões de hits do final dos anos 1950 e início dos 1960 
Este é o segundo LP da Sueli, mineira de Ituiutaba, e foi gravado em 1976 na esteira do sucesso da novela “Estúpido cupido”. Ela é exemplo de artista que obteve relativa projeção no cenário nacional nos anos 1970 e sobre a qual poucas informações se encontram na rede. O fato é que a Beverly, ao ver o sucesso do primeiro LP da cantora, lançado em 1975, e perceber o filão mercadológico que a novela global representava, enxergou oportunidade para Sueli gravar um EP com repertório da Celly Campello, nossa primeira rainha do rock.

Na sequência, ainda no clima do folhetim, veio este álbum com versões de hits internacionais, conhecidas pelas interpretações de Carlos Gonzaga, Giane, Sérgio Murilo e outros. É comum, inclusive, a gente encontrar na rede algumas faixas deste disco erroneamente atribuídas a Celly Campello. Até “Jambalaya”, que ela nunca gravou, aparece em seu nome, e nos de Nalva Aguiar e Diana, gerando confusão generalizada, principalmente entre as novas gerações que desconhecem as intérpretes originais. Espero que este post ajude a esclarecer. Confira:

01 - Estúpido cupido (Stupid cupid)
..... (Neil Sedaka – Howard Greenfield – Vs: Fred Jorge)
02 - Banho de lua  (Tintarella di luna)
..... (B. de Filippi – F. Migliacci – vs: Fred Jorge)
03 - Lacinhos cor de rosa (Pink shoe laces)
..... (Mickie Grant – vs: Fred Jorge)
04 -Tunel do amor (Have lips, will kiss in the tunnel of love)
..... (Patty Fischer – Bob Roberts – vs: Fred Jorge)
05 - Muito jovem (Just young)
 ..... (Lya S. Roberts – Vs: Fred Jorge)
06 - Oh, Carol
..... (Neil Sedaka – Howard Greenfield – vs: Fred Jorge)
07 – Dominique
..... (Soeur Sourire – vs: Paulo Queiroz – SIAE)
08 - Se eu tivesse um martelo (If I had a hammer)
..... (Lee Hays – Pete Seeger – vs: Dominique)
09 – Jambalaya
..... (Hank Williams – Vs: Joper)
10 – Marcianita
..... (José Imperatore Marcone – Gslvarino Villota Alderete – vs: Fernando Cesar)
11 - Alguém é sempre bobo de alguém (Everybody's somebody's fool)
..... (H. Greenfield – J. Keller – vs: Fred Jorge)
12 - Filme triste (Sad movies) (Make me cry)
..... (John D. Loudermilk – vs: Romeu Nunes)

FICHA TÉCNICA

Produtor fonográfico: Som Indústria e Comércio S/A
Direção artística: Paulo Rocco
Direção de produção: Jorge Gambier
Coordenação artística: J.F. Blumenschein Filho
Arranjos: Waldemiro Lemke
Técnico de gravação: José Toledo e Renaldo Maziero
Técnico de mixagem: Renaldo Maziero
Técnico de corte: Jorge Emílio Isaac
Gravado nos estúdios: Reunidos (SP)
Layout: A. Lopes Machado
Foto: Penna Prearo
Arte final: Ormindo & Alberto


segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

The Bottles 7 (Recorded live) - Só sucessos! (1964)

Grandes sucessos da primeira metade dos anos 60 estão no repertório do grupo The Bottles 7
Nada sei sobre o grupo The Bottles 7, mas não é preciso conhecer pra saber que este álbum "esquentava" os bailinhos na primeira metade dos anos 1960. O disco “Só sucessos!”, lançado pelo selo Plaza, não informa sobre o conjunto e seus componentes. Não ficarei surpreso se alguém informar nos comentários que se trata de grupo formado por brasileiros, como era comum entre as pequenas gravadoras, como a mineira Paladium. O disco também não revela o ano da produção, mas arrisco 1964, e tenho como principal referência a música  "I want to hold your hand", dos Beatles, primeira colocada naquele ano no top 100 da Billboard.

