Pesquisar este blog

domingo, 19 de novembro de 2017

Vários intérpretes - 14 Maiorais - Volume 22 (LP 1975)

 Volume 22 encerrou a série "14 Maiorais", produzida desde 1962 pela Copacabana
Acredito que este volume 22, lançado em 1975, deve ser o último da bem-sucedida série “14 Maiorais”, coletânea iniciada em 1962 pela Copacabana. Depois deste disco, a gravadora ainda lançou em 1976 o avulso “14 Maiorais Extra”, e deixou o projeto na gaveta. O presente álbum foi  enviado pelo amigo Aderaldo, a quem agradeço, e reúne os mais recentes lançamentos da empresa. Os principais sucessos do LP são “Tango pra Teresa” (interpretado pela Angela Maria), “Recuerdos de Ypacarai” (Claudio Fontana) e “Pare, olhe e viva” (Benito di Paula). O repertório ainda inclui gravações de artistas como Wanderley Cardoso, Elizeth Cardoso, Marku Ribas, Silvana, Moacyr Franco, Nelson Ned e outros. Confira:

01 - Angela Maria - Tango pra Teresa 
(Jair Amorim – Evaldo Gouveia)
02 - Wanderley Cardoso - Tudo certo
(Wanderley Cardoso)
03 - Claudio Fontana - Recuerdos de Ypacarai
(Z. de Mirkin – Demetrio Ortiz – Versão: Juracy Rago)
04 - Moacyr Franco - Canoas do Tejo
(Frederico de Brito)
05 - Nelson Ned - Que pena, que pena
(Nelson Ned)
06 - Luiz Carlos Clay - Quero ouvir o mundo cantar (Quiero ver a todos cantar)
(Santiago – Versão: Fred Jorge)
07 - Silvana - Viva a Espanha
(Leo Caerts – Leo Rozenstraeten – Versão: Fred Jorge)
08 - Benito di Paula - Pare, olhe e viva
(Benito di Paula)
09 - Marku Ribas - Zamba Ben
(Marku)
10 - Jacy Inspiração - Nega maluca
(Jacy Inspiração – Binha)
11 - Elizeth Cardoso - Antes, durante e depois
(Paulo César Pinheiro – Paulo Valdez)
12 - Bebeto - Aruandê
(José Roberto – Carlos Alberto)
13 - Waleska - Azar
(Sérgio Bittencourt)
14 - Paulo Vinicius - Aniversário de boêmio
(Jorge Marques)

COLABORAÇÃO: Aderaldo


sábado, 18 de novembro de 2017

Vários intérpretes - 14 Maiorais - Volume 8 (LP 1965)

 The Jordans, The Clevers, Wanderley Cardoso e outros estão neste álbum
Mais um bom volume da série “14 Maiorais”, projeto da Copacabana similar ao “As 14 Mais”, da CBS, é este oitavo, lançado em 1965. Entre os grandes sucessos da época destacam-se “A praia” e “O princípio e o fim” (interpretadas pelo Agnaldo Rayol), “Falhaste, coração” (Angela Maria), “Ana Lúcia” (Rinaldo Calheiros) e “Amor criança” (Wanderley Cardoso). O álbum também inclui releituras de “Preciso aprender a ser só” (Jorge Nery) e “Pau de arara” (Moura Junior). Uma das curiosidades é o grupo The Clevers, com “Flamenco”, em nova formação, após a saída dos integrantes originais, que adotaram o nome de “Os Incríveis”. Confira:

01 - Agnaldo Rayol - A praia (La playa)
(Jovem Wetter - vs: Bruno Silva)
02 - Angela Maria - Falhaste, coração (part. esp. Os Guaranis)
(Cuco Sanchez - vs: Luiz Carlos Gouvêa)
03 - Jorge Nery - Preciso aprender a ser só
(Marcos Valle - Paulo Sérgio Valle)
04 - The Jordans - Letkiss Jenka
(R. Lehtinen)
05 - Moacyr Franco - Musica das montanhas (The sound of music)
(R. Rodgers - O. Hammerstein - vs: Nazareno de Brito)
06 - Elizeth Cardoso - Canção de amor
(Chocolate - Elano de Paula)
07 - Moura Junior - Pau de arara
(Carlos Lyra - Vinicius de Morais)
08 - Elizeth Cardoso - Rosa de ouro
(Herminio Bello de Carvalho - Elton Medeiros - Paulinho da Viola)
09 - Wanderley Cardoso - Amor Criança
(Genival Melo - Dora Lopes)
10 - Silvana - Nossa canção de amor (Summer love)
(Victor Young - Milton Berle - Bernard Arnold - vs: Salatiel Coelho)
11 - Rinaldo Calheiros - Ana Lúcia
(J. Roberto Kelly - A. Mello Pinto)
12 - The Clevers - Flamenco 
(Los brincos)
13 - Agnaldo Rayol - O princípio e o fim (Ma vie)
(Alain Barriere - vs: Nazareno de Brito)
14 - Angela Maria - Pequena, mas resolve
(A. Moreira)



sexta-feira, 17 de novembro de 2017

Vários intérpretes - 14 Maiorais - Vol. 15 (LP 1971)