Também não se deixe enganar por este "recorded live", anunciado na capa, pois a produção segue a fórmula comum na época de incluir falas, risos e aplausos no início das músicas, como "America" e "La bamba", do Trini Lopez, numa apresentação ao vivo. Não por acaso, o hit "America" abre o álbum que inclui outros sucessos no Brasil por versões como "Ritmo da chuva" (Demétrius), "O passo do elefantinho" (Trio Esperança) e "Dominique" (Giane). De resto, é só baixar a pasta, colocar o disco na vitrola digital e curtir The Bottles 7:

01 - America
..... (Bernstein - Sondheim)
02 - If I had a hammer
..... (Seeger - Hays)
03 - I want to hold your hand
..... (John Lennon - Paul McCartney)
04 - Rhythm of the rain
..... (J.Gummoe)
05 - The hully gully
..... (Smith - Goldsmith)
06 - Baby elephant walk
..... (Henry Mancini)
07 - Dominique
..... (Soeur Sourure)
08 - Chariot
..... (Stolle - Del Roma)
09 - Frenesi
..... (A. Dominguez)
10 - Te quiero dijiste
..... (M.Greyer - C. Pasquale)
11 - Hernando's hideaway
..... (Richard Adler - Jerry Ross)
12 - Lawrence of Arabia
..... (Maurice Jarre)


domingo, 16 de dezembro de 2012

João Dias - Roberta (Single Odeon - 1964)

João Dias, de grande popularidade nos anos 1950, canta versões de "Roberta" e "Au revoir"
Dois grandes sucessos internacionais em 1964 no Brasil estão reunidos em versões para o português neste single do João Dias, lançado pela Odeon.  O lado A tem a música "Roberta", hit do italiano Peppino Di Capri, e no B a canção “Au revoir”, sucesso do francês Gilbert Becaud. O brasileiro não faz feio na comparação com os originais, pois foi considerado o herdeiro do Francisco Alves, o rei da voz, e de quem foi grande amigo. A voz, considerada similar ao do amigo, lhe outorgou o slogan de “Princípe da voz”.

João Dias (João Dias Rodrigues Filho) nasceu em Campinas (SP) em 12 de outubro de 1927 e faleceu no Rio de Janeiro em 27 de novembro de 1996. Iniciou carreira em 1948 na Rádio São Paulo. Gravou o primeiro disco em 1950 na Odeon e no ano seguinte alcançou grande sucesso com a gravação de "Sinos de Belém" e "Fim de ano". Em 1952 gravou na Odeon seu primeiro grande sucesso carnavalesco, "Grande Caruso", e em novembro do mesmo ano estreou na Rádio e TV Tupi, do Rio de Janeiro.  A partir daí fez outros sucessos e teve programa na Rádio Nacional de enorme popularidade.

Gravou na Copacabana e CBS, retornando em 1961 na Odeon. Viajou com Dalva de Oliveira por todo o país, depois de regravar o sucesso "Brasil". Foi o idealizador e responsável pela Lei de Direito Conexo, que, tendo sido aprovada e regulamentada em 1968, garante ao intérprete receber direitos pela execução posterior de suas gravações, o que anteriormente era restrito aos autores. Em 1975, lançou pela Odeon o LP comemorativo de seus 25 anos de carreira, com músicas de compositores atuais. No ano em que faleceu, 1996, dirigia a Socimpro - Sociedade Brasileira de Intérpretes e Produtores Fonográficos. Com 45 anos de carreira, gravou cerca de 320 músicas em 78 rpm, LPs e CDs. Confira o single:

01 – Roberta
..... (Naddeo – Lepore – VS: Romeo Nunes)
02 – Au revoir
..... (M.Vidalin – G.Bécaud – VS: Romeo Nunes


sábado, 15 de dezembro de 2012

Vários intérpretes - Corinthians, eterna paixão (2012)