 Seleção traz hits do Moacyr Franco, Martinha, Wanderley Cardoso e outros
O 15º volume da série 14 Maiorais, projeto da gravadora Copacabana iniciado em 1962, é recheado de grandes sucessos de 1971. O disco, enviado pelo amigo Aderaldo, a quem agradeço, se destaca por hits como “História de amor”, versão do tema do filme “Love Story” (interpretada pelo Wanderley Cardoso), “Minha mãe de cor” (Martinha), “Margarida” (Agnaldo Rayol), “16 toneladas” (Noriel Vilela) e “Boêmio demodé”, grande sucesso do Paulo Vinicius, com sua voz muito parecida com a do Nelson Gonçalves. O álbum se destaca por homenagens a dois ídolos do futebol: Mané Garrincha, na "Balada nº 7", gravada pelo Moacyr Franco, e Pelé, na faixa "Esse amigo Pelé", interpretada pela Ângela Maria. Confira:

01 - Moacyr Franco - Balada nº 7 (Mané Garrincha)
(Alberto Luiz)
02 - Wanderley Cardoso - História de amor (Theme From Love Story)
(Francis Lai – Carl Sigman – Versão: Rossini Pinto)
03 - Angela Maria - Esse amigo Pelé
(Ted Moreno – Maria Cleide)
04 - Erika - Anônimo veneziano
 (Stelvio Cipriani)
05 - Almir Rogério - Malvada
(Almir Rogério – Dezinho)
06 - Coral Joab - Pra começo de assunto (la la la la)
(Elizabeth)
07 - Claudio Fontana - Meus ídolos
(Cláudio Fontana)
08 - Nelson Ned - Eu gosto tanto de você
(Nelson Ned)
09 - Paulo Vinicius - Boêmio demodê
(Adelino Moreira)
10 - Martinha - Minha mãe de cor
(Martinha)
11 - Agnaldo Rayol - Margarida (At dawn)
(J. P. Lintz – Adaptação: Fred Jorge)
12 - Jorginho Telles - O cafona
(Marcos Valle – Paulo Sérgio Valle)
13 - Caçulinha & seu conjunto - Menina da ladeira
(João Só)
14 - Noriel Vilela - 16 toneladas (Sixteen Tons)
(Merle Travis – Versão: Roberto Neves)

COLABORAÇÃO: Aderaldo



quinta-feira, 16 de novembro de 2017

Vários intérpretes - 14 Maiorais - Vol. 4 (LP 1964)

 Quarto volume da série 14 Maiorais foi relançado pela gravadora Beverly
Este é o quarto volume da série 14 Maiorais, um projeto da gravadora Copacabana, e que foi relançado posteriormente pelo selo Beverly. Para apresentá-lo, vou reproduzir o texto da contracapa, assinado por Nazareno de Brito, produtor do disco: “Voltamos a entregar ao nosso amável público, a seleção que ele mesmo elegeu, recentemente. Liderando as “Paradas de Sucesso”, a Copacabana encontra-se à vontade para montar um álbum como este, que atende aos mais variados gostos. Há nele desde a música romântica até ao agitamento da chamada música jovem. O apuro que empregamos ao preparar esta série é um incentivo aos colecionadores, que assim podem ter ao seu dispor os big-hits da fonografia nacional”. Confira:

01 - Moacyr Franco - Doce amargura (Ti guarderó nel cuore)
(M. Ciorciolini - R. Ortolani - vs: Nazareno de Brito)
02 - Roberto Silva - Serenata da chuva
(Evaldo Gouveia - Jair Amorim)
03 - Clóvis Candal - Roberta
(Naddeo - Lepore)
04 - Rinaldo Calheiros - O seu adeus (Blue star)
(E. Heyman - V. Young - vs: G. Melo)
05 - Silvana - Pombinha branca (Vola colomba)
(C. Concina - B. Cherubini - vsa: G. Melo)
06 - Dina Gonçalves -  Louco (Ela é seu mundo)
(W. Batista - H. de Almeida)
07 - The Jordans - Blue star
((E. Heyman - V. Young)
08 - Agnaldo Rayol - Acorrentados (Encadenados)
(Carlos A. Briz - vs: J. Miranda - G. Melo)
09 - Moacyr Franco - Tudo de mim
(Evaldo Gouveia - Jair Amorim)
10 - Luiz Vieira - Paz do meu amor (Prelúdio nº 2)
(Luiz Vieira)
11 - Trio Tambatajá - Bolinha de sabão
(A. Azevedo - O. Divo)
12 - Ronnie Cord - Pera madura (Pera Matura)
(P. Donaggio - vs: Fred Jorge)
13 - The Angels - The hully gully
(Smith - G. Smith)
14 - Trio Nordestino -  Chupando gelo
(E. Dêda)



quarta-feira, 15 de novembro de 2017

Roberto Barreiros - Sempre no meu coração (LP 1967)