Coletânea "Eterna Paixão" reúne 13 faixas entre hinos e declarações de amor ao Corinthians
Aviso aos navegantes: não sou corinthiano, mas sou democrático, administro este espaço eclético, e tenho muitos amigos da fiel torcida, a quem muito respeito. Amanhã, domingo, 16 de dezembro, a equipe corinthiana estará disputando pela manhã o campeonato mundial contra o Chelsea, no Japão. Aproveitei a oportunidade pra reunir o que tenho de vinis e CDs com músicas sobre o time, e montei esta coletânea que nunca estará no meu mp3 player.
 
Futebol, pra mim, é entretenimento, diversão e arte. Não me sinto constrangido por produzir trabalho sobre um time que torço contra. Admiro, sim, o fervor da torcida. Foi por sua presença maciça no aeroporto para ver a equipe no embarque rumo ao campeonato no Japão que escolhi o título "Eterna Paixão". E se você é um apaixonado, pode baixar a seleção, aquecer a bateria e gritar "Vai Corinthians". Eu, com a licença dos amigos, estou com o tapa ouvido, pois já fiz a minha parte. (Des)Sintonize:
 
01 - Negra Li, Paula Lima, Rappin Hood e Xis – Hino do Corinthians
..... (Lauro D'Ávila)
02 - Maria Alcina -Transplante de corinthiano
..... (Manoel Ferreira - Ruth Amaral - Gentil Jr.)
03 - Alice Street Gang - Hino do Corinthians
..... (Lauro D'Ávila)
04 - Toni Garrido – Hino do Corinthians
..... (Lauro D'Ávila)
05 - Moçada do Samba - Samba do corinthiano
..... (Luiz Carlos)
06 - Maria Alcina - Hino do Corinthians
..... (Lauro D'Ávila)
07 - Saraiva - Tabu corinthiano
..... (Luiz dos Santos - Neilor de Oliveira)
08 - Márcio José - O grito da fiel
..... (Cláudio de Souza - Antoninho Lopes)
09 - Padre Aparecido - Corinthians religião
..... (Padre Aparecido - Nelson Correa)
10 - Banda do Corpo de Bombeiros do Estado da Guanabara - Hino do Corinthians
..... (Lauro D'Ávila)
11 - Silvio Santos - Transplante de corinthiano
..... (Manoel Ferreira - Ruth Amaral - Gentil Jr.)
12 - Gaviões da Fiel - Eternamente em nossos corações
..... (Osvaldinho da Cujica - Jangada)
13 - Coral Os Gaviões da Fiel - Hino do Corinthians
..... (Lauro D'Ávila)



Cristiano - Você chegou (CS RGE 1978)

Cristiano, da gravadora RGE, é homônimo do Cristiano (Cris McClayton), da Chantecler
Este post é resultado dos comentários sobre o cantor Pedro Luiz, incluído na coletânea da gravadora paranaense Astor feita pelo amigo José Carlos Almeida, da Comunidade MC & JG, do Orkut, que intitulei “A juventude é quem manda". Segundo consta, Pedro Luiz começou a carreira lá com o nome de batismo, e trocou para Cristiano, gravando na Chantecler, e na RCA, onde fez sucesso como Cris McClayton. Pedro Luiz Schoemberger, seu nome completo, faleceu em 15 de maio último, e seus álbuns e dados biográficos estão postados no blog do amigo Hedson, do La Playa Music. Fiquei inicialmente na dúvida se o Cristiano deste disco seria o mesmo da Chantecler, pois ambos são dos anos 1970, mas as fotos das capas mostram que se tratam de cantores diferentes. Em todo caso, ouça este Cristiano, muito influenciado ainda pela Jovem Guarda,  ou seria pelo Reginaldo Rossi? Confira:

01 – Você chegou
..... (Hébano – Louzada)
02 – Uma esperança, uma ilusão (Our Love, our happiness)
..... (Steve Maclean – Lou K. Gee)

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Eliana Pittman - Pra não dizer que não falei das flores

Disco do selo Mocambo traz as duas primeiras colocadas do III FIC em setembro de 1968
Uma somatória de dois notáveis compositores: Tom Jobim e Chico Buarque. O resultado é “Sabiá”, primeiro lugar na parte nacional do III Festival Internacional da Canção, organizado pela Rede Globo. A canção, interpretada pela dupla Cynara e Cybele, foi vaiada pelo público. A torcida era para o hoje clássico ”Caminhando (Pra não dizer que não falei das flores)”, do intérprete e compositor Geraldo Vandré. A terceira colocada, “Andança”, de Danilo Caymmi, Edmundo Souto e Paulinho Tapajós, defendida pela novata Beth Carvalho e Golden Boys, também entrou na galeria dos clássicos da MPB do século XX.

A citação acima é apenas para lembrar que, logo após a realização do festival, em setembro de 1968, entrava em vigor há exatos 44 anos o Ato Institucional nº 5, o AI-5. Foi o quinto da série de decretos promulgados no decorrer do golpe militar no Brasil. Este quinto foi, na prática, o início real e efetivo da Ditadura. Não quero comemorar, mas a data não pode ser esquecida, por memória daqueles que morreram/desapareceram em luta pela democracia que hoje desfrutamos. Assim, pra marcar a data, reservei este single gravado na época pela Eliana Pittman com as duas primeiras colocadas do festival. Afinal, “quem sabe faz a hora, não espera acontecer”. Confira:

01 - Sabiá
..... (Chico Buarque e Tom Jobim)
02 – Caminhando (Pra não dizer que não falei das flores)
..... (Geraldo Vandré)

 

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

Vários intérpretes - 4 maiorais de 1960 (EP Continental)

EP de 45 RPM reúne hits do Jamelão, Carlos José, Gordurinha e Ted Moreno

Eis um raro e interessante EP de 45 RPM da gravadora Continental. Lembrei-me dele após ripar e ouvir as duas faixas do Carlos José no álbum "Um cantor por 10 milhões", postado ontem. Neste, o intérprete apresenta o samba toada "Esmeralda", um dos primeiros hits da carreira que atingiria o ápice na CBS (Sony), para onde seguiu posteriormente. O disco, que também traz Jamelão e Gordurinha, se destaca pela bonita voz do Ted Moreno. O álbum “Sambas que a vida escreveu”, gravado pelo Ted nesse mesmo ano de 1960, está disponível na rede pelos Órfãos do Loronix e também pelo Toque Musical. Confira o post:

01 - Jamelão - Exemplo
..... (Lupicinio Rodrigues)
02 - Carlos José - Esmeralda
..... (Filadelfo Nunes - Fernando Barreto)
03 - Gordurinha - Mambo da Cantareira
..... (Barbosa Silva - Eloide Warthon)
04 - Ted Moreno - Ninguém é de ninguém
..... (Umberto Silva - Toso Gomes - Luis Mergulhão)

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Vários intérpretes - Um cantor por 10 milhões (1966)

LP reúne 11 músicas selecionadas de um total de 10 mil inscritas no concurso de TV em 1965
Pixinguinha, Almirante, Lirio Panicalli, Ismael Silva, Vicente Celestino, Miele e Boscoli, entre outras 40 personalidades, integraram o juri que selecionou as músicas gravadas pela CBS (atual Sony) neste álbum em 1966. As canções fizeram parte do "Dez milhões por uma canção", um concurso de música popular transmitido durante cinco meses pela TV Globo a partir de novembro de 1965. No período foram apresentadas 40 canções selecionadas de um total de 10 mil. Erley José e Maria Alice, selecionados entre 3 mil candidatos, são as principais revelações do concurso, segundo informa o texto impresso na contracapa do LP, intitulado "Um cantor por 10 milhões & 10 milhões por uma canção". O álbum também traz interpretações de Ellen de Lima, Carlos José, Maria Isabel, Thelma, Rosely e Nelson. Confira:

01 - Ellen de Lima - A lei do mais forte
..... (Jacobina - Murilo Latini)
02 - Carlos José - Canção da lágrima feliz
..... (Osmar Navarro)
03 - Thelma - Rio Zé Pereira
..... (Gastão de Alencar Neves - Nelson Ferreira)
04 - Rosely - A canção da saudade
..... (Osvaldinho)
05 - Maria Alice - Sim... você
..... (Luiz Antonio)
06 - Maria Isabel - Tudo, é amor!
..... (Marcel Cazes)
07 - Carlos José - Beleza
..... (Ronny - Joaquim Vaz de Carvalho)
08 - Maria Isabel - Esta grande saudade
..... (Glauco Pereira - Fernando Pereira)
09 - Erley - Canção da paz
..... (Maurício Einhorn)
10 - Nelsinho - Samba que vai crescer
..... (Ian Guest)
11 - Maria Alice - Despertar
..... (Ian Guest - Regina Verneck)

FICHA TÉCNICA

Direção musical: Maestro Moacyr Santos
Arranjos musicais da Equipe do programa
Direção musical do programa: Maestro Oswaldo Borba


Vários intérpretes: A juventude é quem manda

Repertório do selo Astor traz panorama do rock produzido no Paraná durante a Jovem Guarda

O amigo José Carlos Almeida, lá da Comunidade MC&JG, do Orkut, postou esta coletânea com registros feitos por artistas da gravadora Astor em Curitiba durante o período da Jovem Guarda. Considerei a seleção muito interessante, uma vez que serve de referência sobre o rock produzido pelos paranaenses, algo raro de se encontrar na rede, razão pela qual decidi divulgá-la no blog. Agradeço ao José Carlos pela gentileza.

Pelo menos dois artistas do cast - Paulo Hilário e Dirceu Graeser - obtiveram notoriedade e lançaram discos por outras gravadoras. A curiosidade é a inclusão bônus no repertório, mesmo não sendo da Astor, da música Nanny, interpretada pelo novato Raulzito (Raul Seixas) em 1964, antes da fama. Tomei a liberdade de montar a capa e contracapa para a coleção, que intitulei “A juventude é quem manda”, como impresso na capa de muitos singles da gravadora. O post tem dois links, o original com o áudio, e o com as imagens.  Confira:
 
01 - Nilson Taylon e The Cheyennes - Garota Esperta
02 - Nilson Taylon e The Cheyennes - Amor Legal
03 - Dirceu Graeser - Voltei prá ficar
04 - The Cheyennes - Para vigo me voy
05 - The Cheyennes - Dixie of Texas
06 - The Cheyennes - Venus
07 - The Cheyennes - Quinta Avenida
08 - Geraldo Rike e Os Terríveis - Monique
09 - Geraldo Rike e Os Terríveis - Sinal vermelho
10 - Paulo Hilário e Os Carcarás - A Garota do Biquini Vermelho
11 - Paulo Hilário e Os Carcarás - Vestido de noiva
12 - Pedro Luis - Você mentiu prá mim
13 - Pedro Luis - Agora é tarde
14 - Hilda Christine e The Rebels - Ainda é cedo prá casar
15 - Hilda Christine e The Rebels - É por você
16 - Os Trips - Sem Você
17 - Os Trips - Pura asneira
18 - Os Milionários - O Sole Mio
19 - Os Milionários - Come Back to Sorrento
20 - Os Juvenis - Eu tenho que achar alguém
21 - Os Juvenis - Essa monstruosa guitarra
22 - Nin And His Boys - Kismet
23 - Nin And His Boys - Stick shift
24 - Nin And His Boys - Yuma
25 - Nin And His Boys - Blue moon
26 - Nin And His Boys - Torna piccina mia
27 - Nin And His Boys - Spanish twist
28 - Raulzito - Nanny (BÔNUS)
 