 Primeiro álbum do Roberto Barreiros foi produzido pela Chantecler em 1967
Este é o primeiro LP do Roberto Barreiros, e foi enviado pelo amigo Aderaldo, a quem agradeço pela colaboração. O disco foi lançado em 1967 pela gravadora Chantecler, e traz na contracapa texto de apresentação assinado pelo radialista Fernando Solera, produtor e apresentador da Rádio e TV Bandeirantes, de São Paulo. Sem muita repercussão, o álbum traz a releitura de “Sempre no meu coração”, uma versão de “Always In My Heart”, gravada por vários artistas, como Orlando Slva, Anisio Silva, Francisco Petrônio, Joana, Antonio Marcos e outros. O principal destaque é a romântica “Eu gostava muito de você, sabe?”, um dos grandes sucessos do artista, que também se destacou como humorista. Confira:

01 - Eu duvido
 (Antonio Queiroz) 
02 - Foi culpa do carrinho
 (Wilson Tavares) 
03 - Sempre no meu coração (Always In My Heart)
(Ernesto Lecuona - Versão: Mário Mendes) 
04 - Antigamente
 (Wilson Tavares) 
05 - Minha cantiga de paz
 (José Fontes) 
06 - Devolva o amor que lhe dei
 (Sergio Reis) 
07 - A inveja
 (Daniel Júnior) 
08 - Alegre infeliz
 (Aladim) 
09 - Tudo de bom
 (Daniel Júnior - Dercy G. da Costa) 
10 - E você será minha
 (Daniel Júnior) 
11 - Eu gostava muito de você, sabe?
 (Antonio Queiroz - Roberto Barreiros) 
12 - Não haverá ninguém
 (José Luiz Barreto)  

COLABORAÇÃO: Aderaldo



segunda-feira, 13 de novembro de 2017

Márcio Greyck - Que seria de mim sem você (LP 1969)

 Terceiro LP , gravado na Polydor, aposta no pop rock e no romantismo
Em atenção ao pedido do internauta Reginaldo vou postar este “Que seria de mim sem você”, terceiro álbum do Marcio Greyck, lançado em 1969 pela gravadora Polydor. Foi o último LP do cantor no selo da Philips, pois no início dos anos 1970 o cantor se transferiu para a CBS, onde obteve seus maiores sucessos. Um dos primeiros foi “O importante é o verdadeiro amor”, seguido de hits como “Impossível acreditar que perdi você” e “Aparências”, já nos anos 1980, adotando o romantismo. Este disco, no entanto, tem apelo mais pop rock, como canções como “Não se faz”, “Se você for me beijar”, “Quero mais que você morra” e “Falei sem querer", sem deixas as românticas de lado. Confira:

01 - Quero mais que você morra
(Márcio Greyck)
02 - Qual é o amor que você tem por mim
(Fernando Adour - Cobel)
03 - Por não ter ninguém antes de você
(Severino Filho - Tomca)
04 - Que seria de mim sem você
(Cury - Carleba)
05 - Falei sem querer
(Fernando Adour - Cobel)
06 - Vou procurar você
(Márcio Greyck - Cobel)
07 - Não se faz
(Márcio Greyck - Cobel)
08 - Pra ver se você gosta de mim
(Márcio Greyck)
09 - Não posso lhe prometer amor (I can´'t guarantee you love)
(Dee - Oitter - vs: C. Wallace)
10 - Se você for me beijar
(Fernando Adour - Cobel)
11 - Primeiro beijo
(Márcio Greyck - C. Wallace - Fernando Adour)
12 - Para lhe entregar o meu amor
(Márcio Greyck - Cobel)



domingo, 12 de novembro de 2017

Vários artistas - O resto é papo furado (LP 1973)

Coletânea da Chantecler destaca músicas do Luiz Américo e Maria Alcina
Uma das estratégias das gravadoras era reunir num disco só seus últimos lançamentos com pelos menos dois objetivos: divulgar a música e o disco do artista, e gerar vendas e lucros. Um exemplo é este “O resto é papo furado”, enviado pelo amigo Geraldo, a quem agradeço pela colaboração. O repertório, com 12 faixas e 10 artistas, destaca dois cantores, Luiz Américo e Maria Alcina, ambos com duas faixas cada. O primeiro pelo hit “Camisa 10”, samba que aborda o clima da torcida em relação à seleção brasileira de futebol na véspera da Copa do Mundo de 1974. A segunda pela revelação da Maria Alcina no VII FIC com “Fio Maravilha” e pela aposta da casa em relação ao seu primeiro LP, de onde foram extraídas “Alô, alô” e “Me dá... me dá”, ambas do repertório da Carmen Miranda. Mas o disco ainda traz coisas boas: Carlinhos Vergueiro, Os Demônios da Garoa, Ary Sanches e outros. Confira:

01 - Luiz Américo - Camisa 10
(Hélio Matheus - Luis Vagner)
02 - Maria Alcina - Alô Alô
(André Filho)
03 - Carlinhos Vergueiro - Poeta Sem Versos
(João Garcia - Carlinhos Vergueiro)
04 - Diva Maria - Quem Você Pensa Que É
(Plinio Ricardo - Ana Paula - Marcelo Duran)
05 - Miguel Felipe - 15º De Longitude Este 20º De Longitude Sul
(Umberto Silva - Marcello Silva)
06 - Gilson De Souza - Carona
(Gilson de Souza)
07 - Edith Veiga - Amor Segredo
(Cézar - Manoel N. Pinto)
08 - Luiz Américo - Ninguém Põe A Mão
(Dora Lopes - Jean Pierre)
09 - Zaira - Acende O Candieiro
(Walter da Imperatriz)
10 - Ary Sanchez - Esta Distância Sem Você
(Marcus - Maxine)
11 - Maria Alcina - Me Dá, Me Dá
(Cicero Nunes - Portello Juno)
12 - Os Demônios Da Garoa - Abre A Gira
(Cacilda de Assis - Claudio Paraiba)


COLABORAÇÃO: Geraldo


sábado, 11 de novembro de 2017

O canto crescente de Emílio Santiago (LP 1979)

 Sexto LP do cantor inclui canções de consagrados compositores da MPB
Quem gosta da boa MPB, com certeza, inclui o saudoso Emílio Santiago (Rio de Janeiro, 6 de dezembro de 1946 — Rio de Janeiro, 20 de março de 2013) entre os intérpretes preferidos. Além de excelente cantor, apontado pelo The New York Times como o “Nat King Cole brasileiro”, Emilio também se destacava pela capacidade de escolher um repertório sofisticado e de extremo bom gosto. Um exemplo é este LP, “O canto crescente de Emílio Santiago”, o sexto da carreira, lançado em 1979 pela Philips, e enviado pelo amigo Laércio, a quem agradeço. No repertório, algumas canções conhecidas, mas que ganham brilho extra quando interpretadas por ele, como “Trocando em miúdos”, “Outra vez”, “As rosas não falam”, “Dores de amores” e outras. O destaque é a participação especial do João Nogueira (12/11/41 – 05/06/2000) na bela “Amigo é pra essas coisas”. Confira:

01 - Bufete E Cascudo
(Wagner Dias)
02 - Trocando Em Miudos
(Chico Buarque - Francis Hime)
03 - Caridade
(Nelson Cavaquinho - Ermínio do Vale)
04 - Outra Vez
(Isolda)
05 - Logo Agora
(Jorge Aragão - Jota Be)
06 - Recado
(Gonzaga Jr.)
07 - Quase Sempre
(Edu Lobo - Cacaso)
08 - Homenagem Ao Malandro
(Chico Buarque)
09 - As Rosas Não Falam
(Cartola)
10 - Rola Bola
(Thomas Roth - Luiz Guedes)
11 - Dores De Amores
(Luiz Melodia)
12 - Amigo É Pra Essa Coisas (part. esp. João Nogueira)
(Silvio da Silva Jr. - Aldir Blanc)


COLABORAÇÃO: Laércio

sexta-feira, 10 de novembro de 2017

Aviso sobre a coletânea da cantora Chiquita

Música do primeiro disco da jovem intérprete foi adicionada na coletânea 

Acabo de receber do amigo Paulo Castelo Branco, a quem agradeço pela colaboração, a faixa “Calypso dos verbos”, do primeiro disco da Chiquita, gravado em 1960, para ser adicionada na coletânea da cantora, postada hoje pela manhã. Assim, pra completar a discografia, fica faltando apenas a faixa “Meu diploma”, de um 78 RPM produzido em 1961. Se você já baixou a pasta, não precisa fazer o download novamente. Basta baixar a música aqui, e adicioná-la na coletânea, lembrando que refiz a contracapa, agora atualizada, que pode ser copiada da postagem anterior. Por conta disso, deletei o primeiro link e passo a oferecer um novo.


Chiquita - Coletânea Twist Outra Vez (2017)

 Seleção com sete músicas se destaca pela versão do hit "Let's twist again"
Chiquita é mais uma cantora infanto-juvenil dos primórdios do rock brasileiro. Pra resgatá-la, o nosso amigo Aderaldo montou essa coletânea com sete músicas, gravadas na Odeon entre 1960 e 1962, e agradeço a ele por enviá-la para postagem. Ele destaca que, apesar dos esforços, ainda falta mais uma música – “Meu diploma”, do 78 RPM produzido em 1961 – pra completar a provável discografia da cantora. Li – não me lembro onde e nem quando – que a artista posteriormente mudou o nome, e espero que algum amigo – provavelmente o Paulo Castelo Branco, expert no assunto, e que ofereceu uma faixa desta seleção – possa esclarecer a dúvida e informar qual foi o adotado.

Francisca de Oliveira Paula Assis, seu nome de batismo, nasceu na capital paulista, e começou a carreira aos 11 anos numa festa promovida pelo Colégio São Bento no Santa Paula Country Clube. Os que a ouviram cantar na festa escolar a apresentaram ao Durval de Souza, da TV Record, que a incluiu em seu “Programa Durvalino”. Por coincidência feliz, o programa foi visto pelo compositor Fred Jorge, então divulgador da Odeon, e a levou para a gravadora. Segundo reportagem da época, seu maior sucesso foi “Bobby Bobby Bobby”, também gravada pela Regina Célia (aqui), e tinha habilidade de imitar 22 artistas famosos, como Brenda Lee, Elvis Presley, Inezita Barroso, Isaura Garcia, Maysa e outros, mostrando que também era uma grande intérprete. Confira:

01 – 1960 – Rock das vogais (Rock'n'roll The Vowels
 (Vin Roddie – vs: Juvenal Fernandes)
02 – 1961 - Psiu
 (Ciloca Madeira) 
03 – 1961 – Cartão postal
 (Silvino Neto) 
04 - 1961 - Bobby Bobby Bobby
(Carole King - Charles Weiss - Mel Glazer – vs: Fred Jorge)
05 - 1962 - Twist big bom
(Baby Santiago)
06 – 1962 - Twist outra vez (Let's Twist Again)
(Dave Appell - Kal Mann – vs: Fred Jorge)
07 - 1960 - Calypso dos verbos *
(Mário Gennari Filho – Fred Jorge)

*  Faixa cedida por Paulo Castelo Branco


COLABORAÇÃO: Aderaldo


quinta-feira, 9 de novembro de 2017

Trilha sonora nacional da novela "O Rebu" (1974)

Álbum com 14 faixas se destaca pelas composições de Raul Seixas e Paulo Coelho
A trilha sonora nacional da novela O Rebu atende ao pedido do internauta Sebastião. A telenovela, produzida pela Rede Globo, foi exibida entre 4 de novembro de 1974 e 11 de abril de 1975, às 22 h, substituindo O Espigão e sendo substituída por Gabriela. Foi a 20ª "novela das dez" da emissora. Escrita por Bráulio Pedroso, foi dirigida por Walter Avancini e Jardel Mello, com supervisão de Daniel Filho, totalizando 112 capítulos. Com essa novela, a emissora iniciou a integração da rede nacional da Rede Globo, já que na época havia atrasos na apresentação dos capítulos das novelas no País, sendo que a extinta Tupi foi a primeira a uniformizar sua programação em rede nacional, a partir de 1 de julho de 1974. A trama contou com a participação de atores como Lima Duarte, Ziembinski, Bete Mendes, Buza Ferraz, Tereza Rachel, Maria Claudia, Ruth de Souza, José Lewgoy, Arlete Sales, Carlos Vereza e outros. A trilha sonora, com boa parte das canções criada por Raul Seixas e Paulo Coelho, foi lançada pela Som Livre, e traz intérpretes como Sonia Santos, Elza Soares, Fábio Stella, Betinho e outros, além do próprio Raul Seixas, presente em três das 14 faixas. Confira:

01 - Raul Seixas - Como Vovó Já Dizia
(Raul Seixas - Paulo Coelho)
02 - Sonia Santos - Porque
(Raul Seixas - Paulo Coelho)
03 - Alcione - Planos de Papel
(Raul Seixas)
04 - Orquestra Som Livre - Katherine
(Paulo Coelho)
05 - Betinho - Murungando
(Raul Seixas)
06 - Orquestra Som Livre - O Rebu
(Raul Seixas - Paulo Coelho)
07 - Elza Soares - Salve a Mocidade
(Luiz Reis)
08 - Raul Seixas - Um Som Para Laio
(Raul Seixas)
09 - Fábio Stella - Se o Rádio Não Toca
(Raul Seixas - Paulo Coelho)
10 - Raul Seixas - Água Viva
(Raul Seixas - Paulo Coelho)
11 - Orquestra Som Livre - Tema Dançante
(Roberto Menescal)
12 - Trama - Vida a Prestação
(Raul Seixas - Paulo Coelho)
13 - Orquestra Som Livre - Senha
(Paulo Coelho)
14 - João Roberto Kelly - Trambique
(João Roberto Kelly - Adilson Manhães)



quarta-feira, 8 de novembro de 2017

Leila Silva - O mais puro amor (CD 2001)

 
Compilação do selo Revivendo inclui os grandes sucessos da cantora
Leila Silva, cantora de muito sucesso na primeira metade dos anos 1960, comparece no blog com este “O mais puro amor”, CD do selo Revivendo que reúne seus grandes sucessos. A possibilidade de postá-lo se deve ao amigo Aderaldo, a quem agradeço pela colaboração. O repertório inclui 21 canções, como “Juca do Brás”, “Perdão para dois”, “Não sabemos”, “Flor amorosa”, "Tango triste", “O amor mais puro” e até “Apesar de você”, de Chico Buarque, lançada em 1970 e censurada no ano seguinte pelo regime militar. Tomei a liberdade de incluir, como bônus, a música “Não diga a ninguém”, de José Messias, uma das minhas preferidas do seu repertório, e inexplicavelmente ausente da seleção.

Inezila Nonato da Silva, seu nome de batismo, nasceu em Manaus, no Amazonas, em 7 de junho de 1935. A família se transferiu para São Paulo após a aposentadoria do pai. A jovem, então com 15 anos, logo revelou seus dotes artísticos, e estudou piano e violão. Começou a cantar na Rádio Atlântica de Santos e atuou na Rádio Clube e Rádio Cacique, também no litoral paulista, onde morava. Ganhou vários prêmios na cidade. Em 1959, subiu da baixada santista para a capital paulista para investir na carreira, e logo obteve contrato no selo Califórnia, onde gravou se primeiro disco, um 78 RPM, com os sambas-canções “Mentira” e “Resignação”, sem nenhuma repercussão.