Colaboração: José Carlos Almeida, da Comunidade MC&JG, do Orkut
 

segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

Vários intérpretes - Jovem Guarda Obscura - Vol. 8

Famosos e desconhecidos dividem espaço no repertório do oitavo volume da série

Parece exagero, mas já estamos no oitavo volume da coletânea Jovem Guarda Obscura. Pretendo fechar o ciclo no 10º porque não aguento mais ver a capa do disco, e não acho legal mudá-la agora. É melhor criar novas coletâneas, mesmo que o conteúdo seja similar entre si. Bem, este oitavo volume traz alguns destaques, como os dois primeiros discos dos grupos Os Brasas e The Brazilian Bitles. O repertório contempla nomes desconhecidos do grande público. São os casos do Conjunto Viola Enluarada, Alexandre Jr, Os Top's, Ronaldo Reys e da Norimar, por exemplo, além do Luis Eugênio, que tem álbum postado (aqui) no Sanduíche Musical. Entre os famosos aparecem Cauby Peixoto, Os 3 Morais, e The Youngsters, a banda que acompanha Wanderléa no clássico "Ternura", de 1965.

Uma curiosidade é a versão francesa de "É meu, é meu, é meu", sucesso do Roberto Carlos e gravada pelo Gilbert em 1969. A seleção ainda inclui os Mustangs (posteriormente o grupo mudou o nome para Sunday, sempre com repertório internacional) num cover do Creedence Clearwater Revival e Eduardo e seus Menestréis em outro do Bee Gees. O interessante é o The Youngsters executando "Abertura", um instrumental psicodélico gravado durante os anos de chumbo do presidente Médice. A melodia, de Guilherme Dias Gomes, foi tema da novela "Véu de Noiva", da Globo. Pra encerrar a seleção, nada como balançar o esqueleto com o suingue do Prini (Lorez) em seu "Boogaloo", registrado em 1968 no selo Beverly. Confira:

01 - Conjunto Viola Enluarada - E por isto estou aqui (1968)
..... (Roberto Carlos)
02 - Alberto Luiz - Oração de um jovem triste (1969)
..... (Alberto Luiz)
03 - Gemini II - Quando me enamoro (Cuando me enamoro) (1968)
..... (Panzeri - Pace - Livraghi - vs: Nazareno de Brito)
04 - Alexandre Jr - Meu olhar (Gli occhi miei) (1968)
..... (C.Donida - Mogol - vs: Fred Jorge)
05 - Luis Eugênio - Minha casa (Casa mia) (1973)
..... (Roberto Soffici - Luigi Albertelli - vs. Nazareno de Brito)
06 - Os Brasas - Vivo a  sofrer (Piangi con me) (1967)
..... (Mogol - Schapiro - vs: Anires Rodrigues)
07 - Cauby Peixoto - Voltarei de joelhos (In ginocchio da te) (1965)
..... (Migliacci - Zambrini - vs: Ronnie Cord)
08 - Os 3 Morais - Estou feliz (Puppet on a string) (1967)
..... (Bill Martin - Phil Coulter - vs: Lilian Knapp)
09 - Gilbert - Le mien, le mien, le mien (É meu, é meu, é meu) (1969)
..... (Roberto Carlos - Erasmo Carlos - vs: Louis Marcel)
10 - Hamilton Di Giorgio - Video tape
..... (Hamilton Di Giorgio)
11 - Os Top´s - O Vaqueiro
..... (Claudio Cury - Hélio Maia)
12 - Ronaldo Reys - Sonho impossível (The impossible dream) (1967)
..... (Darion - Logh - vs: Romeu Nunes)
13 - José Eduardo - Foguete à Marte
..... (José Tardelli)
14 - Norimar - Gatinha borralheira (1967)
..... (Adelino Moreira)
15 - Gilberto Montenegro - A luz do amor
..... (Dacio Marçal)
16 - The Brazilian Bitles - Help! (1965)
..... (John  Lennon - Paul McCartney)
17 - Eduardo e seus Menestréis - First of May (1969)
..... (B.R. - M.Gibb)
18 - Mustangs - Proud Mary (1969)
..... (J.C.Fogerty)
19 - The Youngsters - Abertura (1970)
..... (Guilherme Dias Gomes)
20 - Prini - Boogaloo (1968)
..... (D.R. - Vs: Prini)