Na sequência, foi contratada pela Chantecler, e lançou de imediato o EP com “Tango triste”, “Irmã da saudade”, Sarjeta” e “Mar negro”, com muito sucesso. Meses depois, ainda em 1960, lançou seu primeiro LP, “Perdão para dois” (na foto acima), com êxito instantâneo. Foi contratada pela Rádio Record e ganhou prêmios cobiçados, como Roquette Pinto e Chico Viola. Na Chantecler, ainda gravaria mais dois álbuns, “Quando canta Leila Silva” e “Novamente ela”, além de vários compactos, com destaque para “Juca do Brás” (na foto acima), um dos grandes sucessos de 1964. Sua carreira discográfica inclui discos pela RGE, RCA Victor, Beverly e Continental, totalizando 27 compactos e 15 LPs até 1978 que a credenciaram a se apresentar em países como Argentina, Paraguai, Uruguai, Chile e Portugal. Hoje, segundo consta, mora em Santos e faz apresentações esporádicas.

01 - Não sabemos
(Rubens Caruso)
02 - Sarjeta
(J. Luna - Clodoaldo Brito)
03 - Perdão para dois
(Palmeira - Alfredo Corleto)
04 - Dizem
(Atauldo Alves)
05 - Flor amorosa
(Catulo - Calado)
06 - Juca do Brás
(Haroldo José - Romeu Tonelo)
07 - Brasil, canto contigo
(Dom - Ravel)
08 - Rotina
(Raul Sampaio - Benil Santos)
09 - Que será de ti
(D. Ortiz - M. Thereza Marquez - Hélio Ansaldo)
10 - Justiça de Deus
(Normindo Alves - Ruth Amaral Dias)
11 - O amor mais puro
(Palmeira)
12 - Desespero
(U. Silva - L. Mergulhão - P. Aguiar) 
13 - Chiclete com banana
(Gordurinha - Almira Castilho)
14 - Meu prelúdio
(Waldir Azevedo - Mirian Barbosa)
15 - Volta amor (Hold Me)
(Les Reed - J. Rae - Sebastião F. Silva)
16 - Asfalto falsificado
(Cyro Aguiar)
17 - Murmurando
(Fon-Fon - Mário Rossi)
18 - O que é que eu faço
(Rbamar - Dolores Duran)
19 - Nó-de-porco
(Haroldo José - Romeu Tonelo)
20 - Irmã da saudade
(João Pacífico - Portinho)
21 - Apesar de você
(Chico Buarque de Hollanda)
22 - Bônus - Não diga a ninguém (Já fiz a sua trouxa)
(José Messias)

COLABORAÇÃO: Aderaldo


terça-feira, 7 de novembro de 2017

Luiz Américo - Meu boné (LP 1977)

 Álbum de 1977 foi produzido pela Rosicler, selo da gravadora Chantecler
Aqui está mais um álbum do Luiz Américo, cujo título remete diretamente ao principal acessório do figurino do cantor, o boné. O disco, enviado pelo amigo Laércio, a quem agradeço, foi lançado em 1977 pela Rosicler, selo da Chantecler, onde o artista gravou os principais hits de sua carreira. Trata-se de mais um LP de samba, com muitas canções de autoria própria em parceria com Braguinha, seu principal parceiro de criação. Um dos destaques é a faixa “Pois é, seu Zé”, composta pelo saudoso Gonzaguinha, que também a gravou. Confira:

01 - Meu boné
(Luiz Américo - Braguinha)
02 - Cavaco e violão
(Américo - Conde Fernete)
03 - Perdi você
(Conde Fernete - Bráulio de Castro - Adilson Francisco)
04 - Tempo de amar
(Luiz Américo - Braguinha)
05 - Fim de prosa
(Luiz Américo - Braguinha)
06 - Som de cristal
(Luiz Américo - Braguinha)
07 - Bar em bar
(Luiz Américo - Braguinha)
08 - Breque de boi
(Luiz Américo - Braguinha)
09 - Quem há de dizer
(Lupicinio Rodrigues - Alcides Gonçalves)
10 - Meu travesseiro
(Luiz Américo - Braguinha)
11 - Pois é, seu Zé
(Luiz Gonzaga Jr)
12 - Gabiroba
(Luiz Américo - Braguinha)

COLABORAÇÃO: Laércio



segunda-feira, 6 de novembro de 2017

Regina Célia - Coletânea Especial (2017)

Coletânea apresenta 24 músicas gravadas no período entre 1959 e 1965
Quando postei o primeiro e único LP da Regina Célia (aqui), informei que ainda apresentaria uma coletânea com outras gravações da cantora, contemporânea da Celly Campello. Chegou a vez de apresentá-la nesta seleção com 24 faixas, lançadas entre 1959 e 1965. O repertório traz algumas músicas conhecidas, gravadas por outros intérpretes, como “O problema do amor” (sucesso do Carlos Gonzaga), “Ensinando a Bossa Nova” (versão diferente em relação a interpretada pelo Trio Esperança), “Vento do mar” (Idalina de Oliveira) e outras, além de “Na minha idade’, versão de “Alla mia età", hit da Rita Pavone. A curiosidade fica por conta de "Se não, eu morro também", uma obscura composição do Roberto Carlos, lançada num compacto simples pela gravadora Farroupilha, e que marcou a despedida da cantora do cenário artístico. Confira:

01 - 1959 - Meu tio (Mon oncle)
02 - 1959 - Crendices
03 - 1959 - Personality
04 - 1959 - O que eu quero é namorar
05 - 1960 - Trem do amor (One way ticket to the blues)
06 - 1960 - Aula de inglês em Rock
07 - 1960 - Como queima
08 - 1960 - Garota Bossa Nova
09 - 1961 - Bobby, Bobby, Bobby
10 - 1961 - Inspiração (Poetry in motion)
11 - 1961 - Eu quero achar (Where the boys are)
12 - 1961 - Lencinho com baton (El pañuelo manchado de rouge)
13 - 1962 - Romeu
14 - 1962 - Beijos pelo telefone (Kissin´on the phone)
15 - 1963 - Ensinando Bossa Nova (Blame it on the Bossa Nova)
16 - 1963 - Eu hei de seguir (Chariot)
17 - 1963 - Vento do mar (That happy felling)
18 - 1963 - O problema do amor
19 - 1964 - Não é fácil caminhar (Wondrous are the ways of love)
20 - 1964 - Na minha idade (Alla mia età)
21 - 1964 - Wha-Watusi
22 - 1964 - Meu Broto
23 - 1965 - Se não eu morro também
24 - 1965 - Mil razões pra te amar



domingo, 5 de novembro de 2017

Demis Roussos canta em português (CS 1977)


Compacto simples lançado pela Philips passou despercebido do grande público
Uma curiosidade que nem todos sabem: Demis Roussos, que ganhou notoriedade internacional como vocalista do grupo de rock progressivo "Aphrodite's Child", também gravou em português. Trata-se da música “Você você e nada mais”, música de V. Papathanassiou e R. Costantinos e letra de Bruno Wyzuj de Carvalho, lançado em 1977 num obscuro compacto simples da Philips. Bem de acordo com a época, o lado B traz a dançante “I dig you”, pra pistas de discoteca. Artemios Ventouris Roussos, seu nome de batismo, nasceu em 15 de junho de 1946 em Alexandria, no Egito, mas foi batizado como grego, e faleceu em Atenas, em 25 de janeiro de 2015, aos 68 anos, de causas não reveladas. O cantor vendeu, ao longo da sua carreira, mais de 60 milhões de discos em todo o mundo e foi considerado patrimônio cultural da Grécia. Confira:

01 – Você você e nada mais
(V. Papathanassiou - R. Costantinos - Bruno Wyzuj de Carvalho)
02 – I dig you
(R. Fitoussi – R. Dassin)



sábado, 4 de novembro de 2017

Ary Sanchez - Canção para você (EP 1968)

 Compacto duplo produzido pela Continental traz a versão de "Canzone per te"
Este compacto duplo do Ary Sanchez, lançado em 1968 pela Continental, foi enviado pelo amigo Jhonata, a quem agradeço pela colaboração. O destaque do disco é a faixa “Canção para você”, versão de “Canzone per te”, vencedora do Festival de San Remo de 1968, e sucesso na voz do intérprete Roberto Carlos, que costumava apresentar Ary Sanchez como “A granada romântica” no programa Jovem Guarda. O EP também traz a releitura de “Israel”, hit d’Os Incríveis, assim como as regravações de “Granada”, clássico do Agustin Lara, e “Tenerezza”, sucesso do Tony Renis. Confira:

01 - Canção Para você (Canzone per te)
(Sérgio Endrigo - Bardotti - vs: Nazareno de Brito)
02 - Ternura (Tenerezza)
(Beretta - Olivares - Renis - vs: Reinaldo Costa)
03 - Israel
(Zambrini - Migliaci - Cini - vs: Nazareno de Brito)
04 - Granada
(Agustin Lara)


COLABORAÇÃO: Jhonata



Wilson Roberto - Ainda te aceito como antes (CS 1978)

 Wilson Roberto também gravou como Robson Gil no início dos anos 1960
O internauta Alan Silva solicitou, em 10 de novembro de 2014, por meio de comentário na postagem do EP do Robson Gill, realizada em 15 de agosto de 2014, as músicas “Minhas dúvidas” e “Ainda te aceito como antes”, gravadas pelo Wilson Roberto num compacto simples lançado em 1978 pela CBS. No pedido, ele informa que é casado com a filha do Wilson Roberto Kossatz, cantor que também gravou como Robson Gil e Robson Gill. O nosso amigo Aderaldo, a quem agradeço, viu a solicitação e enviou o disco para postagem. Confira:

01 – Minhas dúvidas
(C. Marques – Gil)
02 – Ainda te aceito como antes
(Puruca)

COLABORAÇÃO: Aderaldo



sexta-feira, 3 de novembro de 2017

Trio Esperança - Série Coletânea - Volume 8 (LP S/D)

 Doze grandes sucessos do Trio Esperança estão reunidos no LP da Odeon
A Odeon, em ano que desconheço, lançou a Série Coletânea, envolvendo os principais artistas do cast e seus principais sucessos. O volume 8 foi dedicado ao Trio Esperança. O disco inclui hits como “A festa do Bolinha”, “Olhando para o céu”, “Gasparzinho”, “O passo do elefantinho”, “Filme triste”, “Arrasta a sandália” e até “O sapo”, uma bossa nova deliciosa de ouvir, entre outras canções. Como sempre, é um prazer curtir o trio, afinado, balanceado e cheio de talento. Confira:

01 - Filme Triste - Sad Movies (Make Me Cry)
(John D. Loudermilk - vs: Romeo Nunes)
02 - O Passo Do Elefantinho (Baby elephant walk)
(Henry Mancini - vs: Ruth Blanco)
03 - Olhando Para O Céu (Sukiyaki)
(R. Ei - H. Nakamura - vs: Romeo Nunes)
04 - Ensinando A Bossa Nova (Blame it on the Bossa Nova)
(Cynthia Weill - Barry Mann - vs: Almeida Rego)
05 - O Sapo
(Jayme Silva - Neuza Teixeira)
06 - Dominique
(Soeur Sourire - vs: Romeo Nunes)
07 - A Festa Do Bolinha
(Roberto Carlos - Erasmo Carlos)
08 - Gasparzinho
(Renato Corrêa)
09 - A Tartaruga (La tartaruga)
(Massara - Mogol - vs: Rossini Pinto)
10 - Vamos Sacudir
(Antonio Garcia)
11 - Ta-hi
(Joubert de Carvalho)
12 - Arrasta a Sandália
(Roberto Corrêa - Jon Lemos)



quinta-feira, 2 de novembro de 2017

Vários artistas - As 14 p'ra frente - Vol. 5 (LP 1969)

 Coletânea reúne principais artistas do elenco da gravadora Continental
O quinto volume da série “As 14 p’ra frente”, projeto da gravadora Continental, similar ao popular “As 14 mais”, da CBS, é muito interessante, e foi enviado pelo amigo Aderaldo, a quem agradeço. O disco, lançado em 1969, reúne os principais artistas da casa, como Sérgio Murillo, Noite Ilustrada, Agostinho dos Santos, Cyro Aguiar, Dick Danello e outros. Entre as curiosidades destacam-se Martinho da Vila, antes da fama, assim como as releituras de “Tudo passará”, do Nelson Ned, na voz do Lindomar Castilho e “F...comme femme”, sucesso do Adamo, interpretado pelo Teddy Lee. Confira:

01 - Teddy Lee - F ... Comme femme
(Salvatore Adamo)
02 - Suzanne - La maritza
(J. Renard – P. Delance)
03 - Dick Danello - Zingara
(Albertelli – Riccardi)
04 - Sérgio Murillo - Açucar (Zucchero)
(R. Soffici – Guscelli – Ascri – Mogol – Versão: Nazareno de Brito)
05 - Lindomar Castilho - Tudo passará
(Nelson Ned)
06 - Samjazz Quintet - Light my fire
(Morrison – Manzarek – Krieger – Densmore)
07 - Samjazz Quintet - I started a joke
(Robin – Barry & Maurice Gibb)
08 - Agostinho dos Santos - Ana Cristina (Meia Volta)
(Antonio Adolfo – Tibério Gaspar)
09 - Martinho da Vila - Nhem, nhem, nhem
(Martinho da Vila – Cabana)
10 - Dick Danello - Lontano dagli occhi
(Endrigo – Bardotti)
11 - Cyro Aguiar - Igual a uma boneca (Somigli A Una Bambola)
(F. Bergamini – G. M. Longo – Versão: Nazareno de Brito)
12 - Noite Ilustrada - Vícios
(Cesar Cava)
13 - Paulo Roberto - Não me peça um beijo
(Antonio Marcos – Mário Marcos)
14 - Sérgio Murillo - Playboy
(Gene Thomas – Versão: N. Bourget)

COLABORAÇÃO: Aderaldo



quarta-feira, 1 de novembro de 2017

Orquestra de Billy May: Arthur Murray cha-cha mambos

 Repertório de mambo e cha cha cha foi selecionado pelo mestre Arthur Murray
Depois do delicioso álbum de twist (aqui), agora é a vez de apresentar o LP dedicado ao mambo e ao cha cha cha, produzido com a marca do empresário de danças Arthur Murray, responsável pelo repertório e famoso por criar a maior rede de escolas de dança de salão do mundo, com mais de 270 filiais em 22 países, incluindo o Brasil. O disco, enviado pelo amigo Laércio, a quem agradeço, não tem o ano da produção, mas provavelmente foi lançado em meados dos anos 1950. Desta vez, o LP traz canções executadas por  Billy May's Rico Mambo Orchestra. Uma boa dica para quem gosta de dançar e aprecia esses dois ritmos. Confira:

01 - Frenesi
(Alberto Dominguez)
02 - Ain't she sweet
(Milton Ager - J. Yellen)
03 - The cha cha cha (Arthur Murray cha cha)
(Billy May - Bill Olofson)
04 - Adios
(Enric Madriguera)
05 - Mañana
(Dave Barbour - Peggy Lee)
06 - Cha cha bamer
(Billy May)
07 - Undecided
(Charles Shavers - Sid Robin)
08 - Ya ya ya, cha cha cha
(Billy May)
09 - The peanut vendor
(Moises Simons)
10 - Culiacan
(Billy May)
11 - Mama Inez
(Eliseo Grenet - L. Wolfe Gilbert)
12 - Taboo
(Margarita Lecuona)

COLABORAÇÃO: Laércio