Milton Lopes - Eu gosto dela (And I love her) - 1966

Milton Lopes gravou na Continental em 1966 a versão de "And I love her", hit dos Beatles
Este single do Milton Lopes, sobre quem não tenho nenhuma referência, salvo o fato de que atualmente é homônimo de um cantor sertanejo, atende ao pedido do amigo e colaborador Aderaldo, lá na Comunidade MC&JG, onde deveria originalmente realizar o presente post. Faço aqui porque o single estava separado para a coletânea Jovem Guarda Obscura, e também porque é interessante para o blog apresentar a música "Eu gosto dela", uma versão de "And I love her", sucesso dos Beatles. Infelizmente, o selo do disco está gasto pela ação do tempo, e não consegui identificar o nome completo do autor da versão. Se alguém souber, por favor, escreva no espaço reservado para os comentários. Informações sobre o cantor também são bem-vindas. Confira o post:
 
01 - Eu gosto dela (And I love her)
..... (John Lennon - Paul McCartney - vs: Alexandre C.)
02 - Volta amor
..... (Sérgio Reis)

domingo, 9 de dezembro de 2012

Maria Thereza - The shadow of your smile (EP 1966)

Maria Thereza, a Mecha Branca, interpreta a desconhecida "Desencanto", de Chico Buarque
Finalmente, após dias de afastamento do blog, causado por problemas técnicos, tento retomar aos poucos as postagens. Deu "pau" no antigo computador, que em duas ocasiões passou pela assistência técnica. Decidi, na terceira vez, trocar o velho pelo novo, sem querer ofender os meus contemporâneos. Assim foi feito. O problema, na sequência, foi conseguir ripar meus vinis, pois o programa que usava não era mais compatível, e minha despesa aumentou com a compra de software  para 64 bites. Agora, sim, está aparentemente tudo ok.

A "reestreia" no blog com o computador "tinindo" é com este obscuro EP da cantora Maria Thereza, a “Mecha Branca”, como é conhecida, com os clássicos “The shadow of your smile” e  “Strangers in the night” no refinado repertório. O single, sem data no disco, mas provavelmente lançado em 1966, se considerarmos a numeração, se diferencia dos demais por oferecer bem-vindas cinco músicas. O principal destaque do repertório, que contempla composição da própria intérprete ("Quem que não"), é a desconhecida “Desencanto”, do novato compositor Chico Buarque de Holanda, também gravada pela cantora Yvette em 1967.

Maria Thereza ganhou notoriedade especialmente pela sua indefectível mecha branca nos cabelos. Dona de voz suave, sem afetações, estreou a carreira fonográfica justamente com o disco que contém seu maior êxito, o samba-canção autobiográfico “Mecha Branca”, pela etiqueta Copacabana, em 1959. Ainda na década de 60, Maria Thereza deixou registrado “Novamente, Mecha Branca”, na mesma Copacabana. Nos anos 70, Maria Thereza gravou mais dois álbuns: o impressionante “Pra matar saudade”, com capa tipo “jaqueta”, ilustrada à la Elias Andreato, de 1976, e “Simplesmente, coração”, de 1979, ambos editados pela EMI-Odeon e arranjados pelo maestro José Briamonte. Parte da sua discografia está postada no blog Parallel Realities Studio (aqui). Enquanto isso, confira o post:

01 - The shadow of your smile
..... (Johnny Mandel – Paul Francis Webster)
02 – Desencanto
…... (Chico Buarque de Holanda)
03 – Quem que não
..... (Maria Thereza)
04 – Canção de procurar
..... (Antonio Luiz)
05 – Strangers in the night
….. (B.Kaempfert – Charles Singleton – Eddie Snyder)